Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma Idéia Ideal (parte 2)


Chegando ao estúdio, Igor e Marcos se surpreenderam, pois todos os integrantes da banda já estavam presentes lá, exceto claro Brendon, que ainda deveria estar em sua casa se arrumando, pois acabara de chegar do seu inglês.
- Sejam todos bem-vindos ao nosso novo estúdio de gravação. Aquele antigo ficou sobre o comando de meu outro amigo, pois como avisei a vocês agora dedicarei todo o meu trabalho e esforço para a nova futura banda de sucesso: a Crazy’s Life. Bom, como avisei a vocês tenho uma surpresa que reservei esse momento a vocês – e é agora. O motivo de tanta curiosidade de Lucas finalmente ia ser desvendado. – Bom, tenho duas grandes surpresas: a primeira é que vocês irão se apresentar em um show de calouros e sabem o que isso significa? Que concerteza terá olheiros lá.
Todos vibram, felizes. E seria mais uma chance para eles se promoverem no mundo musical. Estaria tudo dando certo, mas Lucas tinha em mente que não deixaria o “sucesso” subir a cabeça, pois esse foi um dos grandes defeitos de grandes bandas que logo vieram à falência. Agora, todos estavam preparados para a segunda e grande surpresa, um silêncio mórbido se fez presente ali, que só seria cortado segundos depois pela sempre voz de mistério e séria de Igor.
-E a outra é que vocês não gravarão uma EP qualquer, gravarão uma EP com quase formato de CD mesmo. Se vir que o som de estúdio ajudar, farei com vocês o CD okay? – E os integrantes da banda se entreolham, sorrindo e subitamente concordando com o dito. Mas agora não era momento de só sorrir e se entreolharem, era momento de trabalho, pois só assim com muito trabalho e esforço que eles seriam devidamente reconhecidos. No mesmo instante todos pegaram seus instrumentos e começaram uma tarde muito puxada de gravações e mais gravações. Não sabia que Igor era tão exigente. A qualquer erro de nota ou mesmo erro de sincronização já chamava atenção. Mas Lucas sabia que seria mais ou menos aquilo, só não sabia o quanto era exaustivo. Mas a exaustidão era logo recompensada pelo maior prazer que tinha na vida: cantar. Ao mesmo tempo que, ficavam cansados uma sensação boa tomava logo em seguida conta de seu corpo, era a melhor sensação que se podia sentir: a de estar cantando. Para ele não havia nada melhor.
Depois de muito trabalho, ao final haviam gravado nove faixas inéditas de própria autoria e que ao ver de Igor ficaram perfeitas.  Ao final de terem gravado, todos sentam no chão e observam ao diretor da banda, ao qual havia reunido todos ali para dar um aviso:
-Finalmente gravamos todas as nove músicas, só que o EP não vai ficar pronto hoje, claro. Pelo visto já está muito tarde, então gravaremos só mais uma música amanhã e daremos início à gravação certo? Quero todos aqui às 9:00 da manhã okey? O show começará aproximadamente amanhã às 3:00 da tarde. Está bom para todos vocês esse horário? – Todos concordam, pois realmente já se podia ver o sol se pondo e dando início há uma escuridãozinha. E, três da tarde é um horário razoável até para uma banda iniciante, não é realmente um horário de lotação, mas é isso mesmo, primeiro show é sinônimo de poucas pessoas, muitas reprovações, mas também muitas aprovações e todos esperavam que as aprovações reinassem e fosse a grande maioria. Mas junto com o sol não se foi a empolgação e o entusiasmo não, muito pelo contrário, quando todos já estavam arrumando suas coisas e cantarolando as músicas recentemente criadas pela banda e felizes por conseguirem de cara uma oportunidade para divulgar suas músicas e o trabalho, Jeremy então dá uma idéia:
-Então gente, quem topa aí um almoço coletivo para comemorar tudo? O lançamento do CD, o primeiro pequeno show que faremos e a entrada de um excelente diretor profissional para a banda? Só esses motivos são grandes motivos para o jantar, né?
-Eu topo. – Proclamou Lucas, seguido prontamente de todos os outros.
-Eu também tô nessa, além do que tô com mó fome, todo esse trabalho exigiu muito de mim, acho que não só de mim como de todos nós, né? – manifestou-se James.
