Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O MESTRE, O ESTIGMATA, FRANCISCO DE ASSIS...



4 de outubro de 2011 às 13:54
 “O ardor do desejo o arrebatava em Deus e um terno sentimento de compaixão o transformava Naquele que quis ser crucificado. Certa manhã, enquanto rezava no flanco da montanha, vê a figura como de um serafim, com seis asas tão luminosas quanto incandescentes, descer da sublimidade dos céus: o mesmo, com rapidíssimo vôo chegou junto ao homem de Deus e então apareceu a efígie de um homem crucificado, que tinha mãos e pés estendidos e pregados sobre a cruz... Vê-lo pregado na cruz lhe traspassava a alma. O amigo de Cristo estava para ser transformado inteiramente no retrato visível de Cristo Jesus crucificado... Assim o verdadeiro amor de Cristo havia transformado o amante na própria imagem do Amado”.
Disponível no site: http://brasilfranciscano.blogspot.com/2010/08/sao-francisco-de-assis-o-poverello.html, em 04.10.2011.

Ainda hoje lembro o nosso Hino de Cordígeros – Franciscaninhos, ou Franciscanos da 4ª Ordem.
Todo dia 04.10, após a celebração da missa, entrávamos em forma para a procissão pelo pequeno Vilarejo – A VILA FRANCISCANA/ALAGOAS/NORDESTE/ BRASIL.
Em frente a pequena capela, formávamos três filas.
Frei Otávio, portando o Ostensório, ladeado por quatro coroinhas, portando turíbulos, que fumegavam, queimando aromáticas pedras de estoraque, iam à nossa frente. Logo atrás, nós, as Codígeras (no Orfanato só havia meninas), em fila tripla.
Irmã Cecilia sempre me colocava na primeira fila, após o Ostensório, entre duas colegas que carregavam cordeiros.
A mim era confiado o Estandarte Franciscano.
Uma haste longa de madeira encimada por uma bandeira, onde estava bordado o Símbolo Franciscano: O braço nú, de Christo, ostentando sua mão perfurada, sobre o braço vestido, de Francisco de Assis, ostentando, também, sua mão perfurada e abaixo desse Ângulo Sagrado, uma manada de cordeiros(nós, as Cordígeras).
Cantávamos com uma emoção, parecida com a que sinto agora, que me leva as lágrimas. O som do Hino reverberava nos morros que circundam o Vilarejo, fazendo eco:

“De Francisco Pequenos Soldados
são Felizes Pioneiros do Amor,
do Ideal da Virtude Sagrada,
desfraldando o Pendão do Senhor.

REFRÃO
Os Cordígeros ardentes de vida
Amam a Luz, a Bondade, o Candor.
Amam ao Céu e a Campina Florida.
Cantam Hinos, contentes, de Amor.

Sus Cordígeros todos cantemos,
De Francisco o Sagrado Louvor
Ele é o Pai e o Mestre que temos
Ele é o Guia na Senda do Amor.

REFRÃO
Os Cordígeros ardentes de vida
Amam a Luz, a Bondade, o Candor.
Amam ao Céu e a Campina Florida.
Cantam Hinos, contentes, de Amor.”

Fui criada para ser um Guerreiro de Francisco de Assis. Sei que sou um Ahroun envelhecido, um Filho de Gaia, Impuro.
As vezes chego a crer que sou um Philodox, mas... quando vejo cenas contra os Meus Irmãozinhos, a quem fui ensinada a Amar e Respeitar... descubro que o Amor nem sempre é ser tolerante ao extremo.
Que o diga quem escreveu: Cf. nota em Mc. Cap. IX, Vers. 45/48.
Adda nari Sussuarana
Enviado por Adda nari Sussuarana em 12/02/2020
Código do texto: T6864357
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Adda nari Sussuarana
Maceió - Alagoas - Brasil, 66 anos
331 textos (8035 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/02/20 16:38)
Adda nari Sussuarana