Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

JEZEL LIVRO 2 CAP 5 DE PAULO FOG E IONE AZ

 Jezel ali a olhar para a entrada do palácio, traz em uma bolsa alguns frascos, presta reverência ali e olha para o caminho, respira fundo e retira de um bolso, um minúsculo vidro ebebe o conteúdo deste.
        Jeriáh e Yoko estão debaixo de uma árvore, fazem a degustação das sobras do assado e algumas frutas que Jeriáh colheu no caminho.
        - Está uma delicia, não vai comer a sua?
        - Por que ela ainda não retornou?
        - Você se preocupa muito com ela, é guerreira e sabe se defender.
        - Jeriah, para mim ela é uma amiga, uma grande amiga.
        - Amiga?
        - Sim, por quê você não a vê assim?
        - Sei lá.
        Nisso um forte vento passa por eles e Jezel surge.
        - Jezel.  Os 2 correm até ela, Yoko a abraça porém a guerreira.
        - Espero que tenha algo para comer, estou faminta?
        - Claro que há.
        - Esta vendo, já vai todo nosso depósito de alimento, poderia ter ficado por lá mais um pouco, somente até eu terminar esta breve ceia.
        - O que diz?  Logo a guerreira tem a Jeriah com uma adága presa a milimetros de seu pescoço.
        - Brincadeirinha.
        - Bom mesmo.  Risos.
        Refeição no estômago, hora de explicações.
        - O que foi fazer no palácio?
        Quando ela vai responder para Yoko, 2 anjos surgem ali.
        - Jezel.
        - Sim.
        - Deixe Yoko com a gente.
        - Por quê?
        - Ele tomara conta do santo Templo.
        - Santo Templo.  Yoko fica assustado.
        - Mais é de cargo de Esmery.
        - Ela não se encontra apta para isso.
        - O que houve, o que fizeram?
        - Não faça mais perguntas, só nos acompanhe.
        Jezel faz sinal para que ele atenda o dito pelos anjos.
        Logo desaparecem, Heriah olha para a guerreira.
        - O que esta acontecendo, por que ele teve de ir.
        - Esmery fora raptada.
        - O quê?
        - Jocasta e Izena estão juntas.
        - Mas....
        - Sim, elas foram postas novamente em exercício, agora em pleno revolto maligno.
        - Santo Deus.
        - Agora temos de ir.
        - Vamos resgata-la?
        - Não, já não somos mais servis nestas terras.
        - Como assim?
        - Jeriah, você poderá escolher em ficar aqui e tentar viver como estava ou vir comigo.
        - Vou contigo.
        - Sabia disso.







          " OS BRILHANTES OLHOS DE ADYR NÃO SÃO LINDOS QUANTO AO AZUL DO MAR, ASSIM COMO OS MUROS DE BELENO'S NÃO SÃO TÃO FORTES QUANTO AO ABRAÇO FRATERNO DE UM SAUDOSO IRMÃO ".





             Jezel continua a caminhada junto de Jeriah, que várias vezes para em reclamações de ordem sede, fome, suor, vida e principalmente, medo.
         - Pare com isso ou vou fincar-lhe uma adága no pescoço assim não terá mais sede e nem tampouco reclamações.
         - Pronto, já parei minha senhora guerreira.
         Jezel coloca a ponta da lança próxima ao olho direito dele e faz sinal para que fique em silêncio, por gestos ordena ao jovem vá a té a primeira árvore e suba rapidamente, assim eles fazem, em baixo uma caravana de circenses e logo depois várias gaiolas com dezenas de crianças e idosos cativos.
         - São Uorc's?
         - Sim.
         - E agora, o que faremos?
         - Devemos esperar.
         - Esperar o quê guerreira, eles sumirem pela estrada e depois toda a quela gente sendo escravizada pelo fim de seus tempos?
         - Não, aquilo.  O céu rompe-se em trovões e raios e ali surgem 2 arcanjos e duas dezenas de anjos.
         - Meu pai.
         - Fique quieto.  Em questão de segundos inicia-se uma batalha que termina antes de piscar os olhos, um saldo de mais de 1 centena de Uorc's mortos e os cativos libertos porém todos seguem com os anjos.
         - Não entendi ainda?
         - O quê?
         - Você não percebeu?
         - O quê?
         - Os cativos de certa forma ainda continuam sendo levados como cativos.
         - Ora Jeriah, você esta ficando louco.
         - Jezel, então olhe as correntes ainda presas aos pés e mãos.
         Jezel olha direito e sim, todos ainda continuam presos, mais a frente uma liteira mágica surge e desta sai uma rainha desconhecida.
         - Quem é ela?
         Jeriah retira um micro livro de sua veste e procura até que coloca o dedo indicador direito á boca, depois retira este úmido de saliva e esfrega por toda uma folha daquele livrinho e segundos depois surge a foto com o título.
         - É Joalih, rainha de Scárnia.
         - Scárnia, que lugar é este?
         - Isso não sei lhe dizer.
         - Mas logo iremos descobrir.
paulo fogaça e IONE AZ
Enviado por paulo fogaça em 10/07/2018
Código do texto: T6386488
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
paulo fogaça
Presidente Epitácio - São Paulo - Brasil
285 textos (3286 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/07/18 13:53)