Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DESAFIO

Quer ganhar um DVD? Não é piada.

Após atingir 50 participações, será feito um juri popular para saber qual o melhor Indriso. Quem ganhar, ganha um DVD com um filme à sua escolha dentro de uma lista de 100 (cem) filmes atuais e antigos, de arte e populares.

Não serão considerados os poemas que não tiverem qualquer relação com a foto acima, ou que não respeitarem as regras para construção de um Indriso. Quero lembrar a tod@s que o indriso não é 3-3-2 como algumas pessoas tem postado em suas escrivaninhas. Isto é dito não por mim, mas pelo próprio criador do estilo, o poeta Isidro Iturati. O Indriso é um poema formado por duas estrofes de 3 versos (tercetos) e duas (02) estrofes de um único verso (monósticos).

Acesse a lista no liink existente no final desta postagem. Se na lista não constar o filme que você deseja, você ainda pode indicar até 5 filmes, e vou tentar encontrar, ao menos um deles pra você. Não garanto nada mas tentarei.

Desafio
(Alberto Valença Lima)

Este é um desafio
que apresento a você.
Ajude a de comentários encher.

Agora componha um indriso.

E vamos todos festejar
a sua composição
podes crer, os versos vão surgir.

Inspirado na foto, com um sorriso.

*********
 
Você pode também participar do outro desafio clicando no link para acessar.

**********
 
UM POUCO DE TEORIA LITERÁRIA
 
Como fiz um desafio que inclui a criação de indrisos, sinto-me obrigado a expor, para quem ainda desconhece, uma breve explicação de como compor um INDRISO.
 
INDRISO é um estilo lietrário de poema, criado por Isidro Iturat, espanhol, nascido em Villanueva e la Geltrú, em 1973. Além de escritor, ele também é professor de literatura espanhola. Reside em São Paulo, Brasil, desde o ano de 2005.
 
O INDRISO surgiu como uma variante do Soneto, a mais tradicional das poesias e que, apesar de algumas tentativas, manteve sua forma de 14 versos divididos em duas quadras e dois tercetos, invariável ao longo do tempo. O que era quadra no Soneto, transformou-se em tercetos no Indriso e o que era terceto no Soneto, transformou-se em estrofes de um único verso no Indriso, ficando então o Indriso assim: 3-3-1-1. Ao contrário do Soneto que é invariável a apresentação dos versos, no Indriso, o autor pode alternar a ordem das estrofes fazendo variações como: 1-1-3-3 ou 1-3-1-3 ou 1-3-3-1 ou 3-1-1-3.
 
Quero lembrar a tod@s que o indriso não é 3-3-2 como algumas pessoas tem postado em suas escrivaninhas. Isto é dito não por mim, mas pelo próprio criador do estilo, o poeta Isidro Iturati. O Indriso é um poema formado por dusa estrofes de 3 versos (tercetos) e duas (02) estrofes de um único verso (monósticos). Então, postar os dois últimos versos como se fossem uma estrofe é uma forma inaceitável de poema se quiser chamá-lo de Indriso.
 
O poeta ou poetisa tem todo direito de formatar o seu poema da forma que lhe aprouver. Mas se fizer isso, não pode se arvorar no direito de chamar indriso um poema cujo formato não é aceito nem pelo próprio criador do estilo. Os versos finais obrigatoriamente estão em estrofes distintas.
Vamos então agora compor um INDRISO? Inspire-se na foto acima e componha seu Indriso nos Comentários. Aceite este desafio.

Fonte de consulta: Site Oceano de Letras, disponível em https://nuhtaradahab.wordpress.com/2012/12/18/isidro-iturat-sobre-o-indriso/ Consultado em 09/09/2017.
 
* * * * * * *

Ninguém quis ainda aceitar meu desafio
vou então abrir os seus caminhos.

 
I N T E R A Ç Õ E S
 
1. A musa, a inspiração e a composição
 
Começo agora a compor o meu poema de mansinho.
Você quer que eu diga bem baixinho
O que você deve fazer nesse cantinho?

Violão, eu uso pra compor.
A rosa para homenagear
Aos dois a mulher associo.

Ela é a musa e a inspiração.

Ninguém como ela, faz minha a composição.

