Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

REFLEXÃO DIÁRIA - comentário de J B Pereira

 Contra a PEC 241 agora é PEC 55 e vai a Consulta Pública
Por Guilherme Zimermann sexta-feira, 28 out 2016 13:38 PM

Fonte: G1

Aprovada pelos deputados federais na madrugada da última quarta-feira (26), a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, que estabelece um limite para os gastos públicos pelos próximos 20 anos, recebeu nova numeração ao passar a tramitar no Senado, sob a numeração de PEC 55/2016.

A mudança não altera o conteúdo da proposta, que poderá sofrer alterações após análise dos senadores da República. A modificação na identificação da matéria ocorre para organizar o sistema do Senado, de acordo com a Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Casa. Durante o período em que tramitar no Senado, a PEC passa por Consulta Pública, onde qualquer cidadão pode opinar de maneira favorável ou contrária à proposta. Até o inicio da tarde desta sexta-feira (28), mais de 100 mil pessoas afirmavam ser contra, enquanto que pouco mais de 5,4 mil posicionavam-se favoravelmente à PEC.

http://www.rbj.com.br/geral/pec-241-agora-e-pec-55-e-vai-consulta-publica-3738.html

____________________________

REFLEXÃO DIÁRIA: 16 DE OUTUBRO DE 2016
A plenitude da vida não deve ser mal representada como o proverbial “mar de rosas”. As pessoas inteiramente vivas, exatamente por estarem integralmente vivas, experienciam, claro está, tanto o fracasso como o sucesso. Estão abertas tanto para o prazer como para a dor. Têm muitas perguntas e poucas respostas. As únicas coisas que se mantêm estranhas à sua experiência de vida são a passividade e a apatia. Dizem um vigoroso “sim” à vida e um retumbante “amém” ao amor. Sentem as ferroadas dolorosas do crescimento – de passar do velho para o novo -, mas suas mangas estão sempre arregaçadas, a cabeça a mil por hora, e o coração é cálido. Estão sempre em movimento, crescendo, seres-em-processo, criaturas em evolução permanente.
Como tomar esse caminho? Como aprender a participar da dança e das canções da vida em toda a sua plenitude? Parece-me que a sabedoria contemporânea em relação a esse tema pode ser destilada e formulada em cinco passos essenciais para uma vida mais plena. Resumidamente, esses cinco passos são: (1) aceitar a si mesmo; (2) ser você mesmo; (3) esquecer-se de si no amor; (4) acreditar; (5) fazer parte de um organismo maior.
Esses passos costumam ser dados na ordem sugerida e cada um deles apóia-se nas realizações anteriores. Embora cada qual se baseie e seja possível a partir dos passos anteriores, nenhum deles está inteira e perfeitamente acabado para todo o sempre. Cada um deles sempre continua sendo um ideal a ser alcançado por nós. Em termos de uma visão, ou quadro básico de referências, cada um desses cinco passos é essencialmente uma nova consciência ou percepção. Quanto mais completas forem essas percepções, tanto maior a capacidade da pessoa de chegar à plenitude da vida.
Bon voyage!
Texto de Fully Human, Fully Alive  (Totalmente Humano, totalmente vivo)
http://paroquiaimaculadaconceicao.com.br/reflexao-diaria-16-de-outubro-de-2016/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+ParoquiaImaculadaConceicao+%28Paroquia+Imaculada+Concei%C3%A7%C3%A3o%29
_________________________