-Galera, vamos convidar também o Igor. Afinal ele que está fazendo tudo, praticamente tudo para nós. E concerteza ele não vai recusar nosso singelo agradecimento. – Opinou Brendon, que logo correu atrás do diretor, sem ao menos esperar a opinião dos integrantes da banda e avisou sobre o almoço para ele.
-É, seria uma ótima idéia. Não tenho mais nenhum compromisso hoje mesmo, pode ser. Obrigado pelo convite garotos. Estou realmente muito grato.
E depois de uma ótima confraternização em equipe e de um excelente almoço em um restaurante japonês, todos se despedem, e já preparados para o dia seguinte que seria um perfeito dia para tudo: show, gravação de CD. Lucas mal esperava para isso. Chegou apenas em casa, tomou seu banho e entrou em seu computador. Outra idéia ideal: divulgação pela internet do primeiro pequeno show da Crazy’s Life. No final já tinha divulgado quase para 100 pessoas. Quando então se atentou para olhar para o relógio do computador: 00:58 da manhã.
-Ai meu Deus, me preocupei tanto em divulgar para tantas pessoas que não me atentei para as horas. Calma, amanha tem gravação sim, mas é só CD. Não, mas o Igor disse que íamos ainda gravar mais uma faixa. Nossa só espero que o sono não me vença amanhã, porque se ele vencer nessa batalha sou eu quem sairei em desvantagem.
Apressou-se, deitou na cama e não se passaram mais de alguns segundos e o sono já havia vencido seu subconsicente.
Sim, era um palco pequeno agora. Bem menor que o do Maracanã e a capacidade para lotação era bem menor também. Desta vez não havia fãs desesperadas gritando loucamente por eles, mas sim pessoas que apenas estavam ansiosas, algumas pediam também para a banda entrar em ação, mas em grande minoria e num som bem menos audível das quais as pessoas enlouquecidas que estavam no Maracanã faziam. Um último treino antes do show e... Pronto. Entraram no palco, podiam-se ouvir alguns aplausos e podia-se sentir que era menos intenso e carinhoso com o do grande show no estádio do Rio de Janeiro. E já começavam a tocar a música, era a primeira faixa do CD. Uma falha técnica aconteceu enquanto começavam a tocar, um zombido muito forte e ensurdecedor, podia-se ver a platéia toda colocar as mãos nos ouvidos para evitar ouvir aquele som horrível e desfigurado. Eles tiveram que parar por um bom tempo, então quando estava tudo pronto, e Lucas ia cantar novamente um barulho novamente irritante do telefone toca, e devido ao pulo assustado que realizou conseguiu saltar da cama e bater o joelho direito no chão com tanta força que o Baque deu-se para ouvir do andar debaixo.
-Alô, Lucas? – uma voz séria dava para ser identificada da outra linha do telefone.
-Ahn? E... – e não deu tempo para concluir a sua fala, sonolenta e Igor já continuara gritando:
-Lucas, seu irresponsável, já terminamos a gravação do CD e você tem alguma idéia, por acaso de que horas são? Acho que não, pois se soubesse já estaria aqui não? – e tomou um fôlego para continuar a bronca – A sua sorte é que conseguimos gravar todas as faixas tranqüilamente, mas a última faixa não foi gravada devido a sua irresponsabilidade, isso é só uma das várias lições que irei te dar se continuar com essa irresponsabilidade. Agora venha logo que são uma hora e meia da tarde e ainda temos que ir lá no palco e arrumar tudo e vocês tem que escolher a seqüência das musicas que cantarão no show e quais cantarão. Então, almoce rápido e corra para cá. Tchau.
-Mas...- e não deu tempo de ele tentar se explicar ao diretor musical e o sinal já estava ocupado. – Droga, eu sabia que não ia conseguir acordar tão cedo. Não consegui pelo menos, ouvir o despertador. Agora, tenho que me apressar. – E num gesto rápido e súbito tomou um banho de 5 minutos, e talvez até menos, e desceu às escadas rumo a um almoço apressado, nem deu tempo de cumprimentar seus pais direitos. Se chegasse mais atrasado ainda, o diretor seria capaz até de suspender o show.