(Autoria de Alberto Valença Lima)

N O T A:
Notem que, à exceção do anterior, que é de minha própria autoria, os demais indrisos estão entre aspas, o que significa, serem de autoria de outra pessoa que não eu. Os textos foram copiados e colados do mesmo modo que o poeta ou a poetisa os deixaram nos comentários. Qualquer palavra escrita com grafia incorreta ou concordâncias incorretas é de inteira responsabilidade de quem escreveu o poema.
 
*******

2. Canto
 
"Ó quanta beleza e encanto
Da rubra costela que canto
Dedilho na corda meu pranto.
 
Choro cantando esta flor
Qual meu coração alvejou
E a minha coroa adornou.
 
Que fiz pela graça receber

Para sempre, irei agradecer."

Autoria do poeta Maurício de Oliveira a quem agradeço pela participação.

*********
 
3. O VIOLÃO E A ROSA
 
"Com o meu violão toco para a rosa
Uma intensa e bela melodia
Que me deixa alegre e todo prosa
 
Componho uma música para a flor
Que desperta para ela só beleza
E recebo em troca o seu frescor.
 
Com uma linda música e linda flor
 
Sinto paz, carinho e muito amor."
 
Autoria - Orpheu Leal a quem agradeço a participação e parabenizo pela criação.

*********

4. O VIOLÃO E A ROSA
 
"Com o violão toco para a rosa
Uma intensa e bela melodia
Que me deixa alegre, todo prosa
 
Compus uma música para a flor
Que desperta para ela só beleza
E recebo em troca o seu frescor.
 
Quando fiz esta música para a flor,
 
Só senti paz,carinho e muito amor."
 
Autoria - Poeta Orpheu Leal a quem agradeço e felcito pela participação e pela criação de seus dois primeiros indrisos. Ficaram ótimos meu amigo poeta.

*********
5. O VIOLÃO E A ROSA
 
"A rosa ao violão faz companha
Em uma bela noite de verão,
Enchendo o coração de nostalgia.
 
É porque meu pobre coração
Relembra com tristeza aquele dia
Em que partiste sem qualquer razão.
 
Não culpo o violão e nem a rosa.
 
A culpada é a minha alma manhosa."

Autoria: Poetisa Rosa Regis, a quem parabenizo e agradeço a participação e a aceitação do convite. Parabéns.

*********
 
6. SERESTA DA SAUDADE
 
"Toca o violeiro a melodia
Onde transborda a saudade
Do amor que teve um dia
 
Sente ali a emoção
Na sua amada ainda se inspira
Canta o que sente o coração
 
...Na flor que ainda não murchou
 
Sente o perfume do seu amor"
 
Autoria da poetisa Lilian Vargas a quem agradeço imensamente pela aceitação do convite, ao mesmo tempo em que a parabenizo pelo lindo indriso.
*********

7. Amor de adolescente
 
"Estão em mim todos os teus sinais...
Em nossos encontros matinais,
teus versos, meus, tão originais...
 
Tuas fomes tatuadas em relevo...
Nos contínhamos...não sei se devo...
E esse jogo nos mantinha em enlevo...
 
Por que não houve desenlaços
 
Sinto-te ainda ardente, entre meus braços..."
 
Autoria da poetisa Lyzzi deste Recanto a qeem agradeço pela aceitação do convite e parabenizo pela obra apresentada, especialmente por seu o seu primreiro indriso.
*********
 
8. ANSEIOS
 
"Busca-me do fundo de meus abismos...
Rompe a superfície e atinge minhas penumbras...
Salva-me de todo o meu niilismo !
 
Tanto desejo ouvir a voz de teu violão!
Tudo o que importa é o existir em ti!
E que tragas da rosa carmesim a paixão!

Quero a tua música vibrante a me encantar !

Pra destas densas trevas eu me afastar"
 
Autoria da poetisa Esther Lessa deste Recanto, a quem agraddeço a participação, ao mesmo tempo que também parabenizo pelo brilhante indriso.

*********
 
9. SERENATA
 
"Saídos de um dolente violão
Sons suaves ecoavam lindamente!
Sem demora meu surpreso coração
 
Inteiramente aos pulos me levou à janela...
Seria o meu lindo e misterioso moreno?
E era mesmo aquele por quem minh?alma anela...
 