REFLEXÃO DIÁRIA: 17 DE OUTUBRO DE 2016
Aceitar-se. Se as pessoas inteiramente vivas aceitam e amam a si mesmas do jeito que são. Não vivem em função da promessa de um amanhã ou do potencial que um dia qualquer lhes será revelado. Em geral, sentem por si, do jeito que são, as mesmas emoções cálidas e alegres que você e eu sentimos ao encontrar alguém que realmente admiramos e amamos. As pessoas inteiramente vivas têm uma percepção clara do que têm de bom, desde as pequenas coisas, como a maneira de sorrir ou andar, até os talentos naturais que lhes foram dados e as virtudes que se esforçaram por cultivar. Quando essas pessoas descobrem imperfeições e limitações em si mesmas, são compassivas. Procuram compreender, não condenar a si mesmas. “Além de uma saudável disciplina”, diz a Desiderata, “sejam gentis consigo mesmos.” As fontes da plenitude da vida estão dentro da pessoa. E, psicologicamente falando, uma alegre auto-aceitação, uma boa auto-imagem, a sensação de estar comemorando o fato de ser quem é, esses são os fundamentos sólidos da plenitude da vida.
Texto de Fully Human, Fully Alive (Totalmente humano, totalmente vivo)
0
Publicado em Reflexão Diária em 17 out 2016
Nenhum comentário.
17 out 2016 às 8:39 pm, joão bosco Diz:
Seu comentário está aguardando moderação.
Adquira os livros da formação cristã:
Mistagogia hoje: O resgate da experiência mistagógica dos primeiros …
https://books.google.com.br/books?isbn=8534939233
Cf. TABORDA, Nas fontes da vida cristã, São Paulo, Loyola, 2001, p. 26. 3
RAHNER, O desafio de ser cristão, Petrópolis, Vozes, 1978, p. … 6
Cf. A Didaqué ou Doutrina dos Apóstolos; A Tradição Apostólica de Hipólito de … Geral,
Diretório Geral para a Catequese, Catecismo da Igreja Católica e
Catechese Tradendae.
Crescer em comunhão-catequizando
Crescer em comunhão-catequizando
Crescer em comunhão-catequizando
http://www.universovozes.com.br/livrariavozes/web/view/DetalheProdutoCommerce.aspx?ProdId=8532605273
Curta: Deus existe como o podemos concebê-lo na intimidade do ser ou na sua superioridade que não nos ameaça, porque nos ama e perdoa… estejamos prontos a crer, amar, perdoar e recomeçar… Não importa onde estivemos e como o concebemos e quais as dificulades pelas quais possamos parecer nos distanciar deste ser chamdo DEUS. Eu estou em Deus: não sou Deus. Deus está em mim quando amo e vivo no amor. https://www.youtube.com/watch?v=UYMqQTubepY
ELBOSCO – Nirvana (Legendado)
Produzida em 1995 pela banda espanhola El Bosco com o disco Angelis, Nirvana uma música de letra excelente, teve seu início em um coral infantil com crianças…
youtube.com
Curta: A música gregoriana em neoestilo revitaliza uma aura de aspiração interior e musicalidade neogótica de transcendentalidade que a alma suspira para além de si mesma à medida que vence a si mesma em seu egocentrismo e abre ao mistério crístico e a feminilidade de uma Virgo puríssima e uma Igreja como esposa purificada para o encontro nupcial com o senhor no fim dos tempos, porque não, a cada dia pela Eucaristia:
ERA – Ameno:https://www.youtube.com/watch?v=RkZkekS8NQU&list=RDk1oMJkt1BPk&index=2
Au dessus des vieux volcans
Glisse des ailes sous les tapis du vent
Voyage, voyage
Eternellement
De nuages en marécages
De vent d’Espagne en pluie d’équateur
Voyage, voyage
Vole dans les hauteurs
Au dessus des capitales
Des idées fatales
Regarde l’océan
_____
tradução: https://www.vagalume.com.br/gregorian/voyage-voyage-traducao.html
https://www.letras.mus.br/gregorian/forever-young/traducao.html
Acima dos velhos vulcões
asas Glide sob tapetes vento
Viagens, Viagem
Eternamente
De nuvens pântanos
De vento Espanha equador chuva
Viagens, Viagem
Voar nas alturas
Acima das capitais
idéias fatais
Visualizando o oceano
Gregorian – Forever young

