Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Como o amor vence

Quando saímos, para fora,
Imaginando como quiseres,
De ser como doce de agora,
Respeitar com tudo os seres.

Como os amores se conclamam,
Almas sensatas de fases,
De chamar como fossem chamam,
O dia amor de seus altanasses.

Refrão
Como o amor de detiveres,
Assim o medo de ser amados,
Como o silente amor de eres,
De fazer como somos alados.

O corpo de quem a tangente,
De animar como o fosse,
E mais surgir como quente,
O amor maior de foz doce.

O semblante de um sacerdote,
De alegrar como fosse forte,
De surgir com o teu perdão,
E dizer ao pecado: meu não.

Refrão
Como o amor de detiveres,
Assim o medo de ser amados,
Como o silente amor de eres,
De fazer como somos alados.

O amor de um bom homem,
De fazer o medo em ordem,
De conseguir ser retamente,
O amor tem também a gente.

O corpo do amor divino,
De alicerçada como o sino,
Retumbando suas alegrias,
Façamos daqui novos dias.

Refrão
Como o amor de detiveres,
Assim o medo de ser amados,
Como o silente amor de eres,
De fazer como somos alados.

Gumer Navarro
Enviado por Gumer Navarro em 27/06/2020
Código do texto: T6989402
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Gumer Navarro
São Paulo - São Paulo - Brasil, 36 anos
4686 textos (15766 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/08/20 18:30)
Gumer Navarro