Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Através da cela da prisão

Meu filhinho amado
Já faz muito tempo
Que perdi a razão
Numa cela escura e fria
Quase cego e surdo
Tocou-me o coração
Quando que por uns
Instantes ouvi uma breve canção
Que do longínquo soava
Naquele momento
Chorei,um choro
Lágrimas derramadas
Por muito que perdi
Ao soluçar tive a certeza
Que a história por aquela
Melodia a contar
Tratava-se da vida que deixei
De ter
Peço perdão todos os dias
De minha vaga vida
Pelo abandono que
Causei
A tristeza me rodeia
Aos quatros passos que dou
Na cela onde estou
E o arrependimento de não
Ouvir os conselhos de sua
Pobre mãezinha
Que muito me alertou
Quando das amizades
Incertas
O triste fim nos levou
Filhinho querido
Onde você estiver
Se puder
Perdoe-me por favor
Perdoe este pobre velho
Que só ao final de sua
Vida
Compreendeu o verdadeiro
Sentido do viver
Perdoe-me,perdoe-me por favor...
Nada mais me resta a não ser
Ouvir o seu perdão.
Mirão da Estrada
Mirão da Estrada
Enviado por Mirão da Estrada em 30/09/2007
Código do texto: T674354
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mirão da Estrada
Blumenau - Santa Catarina - Brasil, 50 anos
498 textos (14908 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/12/17 20:48)
Mirão da Estrada