http://paroquiaimaculadaconceicao.com.br/reflexao-diaria-17-de-outubro-de-2016/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+ParoquiaImaculadaConceicao+%28Paroquia+Imaculada+Concei%C3%A7%C3%A3o%29
_________________________________________
REFLEXÃO DIÁRIA: 18 DE OUTUBRO DE 2016
Ser você mesmo.
As pessoas inteiramente vivas são liberadas pela auto-aceitação para ser autênticas e verdadeiras. Só as pessoas que aceitaram alegremente a si mesmas podem assumir todos os riscos e responsabilidades de ser elas mesmas. “Consegui ser eu mesmo!” diz a letra da música, mas a maioria de nós é seduzida pelas máscaras e encenações. Os velhos mecanismos de defesa do ego são construídos para proteger nossa vulnerabilidade. Mas nos afastam da realidade e reduzem nossa visão. Diminuem nossa capacidade de viver. Ser nós mesmos tem muitas implicações. Significa que somos livres para sentir e lembrar-nos de nossas emoções, idéias e preferências. Os indivíduos autênticos têm suas próprias escolhas. Superaram a necessidade aflitiva de aprovação dos outros. Não se vendem a ninguém. Seus pensamentos, sentimento e opções simplesmente não estão à venda. “Com sua própria pessoa, seja verdadeiro… ” é seu princípio e estilo de vida.
Texto de Fully Human, Fully Alive (Totalmente humano, totalmente vivo)
0
Publicado em Reflexão Diária em 18 out 2016
Nenhum comentário.
22 out 2016 às 10:16 pm, joão bosco Diz:
Seu comentário está aguardando moderação.
A flexibilidade responsável e viva de Deus na sua palavra está na Bíblia e na Tradição sadia da Igreja. Jesus é o Sacramento ou Palavra Viva de Deus entre nós. Jesus e os Apóstolos cuja autoridade está ancorada a Igreja como comunidade de fé para todos os tempos e séculos.
Assim, podemos nos alimentar com a Palavra e a Eucaristia em cada missa celebrada na face da Terra para o bem do homem em olhar ao Céu.
Em sintonia com Deus, a palavra de Deus pode vir-a-ser nossa salvação em Jesus quando a acolhemos com sincera vontade e desejo de mudança de vida.
Ouçamos a música católica: https://www.vagalume.com.br/eros-biondini/arca-da-nova-alianca.html
“Arca da nova Aliança guarda o tesouro do céu
Guarda sua descendência
A mãe dos filhos de Deus
Um novo jardim pra vida nascer a virgem chamada mulher
Mulher de Caná, da cruz e do céu, Maria,
A mesma mulher
Um grande sinal no céu para ver vitória
de Deus sobre o mal
Vestida de sol do início ao fim, Maria, a mesma mulher
Arca da nova Aliança guarda o tesouro do céu
Guarda sua descendência
A mãe dos filhos de Deus
Um novo jardim pra vida nascer a virgem chamada mulher
Mulher de Caná, da cruz e do céu, Maria,
A mesma mulher
Um grande sinal no céu para ver vitória
de Deus sobre o mal
Vestida de sol do início ao fim, Maria, a mesma mulher”