Depois de alguns minutos lá estava ele na gravadora, o CD como dito pelo produtor musical estava sim já feito e a capa do CD estava em sua opinião muito boa, era da foto que tiraram no finalzinho da tarde na noite de ontem antes de irem para o restaurante japonês para a comemoração da gravação do disco e do show. A contracapa não tinha mais foto deles, mas sim o símbolo da banda. Todos já estavam presentes no local marcado, deu só tempo de dar um olhada rápida olhada nas faixas do CD e marcar algumas coisas do show, aquelas coisas como a típica parada no meio da musica para animar a platéia, alguns arranjos de guitarra e bateria diferente, enfim, o funcionamento do show. Logo depois disso, de carro, todos os integrantes, em uma pequena van, vão rumo ao show que marcaria suas vidas, não por ser o melhor (talvez nem desse tanta gente o tanto quanto eles esperavam, talvez muita das pessoas que Lucas convidou por internet nem vão ir ao show, ou porque é uma banda desconhecida), mas sim por sim o primeiro show de suas vidas oficial da banda, tirando lógico a mãe de Lucas, que por sinal, era uma platéia meio que contra.
Ao chegar ao local observa-se já uma boa e numerosa aglomeração de pessoas esperando na fila para entrar no local. Não, aquelas pessoas todas não iram só para assistir o Crazy’s Life tocar(o que entristecia um pouco Lucas, mas isso o despertava mais garra, mais vontade de provar que a Crazy’s Life não era só mais uma bandinha e sim A banda que concerteza chamaria atenção e, ele rezava noite e dia para isso, despertasse interesse de alguns olheiros que poderiam estar de olho em bandas que eles achariam que faria um estupendo sucesso), mas não pelo contrário, muitas nem vieram para exatamente vê-los, mas sim bandas que elas já conhecem, e outras vieram para conhecer o som mesmo. Mas o Crazy’s Life não ficaria sem platéia não: a maioria dos amigos dos membros da banda foram convidados por eles próprios. Na verdade aquela seria uma “Tarde do Rock”, com várias bandas de rock\pop presentes no local.
-Gente! Um aviso para vocês que acabei de receber – com esse aviso súbito de Igor, quebra-se todos os pensamentos de Lucas naquele momento o que faz que volte a atenção á ele – Vocês serão os segundos a tocarem. Eu achei uma boa posição, porque os primeiros pega uma platéia menos animada, pronta para ouvir vocês de cara sabe? Em segundo não, vocês já terão preparada uma platéia mais animada e empolgada para curtir o som de vocês. Então, quero que treinem os últimos ajustes agora aqui, e está confirmado que tocarão todas as musicas do CD correto?
-Sim! Nós faremos um cover também de uma banda chamada McFly. Achei que é uma banda parecida com a nossa, é um pop misturado com um country com leves pitadas de rock. – e com esse aviso os últimos ajustes são feitos e dentro de uma hora chegaria a grande hora.
Um último barulho de guitarra é ouvido e a frase como: “Obrigado galera! Espero que tenham curtido o show!” também pode ser ouvida. Uma pontada leve no coração e um embrulho na barriga é o que sente Lucas, mas com certeza não só a ele como todos naquele momento. Chega a hora da oração: todos dão as mãos e começa a oração, os pedidos naquele dia eram unânimes: a realização de um ótimo show e uma adesão para uma nova gravadora de mais sucesso para realização de mais shows ao redor do Brasil e talvez até mesmo do mundo e quem sabe a gravação de um melhor CD. Depois de um seguido: ‘Amém e Aleluia!’ todos se levantaram e caminho em direção ao palco, coração saltitando tanto que parece que ia sacar fora do corpo, mesma sensação que sentiu no último sonho que teve. Os gritos não eram muitos, mas o suficiente para se ter noção que era mais gente, sim mais do que eles esperavam. Uma luz muito forte parecia quase que cegar Lucas, mas a luz era ao mesmo tempo aquecedora e o “energizava” se é que podem entender, mais ainda.
