Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POLISSEMIA - PARTE II


 
A significação da palavra  -  "Cabeça", palavra corrente.  Isolada, no sentido mais geral, em significação física e primitiva, 'parte superior do corpo humano';  frequente emprego e significado há mais de mil anos, porém com o uso da palavra surgiram uma série de sentidos subsidiários, mais ou menos diferentes do sentido etimológico  (etimologia:  estudo da origem das palavras, fixação da forma e do sentido primitivo).
 
Mais usuais diversas significações:
 
Polissemia da palavra "cabeça"  -  sentido principal -  parte superior do corpo. / Toda a gente o louva:  é uma grande cabeça - intento, inteligência. / Sabia de cabeça todos os versos do poema - de memória, de cor. / Ele vinha à cabeça de todos os concorrentes - à frente, na parte superior. / Essa vila é a cabeça da comarca - capital. / Pagaram dez tostões por cabeça - indivíduo, pessoa, unidade. / Feriu-se na cabeça do dedo - extremidade, ponta. / O cabeça da conspiração foi aprisionado - líder, chefe, pessoa principal. / Isso não tem pés nem cabeça - sentido claro. / Deu-lhe agora na cabeça fazer versos - capricho, fantasia. / Cada cabeça, casa sentença - homem, personalidade. / Então perdeu por completo a cabeça... - razão, serenidade.
 
CURIOSIDADES ETIMOLÓGICAS e histórias das palavras - "O povo italiano é hipócrita" - palavra deriva do latim 'hypocrisis' e do grego 'hupokrisis'  (representação de um ator, atuação, fingimento) - no fundamento da etimologia helenista, 'São naturais atores, gostam da exibição espetacular".  ---  Apelido "marechal", na atualidade significação honorífica altíssima, na origem 'encarregado da cavalariça'.  ---  "Coitado" namorado que curtia dores por sua amada, no tempo dos trovadores medievais;  hoje, pobre ou infeliz, a quem a vida não corre bem.
 
 
EXERCÍCIO - Traduza as significações da palavra "pena":
 
1-A pena admirável do escritor.  -  2-O pássaro deixou cair três penas.  3-Foi condenado a pena maior.  -  4-É pena que não vás!
 
     ---------------------//////////////------------------------
 
FONTE:
 
"Estilística da Língua Portuguesa", livro de M. RODRIGUES LAPA  (1897 / 1989) - filólogo português.
 
                                      F  I   M



Rubemar Alves
Enviado por Rubemar Alves em 24/02/2019
Código do texto: T6582690
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rubemar Alves
Salto - São Paulo - Brasil, 52 anos
770 textos (35958 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/05/19 12:12)
Rubemar Alves