Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sou teus delírios

Com o alvor de tuas madeixas,
Mesmo solenes amores revertem,
E sim o amor que inexistes,
O amor que não fala calar.

O ajudar como arma de fogo,
Meus sonhos estão apertados,
Como fosse ter todo desapego,
O original nome que definidos.

Refrão
Na alvorada dos teus sonos,
Campestres amores o são,
Como amor que tem ilusão,
Calei-me como quem coração.

Na aventura do ser amar,
Polivalente amor querer,
Mesmo o corpo que calar,
O amor que se justifica.

O sentimento mais lindo,
Amar a nossa paz ar findo,
O maior amor que covalente,
Mesmo o sentir o corpo.

Refrão
Na alvorada dos teus sonos,
Campestres amores o são,
Como amor que tem ilusão,
Calei-me como quem coração.

O amor que se faz perdoador,
Mesmo o cinético ser dor,
Como o horizonte amor,
Mesmo o servir que ardor.

O coração age no corpo,
Mesmo acalentado o verso,
Mesmo o sentir que imerso,
Mesmo o somo que sonho.

Refrão
Na alvorada dos teus sonos,
Campestres amores o são,
Como amor que tem ilusão,
Calei-me como quem coração.

Gumer Navarro
Enviado por Gumer Navarro em 10/09/2019
Código do texto: T6741996
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gumer Navarro
São Paulo - São Paulo - Brasil, 36 anos
1251 textos (4455 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/19 23:21)
Gumer Navarro