Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mulher Nascer

Em um deslumbre.
Acordar, com o esplendor do seu bom dia
Os olhos brilhantes, cristal mais brilhante que o sol
Solidão que vaga sobre nossos corpos
Olhares enfeitiçados, sonhos que parecem gotas
Gotas de lagrimas e suspiros ao pedaços
Suspiros baixinhos.
O coração aos trancos, bate apenas por bater
Sem ritmo, sem um sonhar
O que é a solidão, se não, apenas dois corpos
um longe do outro.
Que as mãos, possam seguir em paz
O caminho longínquo de suas curvas
Assume o volante e me guie para o paraíso.
Anjo, sonho bom que surgiu durante a noite
E de manhã se fez mulher
Faz se mulher de onde vens?
Ao tocar o olhar se enche de carinho.
Ternura acima das nuvens
Me deixa se jogar no paraíso dos seus abraços
Do pescoço ao sonhos, suspiros as pedaços
Encontro de dois mundos.
Anjos que podem voar, me leva p, algum lugar
Onde possamos ver um amanhecer dublo
E os beijos possam estralar como suspiros
E as lagrimas de cristais que brilham mais q o próprio sol
Pulou sobre a cerca do desejo.
Trazendo assim um furacam p, o ser.
Cristalino o amanhecer, refletidos em teu olhar.
Castanho o por do sol
Solidão entre os corpos sobre a cama.
Pedaços de mulher sobre a alma
Anjo.
Sonho bom que surgiu durante a noite
E de manhã se fez mulher
Devaneios Errantes
Enviado por Devaneios Errantes em 22/07/2021
Reeditado em 22/07/2021
Código do texto: T7305145
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Devaneios Errantes
São Paulo - São Paulo - Brasil
24 textos (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/08/21 21:20)
Devaneios Errantes