Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O CASO JOÃO DE DEUS E OUTROS ABUSOS

A fragilidade e a ganancia humana são os meios principais usado por abusadores para atrair suas vítimas!
*Por Antônio F. Bispo
   Há tantos tipos de abusos nas supostas casas de deus ou cometidos pelos supostos homens de deus nos mais variados tipos de crença, que comentá-los um a um seria como tentar contar a quantidade de grãos de areia de uma praia qualquer.
   Pena que a grande maioria de nós só enxerga como abuso cometido por líderes religiosos os que são de ordem sexual. Pena que pelo fato de que a grande maioria dos líderes religiosos serem grandes influenciadores de votos, a justiça de certa forma faz de conta que não vê muito do que estar evidente. Pena que em boa parte das agremiações religiosas, a maior parte das conquistas milenares referente aos direitos e liberdade do homem já conquistados aos longos das eras, valem menos que papel higiênico usado.
  Nesses recintos, o que vale mesmo é a lei interna que cada agrupamento tem e que são imposta pelos pelas lideranças locais aos liderados, sendo que essas leis internas em grande parte servem apenas para endossar ainda mais o poderio do líder sobre os liderados e isso torna ainda mais difícil a manifestação individual ou a intenção em denunciar tais abusos.
  A subserviência incondicional ao chefe maior é de modo implícito ou explicito a lei marcial de maior valor entre esses agrupamentos. Desobedecer ou enfrentar ao líder é desobedecer ao próprio deus. Enfrentá-lo ou denunciá-lo nem se quer em pensamento, pois é dito a todo instante que quem enfrenta o ungido do senhor recorrerá ao erro de Lúcifer ao se rebelar contra o seu superior, e assim como lúcifer, todo rebelde será seu companheiro eterno nas prisões infernais. Isso estar tão enraizado na cultura religiosa que os que sofrem abusos nesses recintos preferem o silêncio com medo desse tipo de punições. Há uma máxima entre todos os líderes religiosos, principalmente no meio evangélico, que uma pessoa uma vez ungida, somente deus poderá julgá-la ou condená-la, independente de qual seja o crime ou de qual seja a acusação. Isso é um prato cheio pra quem gostar de aprontar e ainda pagar de santo!
  Segundo essa concepção, as lideranças eclesiásticas estão acima de quaisquer leis, hierarquias e projetos humanos para a construção e manutenção da ordem e da civilização. Segundo essa concepção não há tribunal, juízes ou nenhuma corte humana capaz de julgá-los ou condená-los e que somente no dia do juízo eles serão julgados, com 99% de chances de serem absorvidos pelo próprio deus por serem seus representes, por conduzirem seu rebanho aqui na terra. Segundo essa concepção vítimas dos mais variados níveis continuam sendo abusadas diariamente sentindo-se culpada por um crime que outro cometera.
   Segundo essa visão, as leis dos homens não são as leis de deus, e isso fica explicitamente claro nos discursos, e o líder ungido é o juízes, o júri, o advogado, o promotor, o carrasco e o executor das leis que ele mesmo criou e as mantém para o seu rebanho.
  Como cada grupo tem sua própria lei interna, e cada um interpretará a questão do abuso como bem entender, pois cada líder diz respeitar mais “as leis de deus” do que “a lei dos homens” e isso também é mal interpretado muitas das vezes pelas autoridades civis como sendo “Liberdade de Expressão Religiosa”. Se for em benefício do grupo “as leis dos homens” tem valor, se não for, o que prevalece é “a lei de deus”.
    Liberdade, igualdade e fraternidade só se for entre os da nata dos que lideram, pois para o povão fica apenas o serviço voluntário (ou remunerado), o tributo e a responsabilidade de duplicação de ideias e de comportamentos referentes ao que o líder do grupo pensa sobre a vida, sobre o mundo, sobre os deuses e sobre qualquer assunto que se possa imaginar.
