Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MÁXIMAS DE HUMOR - VI

Falsa cultura: ampulheta é aquele relógio usado pelo juiz que apita futebol de areia.

Vaca feminista é aquela que manda o boi pro brejo.

Caminhar a passos largos não é uma boa receita para quem tem abismos pela frente.

Nem toda traição é virtual, disse a esposa ao flagrar o marido transando com o computador.

Garçom, por favor, o meu futuro eu quero bem passado!

Tão sacana que tinha era árvore ginecológica.

O militar não foi reformado. Foi demolido.

Quem dá aos pobres é bicha desesperada.

Quando o sujeito é cara de pau cupim resolve?

Psicoterapia de pobre é trabalho.

Dentista não precisa ser ruim para cair na boca do povo.

Falsa cultura: autodidata é aquele carro que não precisa de motorista.

Quando pobre acorda rico, vai ver foi sonho...

Em casa de pedreiro a parede é de taipa.


(Frases de autoria de José de Castro, publicadas no seu livro de humor: Quem brinca em serviço – Edições Sebo Vermelho, Natal, 2003)
José de Castro
Enviado por José de Castro em 28/11/2007
Código do texto: T755768

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José de Castro
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 69 anos
2311 textos (691097 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 05:13)
José de Castro