Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Parar um pouco o relógio – solução?

Aos sábados ela encontra inspiração. Na verdade nunca soube por quê, nestes dias, em específico, há tanto o que falar. Por vezes, pensa que talvez seja tão-só o acúmulo de muitas coisas – ditas e não ditas; ocultadas, de certo, pouco refletidas.

            É estranho pensar assim, contudo talvez seja mesmo a correria da semana, as prioridades que a gente acha que deve dar a algumas coisas. Refletir, pensar, parar um pouco o relógio – solução?

Aos sábados ela encontra espaço. Para ela é dia de acordar tarde: 11h da manhã no mínimo. Acorda, olha pro lado, vê o amor de sua vida ali também, dorme feito anjo. Não, é feito coala mesmo! Hiberna. Eles pegam no celular poucas vezes ao dia – primeira mensagem dela: sua mãe. Dá-lhe bom dia! E a abençoa com preces ao Criador.

Outras mensagens começam a entrar... Amigos, familiares, com aquele desejo de “bom dia, e bom final de semana”.

            Aos sábados, veem pouca televisão. Na verdade quase nunca ela é ligada! Filmes e séries são visitadas aos sábados – um filme, um clássico que sempre quiseram ver ganha seu espaço e atenção, especialmente, nesse dia da semana. Café às 11h30, almoço às 14h30, só aos sábados.

            Final da tarde, ela, um pouco cansada, mas ainda procura algo a fazer... apanhar roupas no varal, por mais roupas na lavadeira, ir ao mercado, preparar o jantar... e, finalmente pensa: poxa, o sábado acabou.

À noite, ele, joga vídeo game, na semana parece difícil fazer coisas assim, vida de adulto. Ela, deixa o silêncio dentro de si tomar espaço, músicas de uma playlist que lhe traz tranquilidade, reflexão, paz interior, alento, descanso, pensamentos e pensamentos que invadem e aquela lembrança e aquele aconchego que só alguns, os de intensidade, pode sentir. E ela vê que não consegue mais pensar em outra coisa e tampouco sabe no que estar a pensar... apenas para, ouve as canções, e se sente calma, leve, esperançosa, e ao mesmo tempo agradecida por tudo.

Sente-se grata pelos dias difíceis, pela rotina, pelo que conquistou e pelo que estar a viver. Vê gratidão até pelos medos do dia a dia e pela fraqueza que as vezes ronda um dia ou dois na sua semana e então, lembra do quão vívido e raro é sentir tudo isso e ao mesmo tempo, vê sua fé, que ainda pequena exala e exala calmaria, esperança, gratidão. Lembra das coisas boas também, dos acontecimentos que trouxeram alegria e das vivências.

Ali, estão novamente, prontos para uma nova semana. Conversam sobre planos, conversam, leem algo juntos, riem...  não só aos sábados, diariamente.

Elisângela Feitosa
Enviado por Elisângela Feitosa em 30/11/2019
Reeditado em 30/11/2019
Código do texto: T6807700
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Elisângela Feitosa
Açu - Rio Grande do Norte - Brasil, 26 anos
95 textos (17340 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/19 00:26)
Elisângela Feitosa