Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

É PECADO FAZER JURAMENTOS?

Mateus 5:33-37;

33 – Outrossim, ouvistes que foi dito aos antigos: Não perjurarás, mas cumprirás os teus juramentos ao Senhor.
37 – Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna.

Jesus nos ensina a não jurar. Isso nos deixa um pouco confuso, pois temos várias menções na Bíblia de servos de Deus fazendo juramentos. Inclusive, o próprio Jesus se submeteu a juramento diante do Sumo Sacerdote, quando ele o interrogou em;

Mateus 26:63 –  Jesus, porém, guardava silêncio. E, insistindo o sumo sacerdote, disse-lhe: Conjuro-te pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho de Deus.

Minha pergunta é:

É pecado fazer juramentos?

Como entender essa fala de Jesus?

Irmãos, muito interessante essa observação.
Gostaria ler algumas questões sobre esse tema, a fim de melhorarmos o nosso entendimento a respeito da mensagem que Jesus quis comunicar ali aos Seus discípulos no Sermão do Monte.

A Bíblia proíbe de fazer juramentos?

(1) Geralmente quem faz algum juramento o faz buscando dar mais peso às suas palavras, fazendo com que se acredite nelas por meio desse apelo por algo superior, sagrado. Geralmente as pessoas juram usando Deus, o céu, pessoas importantes, a vida. É muito comum algumas pessoas dizerem: “Eu juro pela minha mãe”, ou, “Eu juro por Deus”. Na época de Jesus já se usava juramentos desse tipo, era muito comum, até mais do que hoje, já que até mesmo alguns negócios eram fechados na base do juramento. Por exemplo, José do Egito fez o povo jurar que depois de sua morte seus ossos fossem levados à terra prometida;

Gênesis 50:25 – E José fez jurar os filhos de Israel, dizendo: Certamente vos visitará Deus, e fareis transportar os meus ossos daqui.
E o juramento tinha tanto peso que, mesmo passados mais de 400 anos esses ossos foram transportados até chegar lá;

Êxodo 13:19 – E Moisés levou consigo os ossos de José, porquanto havia este solenemente ajuramentado os filhos de Israel, dizendo: Certamente Deus vos visitará; fazei, pois, subir daqui os meus ossos convosco.

Josué 24:32 – Também os ossos de José, que os filhos de Israel trouxeram do Egito, foram enterrados em Siquém, naquela parte do campo que Jacó comprara aos filhos de Hemor, pai de Siquém, por cem peças de prata, e que se tornara herança dos filhos de José.
Ou seja, o juramento era algo muito comum na cultura judaica.

(2) Jesus não parece estar proibindo todo tipo de juramento. Como mencionado, o próprio Jesus esteve sob juramento em seu depoimento ao sumo sacerdote;

Vamos reler;

Mateus 26:63 –  Jesus, porém, guardava silêncio. E, insistindo o sumo sacerdote, disse-lhe: Conjuro-te pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho de Deus.

O próprio Paulo usa esse expediente em;

Romanos 1:9 – Porque Deus, a quem sirvo em meu espírito, no evangelho de seu Filho, me é testemunha de como incessantemente faço menção de vós,
onde toma Deus como testemunha de seus esforços de oração pelos crentes. E, por fim, até o próprio Deus usou de juramento para mostrar a seriedade de Suas promessas;

Hebreus 6:17 – Por isso, querendo Deus mostrar mais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento;

Logo, não me parece que todo tipo de juramento esteja sendo proibido por Jesus ou que haja pecado em todo tipo de juramento.

(3) A leitura do contexto parece nos indicar que Jesus condenou um tipo de juramento usado pelas pessoas para serem mais confiáveis. Ou seja, sem o juramento, a palavra da pessoa não tinha valor. Isso indica pessoas que usavam da mentira, da injustiça e de outros pecados em sua vida cotidiana, mas, quando precisavam que alguém confiassem nelas para algum fim específico, precisavam usar a força de algum juramento por Deus, por Jerusalém, por sua própria vida para que fossem levadas a sério. Ou seja, eram hipócritas.

Jesus condena esse tipo específico de juramento. Jesus condena a atitude daqueles que precisavam jurar para serem confiáveis ou que manipulam os juramentos para serem favorecidos de alguma forma. Sem estarem sob juramento não eram corretos e justos. Isso não convém ao servo de Deus.

(4) Dessa forma, o ensino de Jesus aos seus discípulos é que fossem justos e íntegros em suas palavras e ações, de maneira que o juramento não fosse sequer necessário, pois o seu sim ou o seu não seria suficiente devido a justiça presente em suas vidas:

Vamos reler:

Mateus 5:37 - Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna.

Evidentemente que em alguns casos é possível fazermos votos e juramentos sérios. Jesus não proibiu esse tipo de juramento como vimos no ponto dois. Mas é preciso ter muito cuidado para não cair no erro de estar querendo manipular situações através de juramentos.
Todo cuidado é pouco.


Gloria a Deus, Amém Senhor.
 NRS08012018
NOSLEN OLEBAR
Enviado por NOSLEN OLEBAR em 16/04/2019
Código do texto: T6625265
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
NOSLEN OLEBAR
São Caetano do Sul - São Paulo - Brasil
213 textos (8387 leituras)
7 áudios (117 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/05/19 19:48)
NOSLEN OLEBAR

Site do Escritor