Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NO SEA USTED UN ALFENIN

 Com todo este tamanho, quando jovem cheguei a pesar 60 quilos. Devia ser um rapaz deveras elegante, deve ter pensado a gentil leitora. Engano. Naquele tempo, o padrão de beleza masculina eram os meninos fofinhos, magreza era suspeita de pulmão fraco.
Era moda solicitar os prospectos de Charles Atlas, um fortão que prometia lhe dar um corpo musculoso em poucas semanas. Sua propaganda era do tipo “antes e depois”. O depois era evidentemente ele, com seu físico de Mr. Universo, e o antes era um minguilitinho, debaixo de cuja foto havia uns dizeres: “no sea usted un alfenin”. Tá certo que eu não queria ser um alfenin, seja lá o que fosse, mas nem ousava sonhar com um corpo definido. Cadê dinheiro para conseguir esse milagre? Por isso, resolvi melhorar a imagem por conta própria.
O difícil foi conseguir o primeiro quilinho. Ingeria, numa refeição, vitamina que substituía o almoço, mais o próprio almoço, além de fazer uma boquinha adiantada na vitamina que substituía o jantar.
Com esse sacrifício, consegui a primeira mexida no ponteiro da balança. A seguir, com abnegação, sujeitando-me a abomináveis macarronadas, detestáveis picanhas ou deploráveis feijoadas, consegui chegar aos noventa (quilos naturalmente). O problema é que resolveram mudar os padrões de beleza masculina: agora vamos dar chance aos magros!
Com a mudança, os vistosos bíceps saíram de moda. Charles Atlas, se não foi à falência, teve de mudar radicalmente seus prospectos. Sua propaganda passou a ostentar, no lugar do “antes” um jovem bochechudo, com os dizeres: “no sea usted un Delfim!”. E no “depois”, agora sim, as fotos magníficas de uma vara de bambu (o modelo estava de perfil), com tudo o que mandava o figurino: braços angulosos, peito de tuberculoso e costelas transparentes. Pois é, nessa eu dancei, pois não consegui voltar à antiga forma. Às vezes, cabisbaixo, lembro-me com saudade de meu velho osso saltado da clavícula. Ah, hoje iria causar inveja!

Hilton Gorresen
Enviado por Hilton Gorresen em 02/09/2007
Código do texto: T635115

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Hilton Gorresen
Joinville - Santa Catarina - Brasil
114 textos (81974 leituras)
1 e-livros (197 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 22:10)
Hilton Gorresen