Depois da luz segadora uma imagem já podia ser formada: um microfone no meio do palco e algumas cabecinhas negras também já podiam ser vistas. Finalmente Lucas é o primeiro integrante a entrar no palco seguido de todos os outros. Foi logo se direcionando ao microfone, ao ver todas aquela pessoas ali embaixo um misto de emoção e nervosismo tomou conta dele, mas como um cantor ele deveria estar preparado pra lhe dar com um público muito grande. Sorriu então, uma das coisas que um cantor deve ter para espantar tudo o que estiver sentido, respirou fundo e ao ouvir a primeira baqueta tocar o prato da bateria e provocar um som alucinante seguido da guitarra sentiu que aquela seria sua vez. Se concentrou e:
-Vamos arrasar isso aqui, galera! – e num pulo conseguiu agitar toda a platéia, se movimentou de um lado pra outro visualizando a todos, inclusive todos seus amigos e acenando, começou a fazer o que fazia de melhor: cantar.
“Você morava no apartamento da rua de baixo
Eu sabia, mas nunca tinha
Nunca tinha coragem tinha coragem de te visitar
Quando te via passar na rua, meu coração parecia
Parecia saltar da boca e meu pulso se acelerava
Mas queria, queria que meu coração te atingisse para perceber que tem alguém
Alguém que te ama e te quer bem, bem aqui.
Aqui do seu lado! ” - Comigo galera! – E com mais um pulo enorme, quando ele atingiu o ápice de seu pulo sentiu uma sensação maravilhosa encher seu peito, ele queria extravasar esse sentimento e a única forma de consegui-lo era só, e só cantando.
“Quantas vezes será que devo repitir que te amo?
Mas não, você nem me escuta, nem me escuta e nem sabe que eu existo
O que posso fazer pra fazer você me olhar
Pra você fazer me querer e só assim
Te fazer melhor”. – a guitarra acompanhou essa parte, numa sintonia perfeita, junto com uma bateria mais irada ainda. Era o refrão, dava-se para ver a galera indo ao delírio com essa parte da música, alguns começaram a se bater lá em baixo, no seu próprio grupinho e separados de todos,mas isso fazia parte de um show de rock. E Lucas já sabia disso, já tinha visto vários DVD’s em que ocorriam isso. Algumas pessoas conseguiam escapar da segurança, e ao chegar no palco pulavam para as pessoas e estas os seguravam e nossa, Lucas não sabia que tinha arranjado seguranças, quer dizer, ele não, mas Igor ou quem quer que seja o organizador do evento. Pensava que ia ser um show tão parado que não precisaria disso, dessa organização toda, mas se equivocou. Foi seu primeiro show, mas o mais empolgante e organizado, conseguiria a banda realizar shows mais loucos, mais empolgantes que esse? Ele esperava que sim. Tinha que fazer. – Te fazer melhor!
OOh uoh, Te fazer...” – e botou o microfone para todos cantaram. Sinceramente, confessava que não esperava que muita gente respondesse de volta, cantasse para ele, mas não ouviu em um uníssono e quase que sincronizadamente o pública responder : - Melhoor!” Seu coração disparou, ficou muito emocionado e incrédulo, parecia besteira aquilo, mas não, isso significava que todos, ou pelo menos a maioria, no mínimo estaria gostando do show ou da banda e o melhor: sem ao menos conhecer a banda direito, isso é um grande sinal.
O show continuou e não podia ser melhor. A maioria das pessoas pareceu ter aprovado e curtido o show. E sim, foi um momento inesquecível para Lucas, foi um momento curto sim, de mais ou menos uma hora e meia, mas esse tempo foi o suficiente para se tornar importante e duradouro para ele. E para encerrar o show, Marcos pegou o microfone de Lucas e anunciou:
-Para agradecer a essa imensa afeição e apoio que vocês nos deram hoje, faremos uma surpresa para vocês agora. Desde já agradecemos toda a energia que vocês nos transmitiram ao realizar esse show maravilhoso e só a presença de vocês foi o suficiente para nos fazer feliz. Obrigado mesmo e espero vocês em mais show da Crazy’s Life. Agora com vocês um cover de uma cantora maravilhosa que tenho certeza a maioria de vocês curtem: Avril Lavigne. Cantaremos Complicated. Mas cantaremos em português, espero que curtam a versão. – E ao acabar de dizer isso, ele pegou seu violão
“Me fale: porque você teve que ir e deixar as coisas tão complicada?
Veja, o jeito que você age como se fosse outra pessoa
Isso me deixa frustrado!

