Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"MENINO DE RUA QUE A ONU NÃO VÊ"

Eu nasci la no morro fui criado na rua, sob o mirar da lua e das sirenes a tocar
Do ruído raivoso de um motor que ronca me acusa da bronca e quer me “guardar”.
O flagrante é o cheiro perfume primeiro flagrante lavrado após camburão
Eu queria uma sina de viver diferente onde bicho e gente fosse bela união
Cassetete que sobe e no lombo já desce o corpo padece o flagelo da dor
Quem bate não sente a dor tão causada o retrato do nada revela o opressor
Cade a muamba o fino o fumo me faça um resumo desse seu vagar
A rua é crua a fome é nua respondo e apanho sem poder chorar
O grito ecoa na vala tão rala desceu a escala o crime abraçou
Sou eu peregrino, objeto menino sofrendo o destino que meu sonho ganhou.
Quem dera me dessem escola e giz um riso feliz uma escola e um lar
Mas o mundo cruel inverteu meu papel mirando o céu só aprendi a chorar.
Cadê minha infância, falida e perdia meu resto de vida nas ruas ficou
E o moço fardado de coturno novo me chuta de novo minha história findou
Ninguém me procura e a rua escura manchete em filete de sangue a correr
Já deu no diário do jornal sangrento e a todo momento "um de mim a morrer".
Nas ruas aos 9 aos 10 já roubando fumando e cheirando pra tornar roubar
Já fui avião hoje sou descartado, aeroporto fechado sem nome no hangar.
Carlos Silva
14 de Outubro de 2019
CARLOS SILVA POETA CANTADOR
Enviado por CARLOS SILVA POETA CANTADOR em 21/10/2019
Código do texto: T6775145
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
CARLOS SILVA POETA CANTADOR
Cipó - Bahia - Brasil, 56 anos
366 textos (15656 leituras)
3 áudios (372 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/11/19 15:58)
CARLOS SILVA POETA CANTADOR