Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Solicitação de abertura de processo de servo de Deus ao Padre Antônio Joaquim Gomes ( * 1903 - + 2003), de Jaguariúna, SP.

  Qual é a missão do ANJO da GUARDA?
20.354 visualizações•Estreou em 2 de out. de 2020
https://www.youtube.com/watch?v=7upcUHe6nEU
___________

              Faça sua comunhão espiritual hoje e agora.

               Faça logo que puder sua boa e sincera confissão sacramental... o que nos ajuda a aliviar as dores e os pesos do pesado no interior da alma e nas sofrências do corpo e mente...

               Somos uma unidade complexa e Jesus nos comece  e nos ama do jeito que somos.

                 Claro, quer-nos melhores na vida espiritual, emocional, afetiva e corporal... social e profissional...

__________________


Excelentíssimo Reverendíssimo Senhor
Nosso Bispo Diocesano
DOM LUIZ GONZAGA FECHIO
Diocese de Amparo, SP, Brasil..


Rua Barão de Campinas, 307 – Centro – CEP: 13900-110
Caixa Postal 248 – CEP: 13900-970 AMPARO/SP
Fone/Fax: (19) 3807-3192 / 3817-3434
E-mail: diamparo@uol.com.br

A sua opinião ajuda a construir um serviço de qualidade. Por isso, envie-nos suas sugestões, críticas, elogios ou dúvidas.
http://www.diocesedeamparo.org.br/index.php/contato/

DOM LUIZ GONZAGA FECHIO

Louvado e Amado seja sempre Nosso Senhor Jesus Cristo em sua pessoa!

Dai ao meu lar e meu filho e à minha esposa Do Carmo sua bênção!

Solicitação de abertura de processo de servo de Deus ao Padre Antônio Joaquim Gomes ( * 1903 - + 2003), de Jaguariúna, SP.

“Verdadeiramente é grande diante de Deus quem a Jesus se dedica com amor sincero: quem possui imenso amor.”
__ Padre Antônio Joaquim Gomes, 96 anos, antes de falecer concluiu sua existência ao asseverar-nos essa linda vivencia sacerdotal de quase um século de vida à Igreja e ao Povo de Jaguariúna e região, em espírito de pobreza, castidade, bondade, fidelidade, amor a Mãe de Deus Santa Maria Maior, em 27/07/2003 !

DOM LUIZ GONZAGA FECHIO

O povo de Deus o quer como Servo de Deus, porque:

1 º. Padre Antônio Joaquim Gomes, por mais de quase 65 anos, dedicação total e exclusiva a Jaguariúna e entorno desde novo sacerdote, quando ainda era aqui pertencente a Campinas, logo após sua ordenação.
(veja placas de homenagens a ele na Igreja antiga centenária, logo no pórtico da entrada da mesma);

2 º Homem de oração, virtudes heroicas de fé, caridade, esperança, votos sacerdotais integralmente vividos.
Padre Antônio Gomes nasceu em Remanso, Bahia, Brasil, em 14/02/1907.
Faleceu em Jaguariúna, no dia 27/03/2003, com 96 anos!

Manteve viva a chama do amor divino a Jesus e a fidelidade à Igreja como homem, católico, sacerdote.
Divulgou e defendeu o amor ao povo de Deus com o viático aos doentes, sacramentos ministrados na cidade e no campo a cavalo e a pé naquele tempo, debaixo de sol, chuva, frio, noite e dias, a qualquer hora; bastava chamar; era a autoridade eclesial mais popular e reconhecida na região;
(Veja o memorial em sua homenagem como articulador eclesial e ministro consagrado honesto e com fama e perfume de santidade até hoje.).

3º. Referência e transparência católica sustentável de amor à Igreja e à Tradição pelo povo local e regional.

Haja vista o grande número de pessoas ainda vivas cujas vidas o têm como modelo e simpática reverência e devoção.
Local de oração é a própria Igreja Centenária de Jaguariúna, onde jaz o corpo de nosso querido falecido Padre Antônio Joaquim Gomes, de Jaguariúna.
Vindo da Bahia, aqui dedicou toda a vida sacerdotal, até vir a falecer.

