Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MAYSA VISITA HLUNA

* PERSONAGENS:
- Maysa - Maysa - Porto Alegre/RS
- HLuna - Helena Luna - Fortaleza/CE
- José - José de Castro - Natal/RN

Maysa, pensa...pensa...pensa...pensa
E acha que a vida, tá muito enfadonha
E sem pensar...resolve se aventurar
Por outras bandas, sair dos ventos do Sul
Arruma suas coisas no cavalo bom, bonito e corredor
Se vestiu de Prenda, com chapéu, botas e esporas
Sem esquecer, da faca na bota e da erva para o chimarrão
E se vai...vai...vai...vai...ops...contra-tempo? Facãooooooo!...
E segue viagem...olhando lindas paisagens, que jamais viu
Paradas...só para banhos, se encostar no seu Pingo e dormir
Continuando a viagem, Maysa já passou por várias cidades
Pois montada em seu Pingo, já fazia, mais de mês ou mais
Olhou uma placa, estava escrito: Seja Bem Vindo ao Ceará
Nem acreditou, falando consigo mesma disse:
- Como posso ter andado tanto!...
- Preciso de um computador urgente!...
- Mas onde vou conseguir?
- Vou perguntar pra aquele aplastado que tá alí
Maysa - Oohh, seu moço aplastado, onde eu consigo um computador?
O homem olhou pra Maysa surpreso e....caiu na gargalhada!...
José - A moça tá fantasiada do que? Arriba desse cavalo?
Maysa - De "palhaça" moço, mas sabe me dizer onde posso usar um computador?
José - Sei, despois daquela rua, dobra a direita, de primeiro, aí...
Maysa - Deixaaaaaaa, obrigada!...
Maysa montou no seu Pingo, andou um pouco e voltou
Maysa - Moço, tu conhece a gente que mora aqui, nessa cidade?
José - Conheço todo mundo, a moça me chama de moço, mas eu sou velho aqui
Maysa - Sabe onde mora a poetisa HLuna?...Helena?
José - Mas claro, passo toda somana pra prantá flor na casa dela
Maysa - Mas bahh tchê, então sobe na garupa do meu Pingo e me leva lá
Chegando na frente da casa...Helena olha espantada o seu jardineiro
Helena - José? Adonde você arrumou essa mulher arriba desse cavalo?
José - Dona Helena, não fica tiririca, essa salvage me tromento!...
Maysa - Tu não mentes Joséé, tu não sabes, mas ando com a faca na bota
José - Ai...essa mulher tá com tenção de me passá a faca
Helena - Melhor ter mão e acalmar os ânimos, vá pra casa José
Helena - E você?
Helena - Quem é você e o que faz aqui?
Maysa - Mas bahh tchê, vim montada neste Pingo, lá do Minuano do Sul
Maysa - Sem tomar meu chimarrão, e sem comer churrasco com fogo de chão
Maysa - Me aplumei segundo as prendas, lá do meu Rincão, chego aqui tu não me conheces?
Helena - Bem, entonce você deve ter areardo-se
Maysa - Tá bom, eu tiro a roupa de "palhaça"
Maysa arrancou as mangas do vestido, os laços as fitas os babados, rendas, deixou o vestido pelado e comum. Tirou as botas, e o chapéu e mostrou bem a cara.
Helena olhou...olhou???
Helena - Maysa? Do Recanto?
Maysa - Uuffaa, até que enfim...
Helena - Mas adonde você veio montada nesse cavalo?
Maysa - Já te falei, lá da minha terra, sem me achicar
Helena - Entonce você tinha rezão
Maysa - Mas bahh Tchê, e como não?
Helena - Entonce vamos entrar, adonde veio é muito longe
Maysa entrou e um vento passou....
Helena - Chiii, que inhaca, pituim...que pixé
Maysa - O que? Dá pra falar Português?
Helena - Só queria pergurtar se você quer tomar um banho
Maysa - Ahh, quero muito, não tô acostumada com o calor daqui
Maysa se banhou, se perfumou, arrumou-se e saiu
Helena - Agora sim, parece com você, com os olhos verdes
Maysa - É, são tão verdes feito cuspe de mate, da cor da erva do chimarrão
Helena deu uma risadinha sem graça...esses gaúchos!!!
Helena - Maysa, me conta como foi sua viagem até aqui
Maysa - Bem, tu sabes né, sempre tem um guapo querendo arrastar a asa, mas eu resolvi esses contra-tempos no facão e cá estou aqui
Helena - Pensei que você era perereca, mas você tem sustança
Maysa - O que? Perereca? Sabes o que é perereca na minha terra?
Helena - Não, mas o que eu disse pra você, é que você é alta
Maysa - Hã!
Helena - E como você vai voltar?
Maysa - Do mesmo jeito que vim, montada no Pingo e lutando como Anita Garibaldi
Helena - Você deve está com fome, viajou tanto!
Maysa - Sim, muita comeria um boi
Helena - Bem, tenho comida e bebida pra uma somana: Beiju, Carimã, Chibé, Crueira, Mocororó, Paçoca, Pamonha, Pipoca e Tapioca e pra menhã de menhã tem muita fruita, que tal?
Maysa - É? E as poesias?
Helena - Ué...passou a fome?
Maysa - Saudade da minha terra, já faz quase dois meses, com um churrasco a assar, no fogo de chão, um guapo a violar, numa noite a estrelar, tomando um belo chimarrão, ir nas festas de galpão, com um guapo pilchado que me enlace pra dançar, com meu vestido de prenda a rodar.....
Helena - Maysa...Maysa...Maysaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!
Maysa - Uuiii...que susto!!!
Helena - Só podia, você estava sonhando
Maysa - Helena, obrigada pelo banho, foi tri legal te ver, mas bahh tchê, deu pra ti...vou pra Porto Alegre tchau!!!
Maysa Barbedo
Enviado por Maysa Barbedo em 01/12/2006
Reeditado em 27/03/2008
Código do texto: T307057

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maysa Barbedo
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
2967 textos (327861 leituras)
7 áudios (1543 audições)
104 e-livros (20177 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 05:36)
Maysa Barbedo