Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESTAÇÕES

Todas as estações têm sua magia e cada uma singularmente vive a sua beleza e plenitude. A própria natureza sempre esteve diante de nós, cheia de bons exemplos e acima de tudo repleta de bom senso. Nós, humanos tão cheios de inteligência, somos tão incompetentes diante do nosso próprio tempo, quando esmagamos o outro, quando egoisticamente nos achamos os campeões e deixamos no esquecimento a sabedoria de quem nos trouxe até aqui, passo a passo, sem pressa e com muita paciência. Onde a reciprocidade do gesto?

Afastamo-nos do afago da mão cansada, sempre pronta a uma carícia; da palavra sempre doce, como bálsamo nas nossas dores. Julgamos e condenamos à solidão e ao silêncio, sem defesas, milhões de seres humanos. Velada ou escancaradamente subestimamos a sabedoria, como se o tempo fosse capaz de atrofiar sentimentos, alma. Tiramo-lhes o direito até ao amor e jogamos ao esquecimento nossos heróis, doces companheiros, homens e mulheres que projetaram a vida e que são postos de lado, com o algo inútil, nas sobras, sem direito ao amanhã.  O tempo os coloca frente ao espelho cruelmente - com pesos e medidas - e são levados na esteira do descaso.

Será que chegaremos ao absurdo de se criar campanhas, cartilhas, para ensinar o bê-á-bá do respeito, dos bons costumes e do amor para com aqueles que doaram o seu melhor, que chegaram antes, com as mãos cheias de sementes e frutificaram o nosso hoje?

Julgamo-nos completos, sem pensar que sem eles não temos história, não somos nada. E embora a solidão seja a mais próxima das companhias, as mãos que um dia nos sustentaram e hoje tão frágeis, conhecem a decepção de dias frios, jamais se negarão a um gesto grandemente digno, ainda que seja o último: o do perdão!


Eva Gomes de Oliveira
Enviado por Eva Gomes de Oliveira em 23/11/2007
Reeditado em 19/07/2009
Código do texto: T749867
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Eva Gomes de Oliveira
Jaú - São Paulo - Brasil, 61 anos
242 textos (14945 leituras)
2 e-livros (104 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/12/17 17:05)
Eva Gomes de Oliveira