Assim, há a Memória Coletiva (“Vox Populi Vox Dei!” ), que vivifica a fé católica e o amor à Santa Igreja Apostólica Romana na nossa Jaguariúna por quase um século e encanta, sim, o coração da Diocese em Amparo, com a iniciativa de vários matizes culturais, artísticos, religiosos etc. Toca de modo indelével a sua pessoa, bem de perto, tenho certeza, a sua pessoa: DOM LUIZ GONZAGA FECHIO, pelo exemplo incontestável, inexorável, simples, humilde, persistente, dedicadíssimo e fiel de nosso Padre Antônio Joaquim Gomes.

E sua memória vívida e sacerdotal perdura como afirma a poetisa Adélia Prado, de Divinópolis, MG: “O que o amor ( a memória) ama fica eterno!”
Veja, pois, a iniciativa da Igreja na Porção catolicamente eclesial em Jaguariúna mantém para cultivar essa viva memória de Padre Antônio Joaquim Gomes, assim:

* Casa Da Memória Padre Gomes - Museu em Jaguariúna, São Paulo
Endereço: 1184, Rua Alfredo Bueno, 1168
Centro, Jaguariúna - SP, 13820-000

2020 Yumpu.com all rights reserved
casadamemoriajaguariuna.com.br

obs.:
Portfólio interessante sobre o Padre Antônio Joaquim Gomes, em 04 de dez. de 2008, compilado online por Tomaz de Aquino Pires: biografia, As associações religiosas, A Cavalaria de Santo Antônio, Promoção humana: da criança ao idoso, Lazer e Cultura (cine Paroquial Santa Maria e campo de futebol do Padre), Assistência Social (hospital, creche, Dispensário com alimentos e produtos de limpeza para as famílias carentes e Natal dos Pobres, Homenagem de solidariedade em 1958, Realizações de seu Sacerdócio (Semana Santa, Celebrações eucarísticas de Jubileus, Devoção à Santa Maria, ao Sagrado coração de Jesus, Cruzada Eucarística, etc.), Festa dos São Sebastião e outros santos, com procissões, quermesses e leilões (para manutenção da Igreja e as obras sociais Nossa Senhora da Assunção e missões locais), tendo boa participação do povo, priorizou a catequese de Primeira Eucaristia e de Crisma com a vinda do arcebispo de Campinas, Romaria a Aparecida, cursos de batismo e matrimônio na Igreja e Aposentadoria do Padre Antônio Joaquim Gomes em 01/10/1990 com missa festiva com presença de Servo Reis em Apresentação musical, quando Jaguariúna celebrava os 50 anos de história, o Padre Gomes completava 90 anos de vida! Data de diplomação de reconhecido cidadão Jaguariunense pelo Prefeito municipal Antônio Maurício
___ Clique em:
FONTE:
https://www.yumpu.com/pt/document/read/13026084/padre-antonio-joaquim-gomes-casa-da-memoria-de-jaguariuna

* Memorial Padre Gomes - Casa da Memória de Jaguariúna
Museu em Jaguariúna, São Paulo
Endereço: R. Alfredo Bueno, 1206 - Centro, Jaguariúna - SP, 13820-000
Telefone: (19) 3937-4062

* Associação Amigos Pe Gomes
Associação em Jaguariúna, São Paulo
Endereço: R. Cel. Amâncio Bueno, 531 - Jardim Santa Maria, Jaguariúna - SP, 13820-000
Telefone: (19) 3837-2206

4º. A piedade católica saudável que se mantém com o terço das mulheres na Igreja centenária com a invocação diária do nome e das graças e pedidos ao Padre Antônio Gomes.
O silencioso cortejo de gente e pessoas a recorrer a ele dia e noite com orações e preces e visitação ao seu retrato na Igreja Centenário. Parabéns por essa conservação linda e piedosa da Paróquia de Santa Maria Maior de Jaguariúna.