__________________________________________

REFLEXÃO DIÁRIA: 19 DE OUTUBRO DE 2016
Esquecer-se de si mesmo no amor.
Tendo aprendido a aceitar e a ser elas mesmas, as pessoas inteiramente vivas começam a dominar a arte de esquecer-se de si mesmas – a arte de amar. Aprendem a esquecer-se de si mesmas no carinho e interesse genuíno pelos outros. As dimensões do mundo de uma pessoa são as mesmas de seu coração. Só conseguimos estar à vontade no mundo real na medida em que aprendemos a amá-lo. Os homens e as mulheres inteiramente vivos escapam do muindo sombrio e pequeno do egocentrismo, que sempre é habitado por uma única pessoa. São cheios da empatia que lhes possibilita estar profunda e espontaneamente com os outros. Como podem estrar no mundo afetivo dos outros – quase como se estivessem dentro dos outros, ou os outros dentro deles -, seu mundo se expande e seu potencial de experiência humana se amplia muito. Transformaram-se em “gente que vive para os outros”, e existem outros que lhes são tão caros que experimentaram pessoalmente essa sensação de comprometimento do “amor maio”. Protegeriam seus entes queridos, com a própria vida.
Ser uma pessoa amorosa é muito diferente de ser alguém que pratica “boas ações”. Os que praticam boas ações só usam os outros como oportunidades para realizar seus atos virtuosos, dos quais mantêm um registro acurado. As pessoas amorosas aprendem a transferir o foco de sua atenção e interesse de si para os outros. Interessam-se profundamente pelos outros. A diferença entre os que praticam boas ações e os que amam é a diferença entre a vida que é uma encenação no palco e a vida que é um ato de amor. Não há como imitar o verdadeiro amor. Nossa preocupação e nosso interesse pelos outros devem ser legítimos;caso contrário, nosso amor nada significa. Uma coisa é certa: não há como aprender a viver sem aprender a amar.
Texto de Para viver em plenitude
1
Publicado em Reflexão Diária em 19 out 2016
Nenhum comentário.
22 out 2016 às 10:30 pm, joão bosco Diz:
Seu comentário está aguardando moderação.
Amar como Jesus. Hoje ouvi uma verdade que me motivou mais a viver: Amar como Jesus, ou seja, ser perfeito como o Pai é ser misericordioso … Jesus foi misericordioso. Essas verdade tomou o coração de Maria, José, os apóstolos, os evangelistas, os santos, as santas, místicos, e continua e continuará a nos empolgar na Verdade de amar como Jesus.
Padre Zezinho diz: “Um dia uma criança me parou
Olhou-me nos meus olhos a sorrir
Caneta e papel na sua mão
Tarefa escolar para cumprir
E perguntou no meio de um sorriso
O que é preciso para ser feliz?
Amar como Jesus amou
Sonhar como Jesus sonhou
Pensar como Jesus pensou…”
https://www.letras.mus.br/padre-zezinho/205779/
Por quê?
“Mateus 6
…20Mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde a traça nem a ferrugem podem destruir, e onde os ladrões não arrombam e roubam. 21Porque, onde estiver o teu tesouro, aí também estará o teu coração. Um corpo iluminado…’
http://bibliaportugues.com/matthew/6-21.htm