Seresteiro bem cantante quanto me encantou!
 
Mais ainda quando a rosa me jogou! "
 
Autoria da poetisa Esther Lessa deste Recanto, a quem agraddeço a participação, ao mesmo tempo que também parabenizo pelo belo indriso.
 
*********

10. VENDO MEU VIOLÃO!

"Uma rosa, um violão,
um luar, uma canção,
vivi por tempos o amor...

Da flor, só espinho e dor,
da canção o o dissabor
amargo da traição!

Estou vendendo o 'culpado'...

Quem compra meu violão?"  
 
De autoria do poeta Zé Roberto daqui este Recanto a quem parabenizo pelo brilhante indriso e agradeço pela aceitação do convite para participação.

*********
 
11. A FLOR E O PINHO
 
"Deslumbrante rubra cor,
Mesmo estimulante espinho,
Ó, rosa, viçosa flor!
 
Era assim o meu amor...
 
Té deixar-me aqui sem ninho.
 
O gáudio deste meu pinho,
De outrora viço, esplendor,
Calou-se... devagarinho..."

Autoria do poeta George Gimenes, a quem agradeço pela participação e o parabenizo feliz pela inovação introduzida na variação da ordem das estrofes.

*********

12. O VIOLÃO E A ROSA
 
"E deixei cair a rosa
sobre o meu violão
até ela fenecer;
 
eu estava todo prosa,
inflamado de paixão,
não pude compreender!
 
Por que ela me deixou
 
se tudo mal começou?"
 
Autoria do poeta Miguel Carqueija, a quem felicito pelo maravilhoso indriso e agradeço pela sua participação.

*********

13. UM MENESTREL À LUZ DA LUA
 
"Sou menestrel, sou turma do sereno,
Que homenageia com canções e rosa,
Com versos e prosa eu lanço o veneno!
 
Eu entrevejo em teus lábios pleno,
E, me empolga o teu sorriso airosa,
Discretamente eu balbucio e aceno!
 
Da janela um adeus um sopro ao vento.

Emudece o dedilhar... meu instrumento!"
 
Autoria do poeta Francisco Mourão a quem parabenizo pelo lindo indriso ao mesmo tempo que também agradeço pela sua participação.

*********
14. O trovador e o poeta

"O violão e a rosa, um desafio inspirador.
Coisas que inspiram o poeta,
embalam sonhos de um trovador.

Como é bom ouvir uma seresta!
Louvar sua musa com todo amor.
Sentir a natureza em festa,

inebriado de tanto torpor,
 
viver feliz o tempo que me resta."

Autoria do poeta Tildé a quem agradeço a aceitação do convite e sua participação, ao tempo que também o parabenizo pelo lindo indriso, ficando à espera do título para o poema.

*********
 
15. "Amor e paixão"
 
"Toca violão! Chama ela!
Tenho a rosa nas mãos,
És vermelha e tão bela!
 
No banco desta estação
Espero a minha donzela
Apaixonados os corações
 
Queima a chama d'alegria!
 
Vem amor, seja bendito dia!"
 
Autoria do poea Maurício de Oliveira a quem parabenizo pelo indriso composto ao mesmo tempo que agradeço a aceitação da participação neste desafio.

*********

16. NO AMOR, E NA GUERRA
 
"Diz o ditado que "vale
tudo, na guerra e no amor,
eu questiono essa 'verdade'.
 
---- O amor já nasce com a gente,
requer 'adubo', somente;
nossa sensibilidade!
 
--- Uma 'arma' é um violão...
 
Uma rosa, a 'munição'."
 
Autoria do poeta Zé Roberto a quem parabenizo pela composição do indriso em forma de cordel e agradeço pela sua participação no desafio.

*********

17. COISA ESPINHOSA É O AMOR

"Levo meu violão a serenata
Dedilhando componho uma prosa
Apaixonado jogo para ti uma rosa

Demonstrar um olhar feliz e grata
Brilham os olhos da jovem formosa
Esse amor faz da vida ficar deliciosa

De repete vem a água fria da tia chata

E gostar passa a ser situação espinhosa"

Autoria do poeta Fábio Brandão Caldeira a quem agradeço pela participação.