Obs.:
a) Vejamos com olhos da fé católica tradicional pura e bimilenar, nestes difíceis tempos onde a nossa fé é provocada e banalizada pela imprensa profana e a multiplicação mercadológica das seitas evangélicas.
Estas, com proselitismo ou propaganda anticatólica, se investem contra a santa doutrina católica romana e nossa prática de inestimável tradição em consagrados Cultos: a Santíssima Virgem Maria (Hiperdoulia) e aos santos, às santas, aos mártires e aos anjos (doulia).
A Igreja católica, por dois mil anos, sem descurar das ações pastorais emergentes e, diariamente, nos recomenda como imperativo vivo e eficaz da fé apostólica (A Nossa Herança judaico-católica), sempre foi, é e será fiel à Adoração bíblica e teológica à Santíssima Trindade (Culto de Latria).

b). Não somos idólatras... E nossa Igreja é fundada por Jesus, ama e sabe do amor ao Pai Eterno, à Mãe Maria e a Jesus como nosso Irmão Divino Amor Salvador na Fortaleza carismática do zelo do Paráclito sempre conosco, A Unidade Divina na Trindade das Pessoas!

c). A prática do santo Rosário e do Terço é identitária da fé católica. Por isso, o reconhecimento como Servo de Deus em Padre Antônio Joaquim Gomes corrobora nossa fé católica legítima e incentiva o amor nas famílias, na igreja sede-cúria diocesana e nas igrejas paroquiais sob sua Égide Exª Revª Nosso Bispo Diocesano DOM LUIZ GONZAGA FECHIO

5º. Há também como zelo da municipalidade a Rua Padre Antônio Joaquim Gomes, em Jaguariúna - SP, 13820-000, Brasil

Dai-me sua bênção episcopal,
Nosso DOM LUIZ GONZAGA FECHIO

Fraternalmente, suplico sua atenção, apoio e querer
na aprovação desta iniciativa não só minha como do povo súdito de Vossa Exª Verª Nosso DOM LUIZ GONZAGA FECHIO, em Jaguariúna, SP.

Agradecido,

Humildemente, peço a V. Exª Verª o retorno ou devolutiva desta carta ou solicitação a favor do futuro servo de Deus, se assim o quiser, entender, aprovar sobre o Padre Antônio Joaquim Gomes.

DOM LUIZ GONZAGA FECHIO
Tenha sempre minha admiração
e oração bem como de todo povo de Jaguariúna,
que estamos sob seu pastoreio episcopal com amor,
fidelidade, exemplo de oração, amor à Santa Missa e aos sacramentos
e obediência na fé dos apóstolos e de Roma
e da Diocese de (da cidade e da Virgem Nossa Senhora de) Amparo, Nossa Sede Episcopal.

Seu súdito,

José João Bosco Pereira
Professor, casado com Maria do Carmo, tem o Lucas Trindade Pereira, 22 anos,
Sou escritor e evangelizador católico

Mestre em literatura pela UFSJ – MG, em 2011.

Aluno da teologia e Bíblia (ex-seminarista) de Dom Walmor Oliveira (Quem o ordenou Bispo em 2011!). Foi, em Juiz de Fora, MG, Padre Walmor, meu formador entre 1981-1986)!


Iniciativa e oração a favor de Padre Antônio Joaquim Gomes.

DOM LUIZ GONZAGA FECHIO
Favor ler:
Padre Antônio Joaquim Gomes. [Vida e ação...]

https://www.yumpu.com/pt/document/read/13026084/padre-antonio-joaquim-gomes-casa-da-memoria-de-jaguariuna

Muito obrigado!

A Virgem do Amparo o ampare...



Humildemente, peço a V. Exª Verª o retorno ou devolutiva desta carta
ou solicitação a favor do futuro servo de Deus,
se assim o quiser, entender, aprovar sobre o Padre Antônio Joaquim Gomes.

____________________

Agradecido,

Por gentileza, logo que puderes tu, retorna.

Fica com Deus. Jesus te ama; e eu, a ti, idem.

Pede à Mãe de Jesus; então Jesus atenderá a ti.

Tem fé em Deus, em ti e na tua vida.