  Tanto o raciocínio de um fiel quanto o reflexo desse raciocínio nos padrões de comportamento tem de ser visto e aprovado pelo líder ou pelo grupo, senão…!
  E eles não consideram isso como abuso.
 Da escolha do parceiro, às formas de acasalamento; da forma de nutrição à liberdade de expressão, se o líder não aprovar, o fiel poderá sofre represálias, ou pode ser humilhado em público mesmo!
   Todos eles dizem fazer isso baseado em algum livro sagrado. Todos eles, pelo menos os cristão dize que usam a “bíblia sagrada” como referência, mas é uma grande mentira! Nenhum deles usam a bíblia em sua totalidade pois, usam pouquíssimos textos isolados que complementem apenas seu ponto de vista.
  Os demais textos ou livros inteiros dizem que foi para determinado povo ou para determinada época. Nenhum deles também acreditam na bíblia em sua totalidade, apenas em trechos isolados para manipular ideologias gerais com o intuito de afetarem não apenas os valores do grupo, mas a sociedade como um todo caso não haja resistência de alguma outra parte.
   No fundo no fundo, quase todo líder religioso sonha em ver um dia seu grupo ou sua fé dominando o mundo, espalhando suas “verdades”, catequizando a todos pelo amor ou pela espada e ele como líder supremo governando sobre todos, recebendo honrarias e tributos diversos sobre os tais. Em nome de deus é claro!
   Ao visitar pela primeira vez um grupo religioso tudo parece flores. Após alguns dias, dependendo do grau de receptividade que alguém recebe ao filiar ao grupo, o sujeito é levado a crer que todos no mundo inteiro deveria ser como ele, pensar come ele, e se tornar um voluntário dessa causa, dando brecha para um dos maiores abusos cometidos diariamente, que relatarei a seguir.
    Geralmente nesses ambientes, ninguém sabe que estar sofrendo abuso até que alguém entre eles comece a apontar por meio da lógica, da razão, de leis internas ou externas que o abuso estar acontecendo. Foi assim com a escravidão negra, foi assim com a escravidão sexual e é assim até hoje principalmente nos países de fé islâmica!
   Fora isso, as pessoas podem passar séculos num estado medíocre de mentalidade, sendo exploradas pelos mais diversos modos e ainda assim, anunciando para todos ao redor que estão felizes feliz em servir a essa ou aquela divindade, a esse ou aquele líder!
  A cultura local de qualquer ambiente religioso faz com que as pessoas acreditem que cada passo, cada fala, cada gesto, cada respiração e todo comportamento do “líder iluminado” seja um reflexo direto da vontade da divindade que essa faz representar.
   Assim fica fácil possuir o corpo, a alma, o sexo, ou o bolso de alguém sem que esse demonstre muita resistência imediata e mesmo quando seus impulsos naturais e valores morais tentem resistir, a vontade do “homem de deus” prevalece! Afinal, se tantas pessoas dizem que ele é santo, certo e justo, por que pensar o contrário?
  Lembrando que para se tornar “um homem de deus” basta ser consagrado por alguém ou se autoconsagrar! Milhares de pessoas afirmam diariamente que onde estiver uma pessoa falando o nome de deus elas estarão presente, não importa onde seja ou com que seja. E os de mau caráter se aproveitam disso e dizem: “que assim seja”!
  Desse modo, vítimas das mais variadas idades, sexos e personalidades caem nas mão de todo tipo de vigarista transvestido de pessoa do bem!
  Quanto mais desesperada, aflita, ansiosa e ingênua for uma pessoa que adentre em qualquer ambiente chamado de “casa de deus” maior poderá ser o dano que ela virá sofrer no futuro. Até quem atualmente nunca cometera deslize, vendo uma grande chance, vendo no outro lado uma pessoa frágil e aberta em todos os sentidos, pode ser tentando a fazer besteiras, se envolver num problema gigantesco, e usar depois os meios mais loucos possíveis para deletar as provas, inclusive a queima de arquivos encomendando a morte ou matando com as próprias mãos a pessoa com a qual se envolvera. Quase que semanalmente vemos manchetes jornalísticas relatando casos semelhantes.
