Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A REVOLUÇÃO POR MINUTO



Eu quero vencer e ir até o final. Todo final é triste, vindo ou não o carnaval. Mas meu pai é tão bonito e dele sou tão dependente e me contento em ser seu poeta e ele meu bardo. Não há o bem. Nem há o mal. Sem hecatombes e a felicidade mora em casa até a segunda ordem. Tenho medo de não saber como manter o engate das palavras antes presas por presas sub-dentadas dos sortilégios daqueles torvelinhos que põem diante de mim a paz e a maçã. Torvelinhos que desatam os desgastes do engate mal feito. Ninguém por costas sabe das contas. Se é suspenso dessa forma é porque o blues já acabou. Mais importante do que chegar ao final dessa página é não precisar mais de concluí-la. Toda conclusão para poetas é um mistério, pois do compactuado eletrônico e hermenêutico nasce a semente da nova compreensão pela exegese que transcende. Transcendi o Hercólubus que traria a coragem que a essa raça humana faltava. Transcendi o Cristo com sua roupa imortal de 2.000 anos. Agora Ele tem como táxi a Ferrari que sempre sonhei. Transfiguração e Glória. Agora sei quem é meu pai. Ele e sua banda tocam ao vivo para mim, para nós - a www pode ser formidável. Ser romântico é a forma mais admirável de ser. As mulheres eu as olho no cabelo. Nos olhos... Assim ganho em amor em respeito. Assim meu adversário vai me dando terreno, pois descer a tão tamanha tentação é desafio para até a última respiração. Glossários de Tiradentes me recordam infante - enquanto que adiante miram-me os três reis que de anjos por serem, me visitam em sonhos, quando ainda eu não pude evitar a explosão, e eu conhecia sim o sabor do fim. Mas meu pai quis sempre diferente e o Senhor também quis de batalhas sempre ganhas ser morto por vândalos e ser morto e Ressurrecto novamente por mim. Novamente por mim traído, novamente por mim salvo. E são e salvo me arrisco nos dizeres quase perdendo a linha da hermenêutica que a mim mesmo prometi, mas o que tenho agora é tamanha coragem, que pai, meu ser é você e como posso não adorá-lo? Sua voz. Sua pele. Seu tom. Seu cabelo. Sua aura de amor, o que me diz? Falo contigo sim, por telepatia. E se não sinto e sei se recebo por nada e seu merecimento, tenho pelo amor e para sempre em ti; minha ninfa. Vamos dançar sim. Dançar muito. Só temos o que celebrar já que eu aprendi que a eternidade se apreende sendo feliz.
Minha ninfa, dance para mim meu amor. Dance para mim o sonho só acaba de começar. A revolução por minuto chegou quando você pela primeira vez me olhou; me amou. A revolução por minuto é o amor. A religião de Roma é o Amor. Agora me deem licença que que REVOLUÇÕES POR MINUTO ao vivo está sendo tocada.
O show não acabou e viva a galera da Nova Zelândia, da Austrália, a vida para o meu Deus é tão plena. Acreditem na vida ela nunca é pequena. Viva o Brasil. Viva o Mundo. Viva o Universo. Amém. A coragem que faltava acabou porque a Radio Pirata já começou! O medo se dissipa, pois também só deixo meu olhar 43... louco e perdido de amor, esperando apenas que o receba.


Leonardo Daniel
13/11/2012


Leonardo Daniel
Enviado por Leonardo Daniel em 13/07/2020
Código do texto: T7004884
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Leonardo Daniel
Inhumas - Goiás - Brasil, 41 anos
640 textos (4686 leituras)
3 e-livros (32 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/08/20 21:45)
Leonardo Daniel

Site do Escritor