Prof. João Bosco



Deus o faça feliz sempre, aqui e na Eternidade!!!


OUTUBRO MÊS MISSIONÁRIO

Campanha Missionária 2020 que este ano traz como tema: A vida é missão e o lema “Eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8).

______________

OUTUBRO ROSA CONTRA O CÂNCER DE MAMA - EXAMES PREVENTIVOS EM HOMENS E EM MULHERES.

VALORIZE A VIDA... SOMOS TODOS IRMÃOS E IRMÃS EM JESUS... FILHO DE MARIA SANTÍSSIMA EM João 19,25-27.

________________

LEIA E CONHEÇA AS ENCÍCLICAS DO SANTO PAPA FRANCISCO:

* FRATELLI TUTTI - SOBRE A FRATERNIDADE E A AMIZADE SOCIAL

* LAUDATO SI: CUIDEMOS DE NOSSA ÚNICA CASA QUE É O NOSSO PLANETA TERRA, NÃO DESTRUINDO...

_________________


O Papa Francisco elaborou ótima Encíclica Fratelli Tutti sobre a Fraternidade em nome de Jesus segundo a ética do Santo Evangelho e viver como e por Jesus no reconhecimento e na aceitação dos irmãos ajudando na prática da caridade, do bem, do perdão, da compaixão por um mundo mais fraterno e menos desigual...

Doutrina Social da |Igreja católica contempla estas virtudes humanas e católicas. --- Essa encíclica foi escrita após e em sintonia com a visão da Laudato Si, sobre a Ecologia e os cuidados com a nossa Mãe e Planeta Terra, tão amado e tão maltratado...

--- Façamos a nossa parte atitudinal como bons católicos,
oremos, ajamos,
denunciemos, plantemos o verde,
salvemos vidas,
acolhamos a todos os irmãos de todas as latitudes e longitudes...

omos todos irmãos, SIM: em nome de Jesus amemos e perdoemos, alimentemos e encorajemos os outros... Amemos como Jesus ama a nós como somos e nos quer melhores na prática do bem e do amor sincero... ____ Síntese de J B Pereira

____ CARTA ENCÍCLICA LAUDATO SI - DO SANTO PADRE FRANCISCO SOBRE O CUIDADO DA CASA COMUM
http://www.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.html

___CARTA ENCÍCLICA FRATELLI TUTTI DO SANTO PADRE FRANCISCO SOBRE A FRATERNIDADE E A AMIZADE SOCIAL
http://www.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20201003_enciclica-fratelli-tutti.html


_____________


Leia se puder: "Toda Bíblia é comunicação de Deus-Amor-Irmão-Iluminação..."


Gn 3,15

Isaías 7,10

Cantares 6,10

Apocalipse 12

Apocalipse 7,10

----

João 13;

