Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A ESCOLHA SÁBIA

Justus era um bom Rei.
Soberano e justo.
Como o próprio nome indicava.
Mas sentia falta de algo: uma companheira.

Escolher uma esposa já é tarefa difícil.
Até para uma simples pessoa.
O que dirá para um Rei.
Que escolhe uma esposa e também uma rainha.

E sendo bom e justo.
Queria alguém que compartilhasse esses sentimentos.
Essa forma de agir diante da vida.
Tarefa simples? Certamente que não.

Reúne o seu Conselho.
Formado de homens e mulheres de notável saber.
Fala de seu desejo
Pede ajuda e conselhos na escolha.

Os sábios do Conselho se põem a pensar.
E pedem ao Rei um prazo.
Um tempo para encontrarem a resposta.
Para a dúvida do Rei.


Passa-se uma semana.
O Conselho volta a se reunir com o Soberano.
Perguntam a Sua Majestade?
O que ele pensa ser importante na futura esposa?

Muitas são as características de uma boa esposa diz Justus.
Muitas devem ser as qualidades da futura rainha.
Da mulher eu penso na doçura, beleza e fidelidade.
Da Rainha espero um bom caráter, bondade e justiça.

Qualidades raras de se encontrar reunidas.
Doçura, beleza, fidelidade.
Bom caráter, bondade e justiça.
Eis aí o grande desafio.

E o Conselho propõe que se faça uma seleção pelo Reino.
Seleção pelo reino? Indaga o curioso Monarca.
Sim, fazendo conhecer a todos.
Conhecer que o Rei deseja se casar, mas sem revelar as virtudes desejadas.

Dia de sol.
Praça cheia: Chega o Mensageiro Real.
Lê o Decreto. O Rei deseja se casar.
E vai escolher entre as interessadas quem vai desposar.

A notícia corre depressa.
Muitas moças se empolgam.
É o sonho de quase todas.
Ser desposada pelo Rei e em rainha se transformar.

Muitas se inscrevem.
Não havia qualquer critério prévio.
Apenas o desejo de casar.
E a Rainha do Rei Justus se transformar.

Candidatas reunidas.
O rei saúda a todas e diz:
Aquela que durante o dia melhor passar com o meu povo.
Ouvindo a este e ajudando será a escolhida.

O rei “dispensa” os guardas.
E diz que  precisará de um relatório das atividades do dia.
Relatório que será feito pelas próprias candidatas.
E apresentado no Palácio ao final do dia.

Contudo o Conselho disfarçado de povo está nas ruas.
Encarregados pelo Rei de verificar em silêncio o comportamento das candidatas.
Como cada qual se comportaria.
E a sua forma de agir.

Findo o dia das pouco mais de 30 candidatas restaram 06.
Só 06 chegaram ao final do dia.
As outras desistiram diante do contato com o povo.
E de não saber lidar com as necessidades alheias.

A primeira das seis se disse realizada.
Que ajudou a todos de forma alegre.
Ouviu e aconselhou ela disse.
Contudo o Conselho desmentiu, pois esta nem contato com o povo teve.

A segunda de disse amiga do povo.
Distribuindo alimentos.
De fato o fez.
Mas o Conselho viu que distribuiu reclamando e condenando.

A terceira e quarta sabendo que o Conselho a tudo observara.
E que o Conselho estivera nas ruas se retiraram envergonhadas.
Pois tinham maltratado pessoas.
E algumas do próprio Conselho.

Restavam duas últimas.
Que se apresentarem alegres e contando histórias.
Mas novamente o Conselho esclareceu.
Nada fizeram senão observar à distância as necessidades do povo.

E agora Rei Justus?
Não sobrara ninguém.
Como iria fazer o Rei?
Continuaria solitário?

Nisso uma moça simples foi notada na praça.
Amparava carinhosamente um idoso.
O Rei passou a lhe observar.
E percebeu nela singular beleza.

Chegou até ela e lançou lhe um admirado olhar.
Percebeu grande bondade e rara beleza.
Qual o seu nome indagou o Réi?
Selena, com respeitos Majestade.

Algo tocou os dois.
Um sentimento sublime parecia ligar a ambos.
O Rei admirado pergunta:
Não sabias da minha vontade de casar? Não quisera fazer parte da seleção?

Sim, desejava muito.
Mas não me sinto digna do Reinado.
Sou do povo e procuro amparar.
Amparar aqueles que precisam.

Faltava-me tempo. Tempo para ficar bela.
Bela e digna de um Rei.
O Conselho se aproximou:
Percebe meu Rei esta moça?

Durante o dia vive de forma simples.
Ampara a todos. Tem sempre uma palavra de estímulo.
Sorri e distribui paz para todos.
É de rara bondade.

O Rei se emociona:
Ali estavam reunidas todas as qualidades buscadas.
Tudo que um homem possa desejar numa mulher.
E também que um Rei possa desejar numa Rainha.

Ainda uma forte marca de bondade.
Estava ali a mulher perfeita. E a Rainha ideal.
Pediu-lhe em casamento. Selena aceitou.
E juntos dividiram os desafios da vida, sempre com bondade e justiça.
Santos Enid
Enviado por Santos Enid em 11/12/2017
Código do texto: T6195877
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (CONTATO PELO TELEFONE (32) 9 8832 2913 PARA COMBINAR). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Santos Enid
Santos Dumont - Minas Gerais - Brasil, 51 anos
6 textos (118 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/01/18 11:08)