*********
 
18. VIOLÃO COMPANHEIRO
 
"Meu companheiro amigo
Parceiro de todas as horas
Aonde vou, levo-te comigo
 
Levo também rosa vermelha
Para aquela moça bonita
Colocar atrás da orelha
 
É no teu braço meu violão
 
Que eu choro de paixão."
 
Autoria da poetisa dinapoetisadapaz,  a quem parabenizo pela brilhante criação.
 
*********
 
19. O VIOLÃO E A ROSA ENAMORADOS
 
"A conquista foi da flor formosa.
E o canto foi do violão à rosa.
Entre eles o amor aconteceu
 
De um modo inusitado; brilhante
Entre mim e ti foi semelhante.
Foi noite de sarau encantado
 
Duplo olhar furtivo, enamorado
 
Arrebatador! Frisson cresceu..."
 
Autoria da poetisa Madalena de Jesus a quem agradeço pela participação e parabenizo pela bela inspiração.
 
*********

20. MEMORIAS

"Doces e felizes lembranças da alma...
o som de um violão,um lugar bucólico,
uma rosa vermelha,um filme que acalma,

a infância que não volta,um olhar perdido no vazio,
palavras guardadas no coração,ou nas entrelinhas,
um triste poema de amor,o abraço aquecendo o frio...

uma brisa que afaga,instiga,e dá vida à poesia,

um sorriso de criança,traz luz e alegria ao meu dia..."
 
Autoria da poetisa Cris Chanel a quem agradeço a aceitação do desafio e parabenizo pela brilhante inspiração.
 
*********

21. Som da poesia

"Ao som longínquo de um violão
Vagueio por entre o jardim
Inalando o cheiro das rosas vermelhas;

E inspirando a poesia do momento,
Transpiro a inspiração que surge
De repente e surpreendente;

Um violão, uma rosa vermelha...

E a poesia tomando vida aqui dentro."

Autoria da poetisa Virgínia de Santana deste Recanto, a quem agradeço pela aceitação do convite ao mesmo tempo em que a parabenizo pela bela criação.

*********

22. A rosa e o violão
 
"Caem dos olhos lágrimas comovidas
A rosa vermelha tocou meu coração
Você cantando tão bela canção
 
Esta é minha canção preferida
De vida, é uma bela inspiração
Cheiro de rosas, notas do violão
 
O amor é verdade, não é mera desilusão
 
Rosa, o violão o amor tocam meu coração"
 
Autoria da poetisa Norma Aparecida Silveira Moraes deste Recanto, a quem agradeço pela participação e parabenizo pela criação.

**********
 
Você pode compor, quantos indrisos quiser. Todos eles estarão concorrendo ao prêmio.l
*********

No link abaixo você encontrará a lista dos 100 (cem) filmes, dentre os quais poderá escolher o seu se for o ganhador.

LISTA DE FILMES PARA O GANHADOR DO DESAFIO ESCOLHER
 
Com mais de um ano de atraso, chegou nos comentários um poema que não era indriso pois não tinha título, mas que faço questão de aqui publicar, agradecendo a participação, embora sem possibilidade de concorrer ao prêmio pois, o desafio já acabou e o prêmio já foi entregue à vencedora. Posteriormente a autora voltou para indicar um título tornando-o um indriso. E eis o indriso retardatário da poetisa Elivete (Ellinn) deste RL.

A traição do violão
(Elivete que neste RL se assina como Ellinn)

De que adianta eu ser a rosa?
Sem o amor do violão...
Nem sei mais ser prosa.

Sem ouvir minha canção
Hoje ele toca para outro coração
Em lagrimas eu me acabo...

Como já é bem conhecido do povo

Foi aí, que a rosa ficou com o cravo.
Alberto Valença Lima
Enviado por Alberto Valença Lima em 08/02/2018
Reeditado em 22/09/2019
Código do texto: T6248406
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Alberto Valença Lima
Recife - Pernambuco - Brasil, 68 anos
1273 textos (162931 leituras)
7 áudios (957 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/19 23:38)
Alberto Valença Lima

Site do Escritor