João 14 e 14,6,

João 17, 3

João 17,15

Atos 1,14

Gálatas 4,4

________________

PADRE ANTÔNIO JOAQUIM GOMES

DIA 27/07/ 2011 – ÀS 09 h MISSA NA MATRIZ CENTENÁRIA
ÀS 10 h PREFEITURA INAUGURA BUSTO DIANTE DA CASA DA MEMÓRIA

Meu querido, meu velho, meu amigo!Escrever sobre o Padre Antônio Joaquim Gomes para mim, é escrever sobre o Pai Espiritual de Jaguariúna de 1947 a 2003. Sua Luz permanece. Dirigente da Paróquia de Santa Maria exerceu com dedicação plena seu sacerdócio. Lembram-me as palavras de Isaías: “O zelo por tua casa me consome”. Piedade Franciscana, responsabilidade, cumpria à risca todas as festividades do calendário litúrgico, do Ciclo de Natal até a Festa de Cristo Rei, último domingo do Tempo Comum. Nunca tirou um dia para si. Dizia que veio para servir, não para ser servido. O saudoso padre de Remanso (14/04/1907), alfaiate e músico, bolsa de estudos no Diocesano Santa Maria, Seminário em Mariana (MG), ordenação na Catedral de Campinas (06/12/1942), foi pároco auxiliar em Leme e em Rio Claro. Abençoou nosso solo em 17/08/1947, como titular da paróquia e vontade férrea de pregar o nome de Jesus Cristo e os Santos Evangelhos.Repetia Sempre o Padre Vieira: - “Palavra sem exemplo é tiro sem bala”. Severo e rigoroso seu dizer era firme: sim, sim / não, não. Nada o demovia de suas decisões. Cativou o seu rebanho por sua dedicação e humildade de vida, amando e formando o povo de Deus. Deu ânimo novo às organizações religiosas: Cruzada Eucarística, Pia União das Filhas de Maria, Congregados Marianos, Irmãos do Santíssimo, Liga de São José, Apostolado da Oração. Foi bravo e conservador no pontificado do Papa Pio XII. Parecia o “Cura d’Ars”.Repetia as palavras, num sotaque baiano, de S. João Batista, M. Vianney: - “O baile é uma corrrda que o démônio arrasta para o inferrrrno”.
Com o Papa João XXIII (58 a 63) e com o Concílio Ecumênico Vaticano II iniciou-se um processo de abertura da Igreja e acolhimento aos fiéis, um novo derramamento do Espírito Santo sobre a Igreja.
Sempre fiel e obediente a Ela, renovou e inovou toda sua organização litúrgica.Celebrava na Matriz e nas capelas dos bairros. De antes d’o sol nascer até alta lua, seu dia era pleno de adoração a Jesus, veneração a Maria. Tudo por Jesus, nada sem Maria. Pregava, evangelizava. Catecismo nos sete dias da semana e aos domingos, as crianças ganhavam senha para a vesperal do cinema. Missas, comunhões, confissões, procissões, terços, ladainhas, bênçãos, festas religiosas, quermesses. A imagem da Mãe de Jesus visitava as famílias. Fazia entronização do Sagrado Coração de Jesus nos lares e havia a devoção constante das nove primeiras sextas-feiras do mês. Em todas as noites de maio, havia, em volta do jardim, a procissão com flores a Maria. Nas festas trazia confessores extraordinários. As Missões Redentoristas derramavam o Espírito Santo na vida da Igreja. Nas festas aos santos e padroeira, as pregações, a vivência aos sacramentos da Igreja, bênçãos de Jesus Eucarístico, tudo corroborava para confirmar a fé.  Artísticos andores, altares com flores naturais, alvoradas, repiques de sinos, bandas, rojões de vara, havia planejamento!Administrava a Paróquia com parcimônia e trouxe êxito para as Obras de Assistência N.S. da Assumpção. Quando Jaguariúna era distrito pacato, a Igreja foi apioneira na assistência social. Amava os pobres, os pequeninos e os idosos. Cedeu a Casa Paroquial para servir. Fez seu quarto na dispensa fria e montou, na casa, dispensário, trazia médico, enfermeiras, dentista, advogado. Realizava com alegria o Natal dos Pobres. Criou a 1ª Creche, ganhou terreno e mandou construir o Lar dos Velhinhos, seu sonho. Para esportes, lazer e cultura ganhou a quadra que se tornou o Campo do Padre e comprou a quadra onde queria construir um hospital. Nesta se construiu, mais tarde, a Nova Matriz. Construiu na década de 50, a sede do Padre, isto é, o cinema-teatro com salão e salas (catequese, cursos de pastorais, corte e costura, salas de aula, datilografia, etc.).A Igreja ganhava  terrenos e também comprava-os para a construção de Capelas em todos os bairros. Construiu algumas delas. Com 83 anos, a seu pedido, entregou a Paróquia a seu sucessor, Pe. Veríssimo, em 01/10/1990. Dizia que não queria prejudicar a Paróquia. Recusou-se a morar no Retiro dos Padres em Campinas. Ficando lá, não veria diariamente o seu rebanho. Continuou celebrando, concorridas missas. Atendia, diariamente, aos fiéis na casa de quintal onde se instalou. Seu sorriso era nossa visita: confissões, aconselhamentos e bênçãos. Atendia a nós todose aos irmãos das cidades da região. Até os 90 anos, participava da Mesa de Renovação Carismática Católica de Campinas, em Itaici. Era o confessor muito requisitado. Frequentava em todas as noites, quando possível o “Jaguariúna Rodeo Festival”. Era homenageado. Recusava-se a sair do rodeio antes do término do Show. Dizia: - Veja Meu filho, a alegria do povo nas arquibancadas! É a ação do Espírito Santo no povo de Deus!Zelo, amor, acolhida, saudade!Em 27 de julho de 2003, com 96 anos, com o Rosário nas mãos, Santa Maria conduziu-o a Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida. Sua vida, seus ensinamentos, suas lembranças permanecerão neste Memorial e para as gerações cristãs vindouras. “Padre Antônio não vai passar, porque está dentro de nosso coração!” E de nossa História! Como canta Pe. Zezinho, Pe. Gomes, com seu exemplo, invocou ao Senhor Jesus: “Põe sangue novo nas veias da tua Igreja!” Parabéns  Pe. Antônio! Parabéns Igreja! Parabéns ao Clero! Meu querido, meu velho, meu amigo!

