Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Bruxa Pituxa

Era uma vez uma Bruxa chamada Pituxa.
Era muito baixinha, mal subia na vassoura com suas pernas curtinhas. Todas as outras bruxas riam-se dela e de sua pequenez.
Pituxa não se importava, na verdade mesmo pequena era considerada muito bela pois tinha na ponta do seu longo nariz uma enorme verruga de onde brotavam dois pelos pretos.
Para as bruxas não há beleza maior do que uma grande e feia verruga na ponta do nariz.
Pituxa resolveu extrapolar em belezura, e resolveu fazer uma poção mágica que fizesse nascer mais duas ou três verrugas horrorosas bem na ponta de seu nariz.
Lá foi Pituxa para seu caldeirão. Mas por ser pequenina não alcançava no caldeirão, precisando de um banquinho para conseguir colocar os ingredientes lá para dentro. Na sua prateleira também não alcançava os ingredientes, por isto sempre tinha por perto uma escadinha que lhe servia de auxílio.
Então Pituxa subiu na escada e pegou pó de olhos de morcego vesgo da Transilvania, desceu a escada, subiu no banco e jogou no caldeirão. Desceu do banco subiu a escada e catou dois pelos da corcunda de um Ogro caolho e fedorento do pântano lamacento da terra perdida, desceu a escada, subiu no banco e tacou para dentro do caldeirão. Desceu do banco, subiu a escada e pegou suco de suvaco cabeludo da cobra barbuda das ilhas incandescentes, desceu da escada, subiu no banco e tacou para dentro do caldeirão. O último ingrediente, um pedacinho da verruga da ponta do nariz do cachorro doido da planície assombrada, arrancado na noite de uma sexta-feira treze antes da badalada final da meia noite, desceu da escada, subiu no banco, tacou no caldeirão. Quando foi mexer tudo na fervura, seus pequenos bracinhos não alcançavam a colher direito, resolveu então descer do banco e pegar a escada para ficar mais alta.
Tirou o banco de perto do caldeirão, encostou a escada, subiu e quando ia mexer seu feitiço!!!!! Tchibum!!!! Caiu dentro do caldeirão.
Tão rápido quanto pode saltou de lá gritando, se lavou rapidamente mas o feitiço enfeitiçante já estava lhe enfeitiçando e o que era para ser duas ou três verrugas na pontinha do nariz começou a pipocar. Parecia uma panela de pipoca, cada estouro era uma verruga. POP verruga na testa, POP verruga na orelha, POP verruga no bumbum, POP verruga no umbigo, e no POP POP sem parar ela ficou toda enverrugada.
Depois disso a Pituxa não foi mais chamada assim pelas outras bruxas, agora ela era a VERRUGUXA a Bruxa das verrugas.
Pensam que ela fico triste, não mesmo, ela se admirava todos os dias no espelho, cada verruga era como uma afirmação de beleza para ela.
Para nossa estória está ótimo afinal, tudo bem se o final foi feliz não é mesmo.
Dante Trindade
Enviado por Dante Trindade em 12/06/2018
Código do texto: T6362444
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Dante Trindade
Ijuí - Rio Grande do Sul - Brasil, 47 anos
83 textos (2390 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/06/18 09:15)
Dante Trindade