Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto



Mas que grande balela
que falam dessa tal idade
dizem que ela é tão bela
que é só alegria e felicidade!

Mas não pensam  o que os véinhos
pensam e vivem  nela então
mesmo estando inteirinhos
garanto não é assim tão bão...

Essa vida é tão danada
apronta peças para nós!

Quando jovens e afogueados
cada um deve  sair e se virar
trabalhando  como danados 
e em casa não podem ficar!

Chega a tal  dessa idade,
tempo eles tem de montão
e a véinha trepadeira,
não qué saber de nada não.

Quando chega a aposentadoria
ou o véinho morre e deixa na mão
a viúva  triste e bem sozinha
sofrendo do mal do coração.

Agora tão podendo em casa
ficar sempre sem sair
ficam  só se esbarrando e
não conseguem  nem dormir!

Então minha gente eu digo
vamos aproveitar o tempo bom
depois nem achamos o umbigo
em meio dos pelancas do "barrigon"...rsrsss










000o000o000o000

Se eu tivesse feito uma aposta, teria ganhado.Ao postar, tinha certeza que viria uma brincadeira assim e de quem???Sobrou até pro Airam .Pedrinho e pro Catulo.rsrsr...

Tão dizendo por aí
Que acha a terceira idade 
Melhor de se divertir 
E fazer farra à vontade 
Tudo bem que o tempo sobra 
Mas o velho não tem cobra 
Nem a velha tem vontade !

Para falar a verdade 
É só olhar pro Airam 
Que acha dificuldade 
Em levantar de manhã 
De tarde e de meio dia 
Come papa de água fria 
Por não comer mais mação 

Pedrinho já está tantã 
Não pode mais fazer festa
Diz que namora uma fã 
Mas não sei que fã é esta 
Que deve viver no choro 
Pois o que tem pra namoro 
Há muito tempo não presta

De Catulo, nada resta 
Além do esquecimento 
Vendo mulher, coça a testa 
Olha e reflete um momento 
O sangue gela, não ferve 
Pois não sabe pra que serve
Esse belo monumento 

Pense um velho numa farra 
Com uma banda de forró 
No primeiro agarra-agarra 
A coluna dá um nó
Dentadura escapulindo
Peito de véia caindo 
Sobre um velho caxingó 

Por isso eu acho melhor 
Farrear enquanto moço 
Quando velho, tenha dó 
Já não segura o pescoço 
Faz merda feito criança 
Quando vai dançar balança 
Só a carcaça e o osso 

Gente, quero externar meu grande respeito aos idosos, salientando que isto é simples brincadeira. Bravo poeta e beijos no coração!!!



000o000o000

Nas cores do mundo, soneto editado, / Descrevi o entendimento a respeito.../ Passo dos sessenta, e do meu jeito, / Venço desafios dos mais inesperados.../
 Jacó Filho

000o000o000
A amiga Rejane mexeu,// foi com a minha careca.// Foi falar mal é da idade,// Do umbigo e da perereca.//// Aqui ninguém escorrega,// Apesar da terceira idade.// Falou e comprometeu,// Os poetas do corega.

Do Heliodoro nem falo,// Porque de miss já tem calo,// Eu sou gaúcho e ainda ralo,// e macho não caí do cavalo.//// O que acontece com a gente,// Não é problema de idade,// É só de iluminação!// Por mais que o homem tente,// acender a propriedade,// A lanterna deixa na mão!

Mas agora ta resolvido,// ao menos pra gente magra,// e para os velhos faceiros:// Pras velhas “despelancar”// é só tomar o Viagra,// abraçar o travesseiro,// E mandar a velha rezar.

Um abraço gaucho.
Rejane Chica
Enviado por Rejane Chica em 18/09/2009
Reeditado em 20/09/2009
Código do texto: T1818045
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rejane Chica
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
1387 textos (157932 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/19 08:07)
Rejane Chica