TOMAZ DE AQUINO PIRES


++++++++++++++

MEMÓRIAS DOS TEMPOS DE PADRE GOMES

Felizmente as Boas Festas retornam todo ano para aqueles que, pela graça divina, presenciam o milagre da vida desfiando o seu fio. Nesta época lembramo-nos dos alegres acontecimentos da pequena Jaguariúna: o Padre Gomes, a Missa do Galo, o Presépio, o Bom Princípio do Ano Novo. Nele a Banda tocava a noite toda   pelas ruas. O Dia de Reis era outro grande Dia Santo. Sentimos ainda o perfume do incenso que desprendia do turíbulo agitado pelos coroinhas. Ouvimos ainda as músicas do Coro Santa Cecília, sonhamos com nossas Mães de mantilhas pretas, nas associações religiosas com suas insígnias... Nas casas, além do Presépio, as Mães trabalhavam tortas, massas, assados,  doces de pêssego e de figo, roscas e caçaroladas italianas...Com muita antecedência preparava-se o o Natal do Senhor. Seu Vigário cuidava do “Natal dos Pobres”. Realizavam-se quermesses e listas de donativos que patrocinassem o caridoso evento. D. Bruna Masotti de Almeida foi uma das primeiras coordenadoras do movimento. Em torno dela seguiam-se muitas senhoras que recolhiam prendas, compravam tecidos em Americana. Visitavam as Fábricas de Brinquedos e de Doces. Ganhavam brindes e compravam muito do que necessitavam a preços com descontos. Cortavam os tecidos e costuravam, em suas casas, roupas infantis de diversos tamanhos. Juntavam a isto bolas e bonecas e saquinhos cheios de doces. O Padre sempre ensinou que Natal era enxergar o Cristo em cada rosto do próximo. Nos tempos antigos tudo era muito simples e até difícil para todos. Para os pobrezinhos tudo se tornava mais dificultoso ainda. Os Pais de Famílias orientados preenchiam um cadastro para os Filhos virem receber um presente do Menino Jesus. O Padre não apreciava o termo Papai Noel... Muitas crianças e seus pais, naquela época, não conheciam xarope de groselha, nem pão com mortadela que era servido no Domingo antes do Natal, depois de ganharem os presentes. Com o passar dos anos, farto almoço preparado com amor por grande equipe de senhoras servia as famílias inteiras que se enfileiravam na calçada da sede do Padre. Lá o movimento era intenso tanto quanto a alegria dele que, neste dia, almoçava com os pequeninos. Quem presenciou este gesto concreto ou teve alguém de casa que exerceu tal voluntariado sabe da satisfação extra que aquilo proporcionava às Famílias, aos voluntários, à Igreja, ao povo de  Deus. Era Natal de Jesus! Naquela época todas as Famílias celebravam o “dono da festa”!
Tomaz de Aquino Pires


