Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Antônio... O significado da palavra irmão!

Guanambi, 23 de abril de 2005

Antonio, agora um “Homem Completo”!!!

Então quer dizer que andas motorizado?!! Rsrs... UNO MILE ELX MODELO 1995 ?!!  reformado? Mas essa grade frontal é de MILE FIRE. Show de bola o carro. Parece ser bem conservado, diz tia que é primo do dela (segue foto em anexo).

Partindo do pré-suposto de que carro é uma paixão nacional, creio que esta foi uma grande aquisição sua. Mas que isso, a realização de um sonho antigo... onde as primeiras sementes foram plantadas há muito tempo atrás, desde os tempos de AATR-BA em 1989.

Quem te conhece sabe de teu esforço, de tua luta sempre justa e pautada na honestidade.

Eu que convivi contigo ha muito tempo – e que, quis o destino, me roubar momentos gloriosos de tua vida, os quais eu sinto uma enorme decepção por não ter compartilhado, exemplos; “noticia da gravidez, período de gestação e nascimento de Bruninha” – sei que o ocorrido é uma pequena amostra do teu merecimento. Merecimento por ter contribuído sempre para que todos nos tivéssemos o melhor. Mesmo que este “melhor” para teus pais e irmãos significasse a abdicação de um possível sonho, como foi o sonho de um ensino superior. Na verdade, para mim, um verdadeiro referencial de pessoa... pai muitas vezes. Dos tempos de Cruz quando da internação de Dona Moça; nas nossas diversas moradas em Pernambués, desde a vendinha lá em cima, até a casa de Jorge, onde ajudava a pagar as despesas com maior parte do que ganhava. Uma vida de duras batalhas, assim lembro com orgulho de ter “lutado” ao teu lado, mesmo que em momentos simples em que eu levava seu almoço – passando por “debaixo da borboleta”, ainda com a farda do colégio – em troca de meia horinha de joguinhos no PC da AATR.

Antes “Toninho”, agora Antônio... reflexo da prática nepotista por ti adotada néh “STWART”?!! Creio que esse episódio não merece destaque, pois cumprimos muito bem com o nosso dever, pelo menos me pareceu. Rsrsrs
 
A verdade é que, independente da nomenclatura usada, tu és uma pessoa admirada por todos, e mais, que soube ao longo de sua vida semear sempre belas sementes e que hoje, começa a colher os melhores frutos.

Reafirmo que muitas foram as batalhas que você enfrentou – numa boa parte dela, pode contar com todos nós; assim foi na reforma do teu apto... um motivo a mais para estarmos juntos (mesmo q fosse numa longa caminhada ladeira acima a caminho do “PARIPE – AEROPORTO”, sacanagem viu, rsrsr). Outra marca tua que sempre me impressiona é o poder de contagiar a todos com imensa alegria, seja onde for, o momento que for; desde os mais antigos (teu aniversario em Pernambués, o famoso xinxim ou em Vista Alegre as 3hs da manha numa mesa de PIF apostado a 0,05 centavos... onde eu quase sempre me exaltava.) Até os mais recentes como no 1º Silva-FEST lá em Guaibim, onde você apresentou uma performance de “Chimbinha”, sem contar a aula de swing, onde não se cansava de comandar os “bestas” Lucas, Xuú, Carol e Jully; dizia mais ou menos assim; vum’bora..., prepara..., agora, agora, agora... vaiiii. Detalhe, nunca ia, rsrsr (muito engraçado mesmo, Xuú lembra ainda hoje). Lembranças saudáveis que fazem com que possamos traduzir tua pessoa numa simples palavra; “MULEQUE” – mais que coisa feia, um homem velho desse com 33 anos nas costas e fazendo palhaçadas, rsrsr. Sempre de bem com a vida, sem muitas queixas e esperançoso por um futuro melhor. Um “chefe” amigo da peãozada... conquistou o apreço de todos os que o rodeiam na área profissional, desde a mais alta patente da Coelba, Adélia, até os menos significantes dos agentes de cobrança. Você lembra aquele tal conversador que tinha lá na Megaton?!! Dizia sempre; Eu amo Antonio!!! (Ei, se não lembra, Carioca pode confirmar... rsrs). Um zagueiro chato, daqueles que pega no pé mesmo, e que se necessário puxa pela camisa na tentativa de impedir o gol que lhe custaria a derrota. Principalmente se for conta o time de Sérgio.

