Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pérolas do Cotidiano - Carteirada Eleitoral.

PÉROLAS DO COTIDIANO

* Paulo Guiné – 25/10/2007 *

Carteirada eleitoral

              Quando o motorista do ônibus viu o cronista — que entrara pela porta da frente —,  acenando para ele uma linda carteira que ostentava imponentemente o brasão da República, encimado pelos dizeres TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL, fez uma mesura, tirou o boné e falou:

               —  Acomode-se, Doutor.  É uma grande prazer receber figura tão ilustre nesta humilde viatura.  Tenha boa viagem.

               O golpe havia dado certo.  O cronista ainda é jovem.  Não tem direito a passe livre em canto nenhum,  quanto mais em coletivos, sejam eles urbanos ou não.

               A carteira que exibira, com tanta convicção, para viajar gratuitamente, era nada mais nada menos que um porta-títulos de eleitor que, na véspera, havia lhe sido ofertado por  um amigo, candidato a Síndico no prédio onde reside.

               O cronista ainda quis esnobar.  Antes de soltar do ônibus, desejou ao motorista “bom trabalho” e “feliz votação” nas próximas eleições, a realizar-se em 2008.  O homem agradeceu e disse:

               — O DOUTOR É MUITO INTELIGENTE.  TAMBÉM  TENHO UM PORTA-TÍTULOS IDÊNTICO A ESSE QUE O SENHOR ME EXIBIU NA ENTRADA.  AGORA, POR OBSÉQUIO, PASSE O DINHEIRO DA PASSAGEM, LEMBRANDO QUE ESTE PONTO LOCALIZA-SE EM FRENTE A UMA DELEGACIA DE POLÍCIA.

              Após descer do coletivo o paspalho pensou com seus botões:  “dancei feio, quem manda querer me meter em política sem possuir nem engenho nem arte para empreitada de tal monta”.
Paulo Guiné
Enviado por Paulo Guiné em 25/10/2007
Código do texto: T708887

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Guiné
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 74 anos
22 textos (1275 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 06:55)