________


PADRE   GOMES   E   A   CAVALARIA   DE   SANTO ANTÔNIO

No dia 17 de agosto de 1947, Padre Gomes chegou ao Distrito de Paz de Jaguariúna. Paróquia pequena, dava para atender também à demanda religiosa da Capotuna, da Vila de Guedes, Tanquinho Velho e das famílias moradoras nas fazendas.  Celebrava missa nas 1ªs sextas-feiras do mês, assim como na festa dos santos e padroeiros das Capelas de fazenda e das citadas vilas. Havia festa de arromba no dia de Santo Antônio na Capela da Faz. Sta Francisca do Camanducaia de Totó Valente. Lá conheceu piedoso administrador, Sr. Francisco Parizi. Ele o vinha buscá-lo de charrete para as celebrações.  Deste conhecimento, nasceu o convite para organizar uma cavalaria em homenagem ao milagroso santo. Ambos convidaram os congregados marianos e estes avolumaram o grupo, buscando fazendeiros, sitiantes, moradores da Vila que eram cavaleiros a fim de participarem da piedosa cavalgada. Convidou também o Pe. Astério Paschoal, experiente na organização de uma procissão de cavaleiros. Assim na Festa de Santo Antônio de 1949 aconteceu a 1ª Cavalaria. Ela saia da referida capela da Sta. Francisca, através de estradas rurais,com ordem e silêncio, caminhava  em clima de homenagem cristã. Era autêntica procissão de cavaleiros. De lá já adentrava Capotuna e Guedes, passando pelo pátio da Estação Ferroviária, pelas  duas Capelas  e dirigia-se ao centro da Vila em aprimorado desfile cujo término acontecia na frente da Igreja Matriz, sob o repique dos sinos e espocar de fogos. O povo acorria ao centro histórico da Vila. Os moradores da zona rural já vinham com seus cavalos e suas famílias de charretes e cabriolés. Os congregados marianos vinham com suas insígnias. Com muito respeito e, segundo costume da época, os cavaleiros organizadores e participantes trajavam paletó e muitos, gravata.  Deste modo frequentavam a Casa de Deus, assim como os cinemas e espetáculos teatrais, iam aos casamentos. Os Pais traziam seus filhos cavaleiros e o melhor ensinamento era o exemplo dos mesmos. Padre Gomes repetia incessantemente Padre Vieira: -“Palavra sem exemplo é tiro sem bala”. Posicionava-se o bondoso “Chafi” (Serafim Abib), no alto da torre da Igreja. Fotografava por amor à arte. Era advogado por formação. Foi vereador. A praça central ficava coalhada de gente, parecia um formigueiro. Os cavaleiros perfilados paravam diante da Igreja e viravam-se acolhendo a carroça toda enfeitada que trazia a imagem de Santo Antônio e o pároco, acompanhado dos coroinhas. Em seguida, por último, aproximava-se o carroção puxado por fortes alimárias que transportava a banda regida pelo Maestro Paulo de Moraes Penteado. Após sermão sobre as virtudes e milagres do santo como modelo para se chegar a N.S. Jesus Cristo, todos recebiam no mais profundo respeito a Bênção e o pãozinho bento de Sto. Antônio. Esta procissão de cavaleiros repetiu-se, segundo a tradição oral, nos anos 50 e 51. Ela foi retomada por incentivo de Pe. Gomes que enviou o Sr. Manoel R. Seixas a retirar orientações com o Pe. Paiva em Mogi-Mirim, no ano de 1973. Depois recebeu o nome de Cavalaria Antoniana e o patrocínio da Prefeitura Municipal, na gestão do prefeito Francisco Xavier Santiago.Sr. Manoel convidou o Sr. Anísio Teixeira de Aguiar que já tinha um grupo de cavaleiros ,pois pagava promessa a N. S.ª em  Morungaba. Este senhor abraçou de tal forma a Cavalaria que foi um dos responsáveis por sua realização nos 40 anos seguintes.

Tomaz de Aquino Pires


J B Pereira
Enviado por J B Pereira em 11/10/2020
Reeditado em 23/10/2020
Código do texto: T7084895
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2843 textos (1581198 leituras)
35 e-livros (542 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/05/21 10:36)
J B Pereira