  Dificilmente gente equilibrada, bem resolvidas e que saibam controlar o próprio ego buscam com frequência ou quase não buscam esses lugares religiosos) A ambição, o desejo de fortuna, de manipular ou possuir o outro, o medo da morte, de enfermidades e da solidão são como iscas numa armadilha para fazer com que os desavisados caiam em uma armadilha e fiquem num estado pior do que quando procurou esses ambientes.
  Há quem diga que do encontro do encontro de um vigarista com uma pessoa ingênua nasce a religião e a partir de então, os parâmetros para agradar os deuses serão criados de acordo com a ignorância de um e da ganancia do outro.
  Nem tudo nessa citação é falsa, pois em nossa cultura, entregar-se nas mãos de deus literalmente significa deixar-se ser guiado por um líder religioso ou não fazer nada em relação a determinado assunto.
 Quando você diz: “estou entregue nas mãos de deus” ou “vivo em função de servir a deus”, basta apenas que espertalhão escute e o nível e sua vida se torne um inferno (ou não)!
  Melhor mesmo seria que cada pessoa diante de um problema qualquer, verificasse as causas e efeitos desse tipo de problema, assumisse a responsabilidade dos seus próprios atos dentro dos limites físicos ou psicológicos possíveis, ou que buscassem ajuda de um profissional competente da área para solução de tal fato.
  Lembre-se que na grande maioria dos casos, para se tornar obreiro ou líder maior numa instituição religiosa não se faz necessário nenhum nível de escolaridade, de conhecimento técnico ou nem sequer de valores morais. Basta apenas ser capachos das hierarquias já existentes e reproduzir fielmente tudo que lhe fora ensinado por eles. Nesses casos, literalmente tua vida corre um grande perigo! Literalmente tu estarás entregues à própria sorte e nenhum tipo de ajuda que não seja a intervenção humana poderá te livrar dos embaraços que te metestes.
  Se problemas financeiros fossem resolvidos dando o dizimo por exemplo, nossa nação seria a mais próspera do planeta em todos os sentidos e a erradicação da fome, da miséria e da pobreza teria acontecido totalmente pelo menos 50 anos atrás.
  Se problemas de saúde fossem resolvidos com orações e penitencias diversas, a igreja católica teria evitado a peste negra e tantas outras moléstias coletivas ocorridas na idade média e nenhuma enfermidade hoje afetaria a raça humana.
  Se ficar em jejuns, como fome, pensando em “algo santo” funcionasse, os pobres e famintos do mundo inteiro que vive abaixo da linha da pobreza, todos eles seriam grandes magos devido a tanto poder acumulado através da fome!
  Problemas financeiros se resolvem com trabalho e educação financeira e não dando o dízimo a quem quer que seja em nome de um ser metafísico.
  Problemas de saúde se resolvem com prevenção, saneamento básico, hábitos de higiene, exercícios corporais e educação alimentar e não com rogos, orações, mandigas ou preces!
  Numa sociedade civil organizada como atualmente estamos tentando construir, cada profissional assume uma área especifica, sem a necessidade de tudo, absolutamente tudo ser resolvido, solucionado ou sugestionado por um líder religioso ou um ser “iluminado” ou mal intencionado.  Os que se dão ao luxo de ainda manter-se nesse estado medieval de pensamento estão assumindo por conta própria os riscos de serem abusados.
No próximo texto concluiremos esse raciocínio. Fiquem conosco! CONTINUA...

*Antônio F. Bispo é graduando em jornalismo, Bacharel em Teologia, estudante de religiões e filosofia.
Texto escrito em 16/12/18
Ferreira Bispo
Enviado por Ferreira Bispo em 16/12/2018
Código do texto: T6528788
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ferreira Bispo
Cristinápolis - Sergipe - Brasil, 37 anos
141 textos (6440 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/06/19 17:23)
Ferreira Bispo