_________________________________

Fazer parte de um organismo maior.
O quinto e último componente de uma vida plena é, sem dúvida alguma, “um local chamado lar”, o senso de comunidade. Uma comunidade é uma união de pessoas que “têm coisas em comum”, que compartilham entre si seus pertences mais preciosos – elas mesmas. Conhecem-se e estão abertas umas às outras. São “umas pelas outras”. Compartilham com amor suas pessoas e suas vidas. As pessoas inteiramente vivas tê essa sensação de fazer parte de algo maior – de sua família, de sua igreja, da comunidade humana. Existem outros com quem essas pessoas se sentem inteiramente à vontade, com quem têm a sensação de comunhão, de se pertencerem mutuamente. Há um lugar onde sua ausência seria percebida, e sua morte lamentada. Quando estão com esses outros seres humanos, as pessoas inteiramente vivas encontram a mesma satisfação em dar e receber. Uma sensação contrária de isolamento é sempre redutora e destrutiva. Impele-nos para os abismos da solidão e da alienação, onde só podemos perecer. A lei inescapável e impressa na natureza humana é que nunca somos menos que indivíduos, mas nunca somos apenas indivíduos. Nenhum homem é uma ilha. As borboletas são livres, ams precisam do coração de alguém para ser o lar do nosso próprio coração. As pessoas inteiramente vivas têm profunda paz e contentamento, que só podem ser vivenciados num lar assim.
Texto de Para viver em plenitude
0
Publicado em Reflexão Diária em 21 out 2016
Nenhum comentário.
22 out 2016 às 11:01 pm, joão bosco Diz:
Seu comentário está aguardando moderação.
O cristão tem claro o valor da vida. Congraçamos com a vida como gratuidade e mistério divino. E conclamamos a todos para votar não contra o aborto em 12 semanas. A vida é para ser vivida e defendida. E no seio materno é inviolável. Uma sociedade que se preza ama e cuida da vida: das crianças e de todos… Não ao aborto.
Não se pode matar sem ter alguma sequela mais tarde e sofrimento na alma e no corpo.
É um crime que brada ao Céu por justiça. A justiça não está em cortar em cabeças e sim colocar pão na mesa de todos. A dignidade da pessoa humana implica que todos que são gerados no útero da mulher são humanos e já de per si são vidas humanas. Não se pode ser estranhos a vida. O embrião humano e o feto humano dependem em tudo da mãe e do respeito da família, da sociedade, da justiça moral e da lei cujo fundamento está na dignidade da vida e da pessoa humana, no direito de nascer, de defender-se da alienação e do crime de quem quer matar-nos e matar nossos filhos e nossas filhas.
É um crime porque não se pode tirar a vida impunemente em uma sociedade democrática. Não se pode matar o feto para ter a saúde da mãe ou pretextos de grupos de pesquisas cujo propósito é laboratorial e experimental (não ético) de produtos cosméticos, células-tronco, etc. É saudável conciliar a vida da mulher com a da criança com o respeito a ambos. O heroísmo de algumas mulheres priorizam a vida de seu filhos. A nossa lei já estabeleceu aborto para o risco de vida da mãe, a má formação do feto e o estupro. Não há mais porque cairmos na tentação e tentativas de falso quesito libertário atentando contra a vida do embrião e feto humanos. Deus nos livre de tal crime e leis inescrupulosas que parecem emancipar mulheres e condenam vidas ao lixo, ao luxo de alguns e algumas pessoas que ainda não entenderam sobre a inviolabilidade da vida.
A CNBB e a doutrina ética e social da Igreja Católica pedem-nos coragem de votar contra o aborto e não desejar leis como esta passem e fiquem na ordem do dia. O cristão não pode ser conivente e omisso.
“E Jesus, chamando um menino, o pôs no meio deles,
E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus.
Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus.
E qualquer que receber em meu nome um menino, tal como este, a mim me recebe.
Mas, qualquer que escandalizar um destes pequeninos, que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar.
Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem!
Portanto, se a tua mão ou o teu pé te escandalizar, corta-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida coxo, ou aleijado, do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno.
E, se o teu olho te escandalizar, arranca-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida com um só olho, do que, tendo dois olhos, seres lançado no fogo do inferno.
Vede, não desprezeis algum destes pequeninos, porque eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre vêem a face de meu Pai que está nos céus.
Porque o Filho do homem veio salvar o que se tinha perdido.
Mateus 18:2-11”
https://www.bibliaonline.com.br/acf/mt/18