É muito difícil viver longe do que um dia já foi “meu”. Como já disse, saudade é o meu pior castigo. Más não só a saudade que sinto agora estando longe de vocês. E sim aquela que começou a nascer no dia em que Junior chegou lá em Vista Alegre com a saveiro da “Prefeitura Municipal de Cruz das Almas”, com o objetivo de levar o restante de tuas coisas lá pra Paralela. Começava ali, um período de distanciamento, você indo morar “só”, deixando a saudade agregar raízes. Raízes estas que vivem até hoje, agora um pouco mais forte por conta do tempo e da distância que nos separa. As vezes me sinto bem; Saudade é reviver cada momento, sentir as mesmas emoções sem cogitar que tudo se passou há tanto tempo, assim sinto vocês um pouco mais próximos.

Me furtarei a pronunciar momentos tristes em que você esteve ao meu lado... já os sustos foram diversos... tipo o toró q alagou toda a cidade e que te fez dormir lá no Imbui, na casa de um amigo de tio João, após tomarem bebidas diversas, entre elas, cerveja quente. Outro fato foi o deslizamento de terra lá do Lobato, no horário do seu retorno para casa, onde a única noticia que tínhamos era de que 2 ônibus tinham sido soterrados. Quanta falta nos fez um celular naquela época hein?!!.

Em meio a saudade que sinto, ouço tuas palavras como uma das principais responsáveis pela “posição” que ocupo hoje.

Na adolescência as coisas são sempre tão vagas que acabam por nos enganar muito facilmente. Como você sabe, desde o 1º ano colegial que comecei a trabalhar... um estágio aqui, outro lá. Sempre metido com serviços essenciais; seja na Embasa, na Telemar ou na Coelba... rsrsrs. E como diz o ditado: “Dinheiro na mão é vendaval”. Achava eu que tinha conquistado a tão sonhada independência financeira. Os anos passaram e as coisas evoluíram. E contudo, a falsa idéia de independência se desfez. Em certo ponto, cheguei a achar que minha vida acadêmica tinha chegado ao fim. Bastava ganhar o pouco que ganhava... que tudo seguiria bem. Creio que estaria cometendo o maior engano da minha vida.

Hoje tenho certeza que a Educação – Processo de Ensino/Aprendizagem – é algo que me completa. E tenho consciência de que nada disso seria possível, se não houvesse a tua interferência – lá na casa de tia “Gracinha”, no dia das mães, quando anunciei q sairia do cursinho, e que deixaria a monitoria. Se não fosse as tuas palavras... o teu ar de recriminação em relação a minha atitude, fez com que eu pensasse mais uma vez antes de abandonar os estudos. Mais que isso, me fez rever conceitos relacionados ao meu futuro profissional. O reflexo de tuas palavras é visto na minha realidade atual. Não mais monitor, e sim “professor” de redação com alguns convites para lecionar em escolinhas de séries iniciais, convites q passam longe de minhas “ambições”.

Sei, também, que tudo tem seu preço, e que estou pagando caro por tudo isso. São meses e meses longe de vocês... a falta de reconhecimento de uma sobrinha, juntamente com o cotidiano dela, bem como todos os momentos encantadores que nos são proporcionados por crianças nesta fase; andar, falar... sem contar com a sua festinha de 1 ano.

Acho que somos dignos do titulo de “irmãos”, pois temos muitas e boas historias pra contar, apesar de estarmos tão longe no momento. E como o principal motivo era falar do teu merecimento, posso dizer que você compreendeu que “o segredo da vida não é correr atrás das borboletas e sim, cuidar do seu jardim para que elas voltem...”. e concordo contigo quando afirma ser um homem completo. Não pelo simples fato de ter adquirido um meio de transporte, mas sim por ter uma ÓTIMA esposa – que gosta muito de ti, além de te auxiliar na tua caminhada já há muito tempo. Que és compreensiva e chata ao mesmo tempo, que és consultora de moda e “bandida” quando o assunto é dinheiro, que tem “n” defeitos, mas que são pouquíssimos se comparados às qualidades que lhes são maioria. Ah, sem contar que ela lhe deu o seu bem mais valioso; BRUNA... simplesmente e incontestavelmente, BRUNA.

Sinto-me feliz e orgulhoso de ti, vejo-o como um alguém em que sempre busco inspiração para vencer as adversidades do cotidiano. Sei que devo a ti muito do que sou hoje, e essa é uma simples forma de dizer que você sempre foi, é, e continuará sendo muito mais que um exemplo de pessoa, um espelho de homem... és para mim um “ÍDOLO”. E pra finalizar uso palavras de uma modéstia e simplicidade absurdas: MUITO OBRIGADO MEU IRMÃO!!!.

Um forte abraço...

Lucas Barbosa.
Lucas Barbosa
Enviado por Lucas Barbosa em 30/08/2007
Código do texto: T630155

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Lucas Barbosa). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lucas Barbosa
Salvador - Bahia - Brasil, 33 anos
6 textos (1161 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 09:06)
Lucas Barbosa