Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

De degrau em degrau

A casa, de dois quartos, sala e cozinha, já ia ficando pequena para abrigar a

família que a cada dois anos recebia um novo membro. E éramos seis, ou sete,

quando papai e mamãe bateram o martelo em torno do projeto de puxar um

crescente. Que, curiosamente, não foi quarto adicional, como pareceria mais lógico.

A prosposta vencedora, no comum acordo de pai e mãe foi por um novo cômodo,

nos fundos, que passaria a servir de cozinha e a cozinha em serviço então, perderia

o seu fogão, mas ganharia uma promoção, sendo elevada à categoria de copa.

Copão, em comparação com os demais cômodos da casa. E ainda por riba, com

aquele piso lisinho, de vermelhão vermelhinho.

Até ali, tudo bem, o que se seguiu é que foi o porém: fizeram-se as contas,

contratou-se um pedreiro da Companhia, que nas horas vagas construía, logo,

o Zé Maria, e o se levou a cabo a construção da nova cozinha. Mas a limitação

dos recursos, ou temores de se ultrapassar o orçamento fizeram com que o novo

cômodo ficasse abaixo - literalmente - da expectativa: é que havia um desnível

grande entre a copa e a nova cozinha, que se compensara com a construção de

uma escada. De quatro ou cinco degraus. Mamãe, com sua visão prática das coisas,

não engolia sua contrariedade. Um risco aqueles degraus dentro duma casa cheia

de pequerruchos. Tivesse sido feito um aterro, não se evidenciaria tamanho erro.

Mas como convencer um empedernido marido, e um pedreiro matreiro que além de

tudo tinha uma olho de vidro?

Uns dois anos depois, no entanto, o impasse foi resolvido: mudamo-nos do

povoado para a cidade e nunca mais voltamos a ter escada em cozinha.
Paulo Miranda
Enviado por Paulo Miranda em 15/10/2013
Código do texto: T4525993
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Paulo Miranda
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
29349 textos (548432 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/02/20 19:25)
Paulo Miranda