__________________________________

REFLEXÃO DIÁRIA: 22 DE OUTUBRO DE 2016
Isso é apenas ficção, certo? No entanto, a historinha que vou contar ilustra muito bem o que estou querendo dizer, isto é, que a maneira de olhar as coisas governa nossa reação a elas. É uma história sobre dois menininhos, gêmeos idênticos, um deles otimista incorrigível, e o outro pessimista igualmente incorrigível. Bem, os pais estavam preocupados com isso, e levaram os meninos a um psicólogo infantil, que disse: “Acho que sei o que fazer. No próximo aniversário deles, dêem ao pessimistazinho os melhores brinquedos que puderem comprar e, ao otimista, um saco de esterco. Isso os colocará no mesmo plano”.
E foi o que os pais fizeram. Colocaram os menininhos em quartos separados com seus “presentes”. Quando foram espiar no quarto do pessimista, viram menino olhando com desânimo para seu lindos brinquedos e se queixando: “Não gosto dessa cor. Isso aqui provavelmente vai quebrar. Conheço um garoto que tem uma calculadora melhor que essa”. Os pobres pais olharam um para o outro e soltaram um gemido.
Em seguida, atravessaram o corredor e deram uma olhada no quarto do otimista. Ele estava na maior alegria, atirando o esterco para o alto e dizendo: “Vocês não me enganam!Onde existe tanto esterco assim, só pode haver um pônei por perto!”
“Preste atenção na rosquinha, não no vazio do meio”
Texto de Free to be me (Livre para ser eu)
0
Publicado em Reflexão Diária em 22 out 2016
Nenhum comentário.
30 out 2016 às 12:17 pm, joão bosco Diz:
Seu comentário está aguardando moderação.
Os dois meninos pode ser vista à luz da alusão dos dois irmãos como parábola evangélica.
Um diz sim, mas não vai à roça. Outro diz não, mas faz a vontade do Pai.
O Evangelho diz que o sim seja sim, o não seja não; o que não corresponde a isso, deve ser banido como ruim. Contudo, nem sempre é fácil para nós a vontade de Deus quando nos sentimos encurralados pela vida e todos nos abandonam. Tudo parece está contra nós e a nos sentimos “estranhos a nós mesmos”.
Deus vem em nosso auxílio. Sua compaixão é sem tréguas, até Jesus no alto da cruz, no patíbulo, gritou: “Meu Deus (bis), por que me abandonaste?”
Jesus abandonado é a base da espiritualidade do deserto e da experiência histórica do silêncio de Deus, que respeita o curso da história, deixando-se ao homem a liberdade de se posicionar com liberdade e assumir inclusive os desafios de sua existência, isto é, dar sentido ao que nos aparenta sem sentido.
A arte de dar sentido é viver; sobreviver muito estão terrivelmente em nós das redes do deserto da vida: refugiados, exilados, perseguidos de toda ordem e latitude, inocentes neglicenciados pelos sistemas, público-alvo das políticas corruptas, conluios de partidos obsoletos e indiferença ao povo das nações, doentes, encarcerados humilhados, jovens mortos entre gangues e policiais corruptos e amendrontados ou acoados por bandidos, bandidos que não conseguem não ser o que são, crianças molestadas, mulheres lindas se sentindo feias, crises nas igrejas, pastores perseguidos, fieis exterminados por fanáticos, comunidades abandonadas das administrações públicas, escolas saqueadas e sem infraestruturas, professores mal pagos, aposentados angustiados pelo erário indigno, violência urbana e rural, terras e florestas aniquiladas por carteis ricos e inescrupulosos, ecossistemas conspurcados pelas cias sedentes de lucros e espoliadoras de mercados de reserva, operários reduzidos à número, massa, mercadoria, imigrantes deslocados quase infinitamente pelo projeto perverso da globalização, natureza diluída em esgotos a céu aberto, prostiturismo secular, negação do hibridismo das culturas, ditadura da beleza, enfim, pecado pessoal e social das guerras, ódios multisseculares, seca da cumplicidade geopolítica, educação e saúde de mal a pior, pecado ao rosto de Jesus nos perfis humanos dos negros, crianças, mulheres, idosos, índios, orientais, pobres, mestiços, caboclos, imigrantes, perseguição ao diferente, ao estrangeiro, negação dos direitos humanos… Pecado acumulado e a terra em degelo pelo aquecimento global…