A vida é assim,

Você cai, você rasteja, você quebra,

E você recolhe o que você recebe e

Transforma isso em honestidade

E me prometa que eu nunca vou descobrir que você está fingindo”. – E ao acabar a música os aplausos foram muito audíveis e os integrantes da banda agradeceram muito honrados. E depois de mais um agradecimento se retiraram do palco com muitos aplausos ainda e muito orgulhosos. Ao chegarem a seus camarins viram na porta uma aglomeração de umas 12 garotas e pelo visto esperando por eles. Elas queriam um autográfo. Nossa, isso sim foi o que mais agradou Lucas naquela noite, além de ter recebido a energia e aprovação de todo o público virou que criaram alguma pequena legião de fãs e adoradoras. Aproveitou e disse à ela o próximo show que teriam e Jeremy, Marcos, James, Brendon e Lucas deixaram todos os seus msn’s e telefone para contatos. James aproximou-se e disse:

-Olha, se quiser nos divulgar para suas amigas ou amigos nós ficarísmo também muito gratos. Mandem eles irem aos nossos shows e mesmo que eles não gostem já ficamos agradecidos só pelo fato de vocês se esforçarem e terem mandado eles olharem nosso shows. Obrigado mesmo pelo apoio de vocês meninas. – E eles acabaram de falar com elas depois de uma rápida sessão de fotos com cada integrante da banda e um beijo de cada um em cada uma daquelas garotas.

Logo, ao entrarem no camarim, duas pessoas aguardavam eles. Uma pessoa já era mais que conhecida dos garotos: Igor, o empresário da banda. A outra pessoa, não, não o conhecia. Antes que qualquer um pudesse manifestar a alegria que sentiam para o empresário, ele logo interrompeu:

-Turma, tenho três novidades para vocês hoje. – e só de olhar o imenso sorriso que se via no rosto de Igor, podia-se ver que eram três notícias boas. Mas mesmo assim querendo comprovar aquilo, Lucas perguntou:

-Mas são boas ou ruins?


-Claro que são boas que são boas, meu caro Lucas. Bom, primeiro: vocês conseguiram vender muitos exemplares do CD de vocês, adivinhem quantos.

-Hum...50? – chutou Jeremy.

-Não, mais. Na verdade 500 exemplares.

-O quê? 200 exemplares? – interrogou Lucas, incrédulo. Uma pitada de alegria e ao mesmo tempo incredulidade tomou conta de Lucas. Como 500 exemplares? Mas nossa, eles tinham tantos exemplares assim para vender de primeira? Nossa isso parecia besteira em comparação a esses grandes artistas de hoje que vendem milhões e milhões de cópias de CD’s, mas para uma banda iniciante em que não foram tantas pessoas assim num show tava razoavelmente maravilhoso.

-Isso é incrível! – Comemoraram todos os Crazy’s ao mesmo tempo, pulando e tão felizes que mal podiam acreditar.


-Segundo: venderam também muitas camisas. Em torno de uns 286 exemplares. E a terceira e creio eu, a mais importante de todas: vocês conseguiram uma nova gravadora de banda e um produtor musical de uma gravadora muito famosa.

