Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Crítica de arte de Miss Hide Dandy

        Conheci a artista Natasha Lins em uma das festas darks da cidade de Fortaleza-Ce. A primeira impressão crítica que tive foi superficial sobre sua pintura, pois notei os tons escuros, negros e esfumaçantes, que é resultado do preto com branco que faz este noir que é o estilo apreciado pela pintora. Um dia em sua casa a vi pintar o “fly”, ou seja, o cartaz do evento “Gotham”. Suas pinceladas eram concentradas e suaves como deve ser a alma feminina. Figuras fantasmagóricas saltavam desse cartaz e podia-se encontrar caveira e morcego. No entanto, o que mais chamava a atenção era a atmosfera de cemitério no cartaz. Parecia que os mortos tinham se levantado para ir ao “Gotham”. Contudo, o momento certo do brilho, da nitidez e de ser opaco é onde pode estar guardado o segredo dessa pintura do cartaz.
        Outro dia em minha casa, Natasha apareceu com uma colagem artística que lhe tinha comprado. Todavia, o que chamou atenção foi outra tela de estilo diferente do noir que ela costumava fazer. Esta tela era clara e retratava o dia. Com tons de luz que mudavam conforme o espaço da paisagem de monte, árvores e um tom de azul claro e límpido. Esta tela em particular mostra o quanto a artista é versátil em sua sensibilidade por conseguir sair do noir e ir a mais pura claridade do dia que lembra a escola do Impressionismo.
        Neste último evento gótico da cidade chamado “O Sarau dos Malditos”, da Underdark Produções, ela mostrou outras obras, onde se encontra umas figuras em preto e branco em estilo infantil. E uma mulher abraçando uma garota ambas de tons sombrios, mas com faces em prazer de harmonia e nelas o brilho causado pela mescla do preto e branco é a beleza da pintura. E o que dizer da caveira pintada também em noir? A não ser que passa de um mistério que intriga o espectador. O mesmo mistério que Odilon Redon passa por meio do simbolismo da morte.
        Se neste ensaio não existe argumento de uma crítica negativa das obras da artista, é por falta da memória e não por omissão crítica do esteta, que fez o texto conforme a Estética sensualista, ou seja, por meio dos sentidos.
Alexandre Ramos
Enviado por Alexandre Ramos em 01/12/2019
Reeditado em 01/12/2019
Código do texto: T6808369
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Crítico Esteta Alexandre Ramos). Você não pode criar obras derivadas.
Compartilhar no WhatsAppCompartilhar
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alexandre Ramos
Fortaleza - Ceará - Brasil
15 textos (423 leituras)
5 e-livros (80 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/19 22:27)
Alexandre Ramos