É preciso ser audacioso, é necessário amar e perdoar, é necessário ter coragem de fazer nossa parte, não lamentar, se temos tanto e outros nada têm.
Que filho e filha somos: fazemos a vontade do Pai Eterno que nos entregou linda e saudável a natureza?
Se construimos ambientes éticos e fraternos e acolhemos a todos que vão a nossa casa, nossas igrejas, escolas, clubes, comunidades, então somos de Deus!
Ou só vemos o pior e não vemos que Deus age lá onde pode e nos provoca a fazer o bem por amor e amar a todos – porque em todos Deus está!
Agradecemos os estercos da vida para plantar nossa horta interior e enviar matéria boa e de qualidade ao céu, como tesouro para a morada onde estaremos um dia ou para sempre, após a morte?
Esterco, sim, vem do grego, “scathon’, daí: a escatologia: parte da teologia e da espiritualidade cristã que nos diz sobre os novíssimos do homem: Morte, Juízo, Inferno ou Paraíso.
«Lembra-te, ó homem, que és pó, e ao pó hás-de voltar» / «Que adianta ao homem ganhar todo o mundo, se vier a perder a sua alma?» (Sagrada Escritura)
A Fé Católica
Igreja Una Santa Católica e Apostólica
A Fé Católica | Os Novíssimos do Homem e da Fé
Os Novíssimos do Homem e da Fé
Os Novíssimos do Homem e da Fé
“Em todas as tuas obras, lembra-te dos teus novíssimos, e jamais pecarás”. (Eclo 7,40).
Leia mais: http://www.afecatolica.com/products/os-novissimos-do-homem-e-da-fe/
É sobre este destino que iremos meditar um pouco: Inferno e Paraíso (sendo incluído também o Purgatório).
Leia mais: http://www.afecatolica.com/products/os-novissimos-do-homem-e-da-fe/
“A Igreja formulou a doutrina da fé relativa ao Purgatório sobretudo no Concílio de Florença e de Trento. Fazendo referência a certos textos da Escritura, a tradição da Igreja fala de um fogo purificador:No que concerne a certas faltas leves, deve-se crer que existe antes do juízo um fogo purificador, segundo o que afirma aquele que é a Verdade, dizendo, que, se alguém tiver pronunciado uma blasfêmia contra o Espírito Santo, não lhe será perdoada nem presente século nem no século futuro (Mt 12,32). Desta afirmação podemos deduzir que certas faltas podem ser perdoadas no século presente, ao passo que outras, no século futuro.
Este ensinamento apoia-se também na prática da oração pelos defuntos, da qual já a Sagrada Escritura fala: “Eis por que ele [Judas Macabeu) mandou oferecer esse sacrifício expiatório pelos que haviam morrido, a fim de que fossem absolvidos de seu pecado” (2Mc 12,46).
Leia mais: http://www.afecatolica.com/products/os-novissimos-do-homem-e-da-fe/
Diante disso, Deus nos convida à prática DAS OBRAS DE MISERICÓRDIA
69. Quais são as boas obras, de que nos serão tomadas contas
rigorosas, no dia do juízo?
São as obras de misericórdia.
70. Quantas são as obras de misericórdia?
As obras de misericórdia são catorze: sete corporais e sete
espirituais.
As corporais são estas:
1º Dar de comer a quem tem fome;
2º dar de beber a quem tem sede;
3º Vestir os nus;
4º Dar pousada aos peregrinos;
5º Visitar os enfermos e encarcerados;
6ºremir os cativos;
As espirituais são estas:
1º Dar bom exemplo;
2º Ensinar os ignorantes;
3º Castigar os que erram;
4º Consolar os aflitos;
5º Perdoar as injúrias;
6º Sofrer com paciência as fraquezas do próximo;
7º Rogar a Deus pelos vivos e defuntos.
http://www.downloadcatolico.com.br/2011/10/2-catecismo-da-doutrina-crista.html
Essa é a nossa fé que professamos diante do mundo, que é indiferente às coisas de Deus. Cremos na vida eterna e o perdão dos pecados conforme os Evangelhos e ao que nos ensina a
Santa Mãe Igreja, que tem a doutrina dos apóstolos. Amém.
J B Pereira e http://paroquiaimaculadaconceicao.com.br/reflexao-diaria-18-de-outubro-de-2016/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+ParoquiaImaculadaConceicao+%28Paroquia+Imaculada+Concei%C3%A7%C3%A3o%29
Enviado por J B Pereira em 30/10/2016
Reeditado em 30/10/2016
Código do texto: T5807634
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2309 textos (1294123 leituras)
14 e-livros (92 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/19 19:56)
J B Pereira