-Sério? E quem seria ele então? – Felizes da vida, Marcos não se agüentou e deu um pulo de alegria em que todos riram em seguida.

-Ele está ao lado de minha pessoa agora. – Todos viraram seus olhares para o homem desconhecido que estava ao lado de Igor. – Apresento a vocês o novo produtor musical de vocês e empresário da Crazy’s Life.

-Como assim novo empresário da Crazy’s Life? Isso quer dizer que... – um tom de tristeza podia ser perceptível na voz de Brendon. Sim, isso queria dizer o que Igor acabaria de falar.

-Isso quer dizer que não serei mais empresário da Crazy’s Life. Desculpem rapazes. – um tom de tristeza, mas ao mesmo tempo confiança e certeza podia ser ouvível no tom de voz do mais recente ex-empresário de banda. Mesmo Lucas não gostando muito da rigidez imposta por Igor em ter que acordar sempre tão cedo todos os dias para cuidar dos negócios da banda, não gostou nenhum pouco da idéia de ele os estar abandonando assim. Primeiro porque foi ele em quem abandonara entre aspas a gravadora ao qual trabalhava para ser única e exclusivamente empresário da banda e fora ele quem ajudou a fazer o primeiro CD deles e a conseguir esse show de hoje que foi um passo gigantesco para a divulgação e ascensão da Crazy’s Life. Simplesmente eram eternamente gratos a ele. Se pudesse impedir de alguma forma para que a despedida de Igor não se realizasse...

-Mas porquê, o que houve para você nos deixar assim, de repente? – interrogou Marcos ainda incrédulo.

-Primeiro porque o sr. Jones aceitou ter vocês como empresário e produtor musical da banda – Lucas nesse instante fez uma pequena cara de reprovação para o senhor ao lado de Igor – e segundo porque tenho que realmente voltar ao meu trabalho, eu vi que vocês merecem um tratamento especial garotos, vocês tem muito especial. Esse show de hoje foi só uma pequena amostra do que realmente vocês todos são, aposto que daqui a um mês ou dois no máximo já estarão lotando lugares por aí e conseguindo o devido prêmio de vocês. Vocês merecem um excelente produtor e diretor musical e principalmente uma gravadora de sucesso, como da do Sr. Jones, ao qual trago a vocês agora para vê-lo. Ele os achou impressionantes e acha que serão a próxima sensação Rock, Reggae do Brasil. Bom é isso deixarei vocês a sós agora, espero que se dêem muito bem e boa sorte garotos. – Com fortes abraços e agradecimentos de cada integrante da banda lá se vai uma parte, uma fase da história da Crazy’s Life. Uma parte muito importante. Sem Igor, poderiam estar até hoje ensaiando na casa de Lucas e recebendo ofensas e ameaças de sua mãe, podiam ser simplesmente mais uma dentre tantas bandas de garagem. Como a vida é louca, hein?



_________________________________________________'
Bom, a “Uma Idéia Ideal" é uma história muito extensa, como podem perceber pela história, ainda tem muita história pela frente. E só continuei mesmo escrevendo ela graças aos comentários que recebi na parte 1 quando havia postado e a grande quantidade de leitura. Foi sim meu texto mais lido. Agradeço a todos que leram esses meus dois textos, mas se quiserem um final para a história dêem asas às sua imaginações e inventem, e se quiserem me enviar uma possível terceira e ultima parte me enviem que concerteza postarei aqui: igorvinicius875@hotmail.com ficaria muito grato. É isso, aqui termina a história da banda mais famosa do mundo das histórias e leituras. Espero que tenham curtido e mais uma vez muito obrigado. (:



-  Igor Vinicius.
Igor Vinícius
Enviado por Igor Vinícius em 01/09/2007
Código do texto: T634194

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o meu nome e o link para a minha obra, dando os devidos créditos sempre.). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Igor Vinícius
São Luís - Maranhão - Brasil, 26 anos
9 textos (613 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 14:39)
Igor Vinícius