Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Menino Maluquinho

              De certo tempo para cá, senti vontade de voltar aos tempos de criança. Para realizar-me, confeccionei estilingues e bodogues para matar passarinhos. E arapucas para pegá-los vivos. Para aprisioná-los, fiz um viveiro natural. Os primeiro a conhecer o cativeiro foi um casal de saracura; e outro de pica-paus e um tucano solteiro. Pelo menos por enquanto, agora a ave e os pássaros possuem endereços fixos.
   Fiz também moinhos de vento e rodas'água; biruta para saber a direção dos ventos e castelos e túneis de argila. Magistralmente, as folhagens valsam conforme a sinfonia regida pelos ventos.
           Estando o artesanato pronto, chamei os meus amigos e vizinhos para brincarmos. Os primeiros encontros à luz do luar foram fantásticos. Pintamos, bordamos, caçamos, depenamos e pulamos amarelinha. Para ter uma ideia, o papagaio de papo amarelo está em extinção.  Sobrou, quando muito, apenas um ou outro para contar história. E advinhe quem colaborou para a extinção?
             Contudo, neste último mês, decidimos jogar queimada e quebrar a vidraça do veio Durval, que todos chamam-o de "Veio Durva da Barba Rala". Está um veneno com a meninada de bigode e farda; como somos alcunhados. Quer saber o por quê? Mas preste atenção, é papo federal e por sê-lo, confidencial.
                   Embora tenhamos feito um arsenal de brinquedos, nos especializamos em jogar queimada. Isso mesmo: queimada com bola de fogo. Fireball em inglês, os poliglotas do arraial adoram expressões em inglês. Parece regra; e tudo por aqui é batizado com palavras originária dos gringos além-oceano. Vai um spoiler aí, Miss Brown Smith? To be or not to be? Essa é a expressão write on my T-shirt. Que luxo!
                  Criativos e astutos às traquinagens, botamos bombinhas e tocamos fogo no rabo do gato do Vô Durva, como prefiro chamá-lo. Ao primeiro "pum" das bombinhas, o bichano saiu em disparada, miando doido. Eu a patota gargalhamos de rolar no chão! Ruim foi quando o diabo do gato entrou no canavial. Com essa seca, imagine o fogaréu...! Aliás, em teoria, por causa da fumaça tóxica, está proibido queimar cana. E gato entendi de leis?
                Constituição para eles passou longe. São bons caçadores, pois são da família dos felinos, até aí, o que tem a ver com a bíblia composta por leis, medidas provisórias, incisos, parágrafos, decretos e outros bichos? Sai prá lá gato; é pouca lei para sua insuperável inteligência!
          A experiência não foi das melhores, mas continuamos fazendo estragos nas vidraças dos bacanas; motivo de estarmos foragidos do arraial.
             Por favor, pelo amor que tens aos seus filhos e às crianças ingênuas e autênticas, não denuncie à polícia e ao ICMBio, antigo IBAMA, que sou eu, Mutagambi, menino escritor do Recanto, quem fez as doidices de jogar queimada na madrugada. Perdoe, crianças não sabem o que fazem; por mais e mais, quem dorme com criança, amanhece mijado. O caro e nobre leitor, senhor de letras e ciências saber desse aforismo falado pelos matutos. Sim, claro, creio piamente que sabe!


P.S.: tá cheio de beija-flor, algumas delas com diplomas, especialistas em caçar e exterminar jogo de queimadas, mas nenhuma está levando água no biquinho. Tais espécies de beija-flores está mais para cães pit bull. Rosna, rosna, rosna, rilha os dentes, mas a troco de um pedaço de osso triturado , misturado com restos de comida, não abocanha ninguém.

Entre os clãs sociais, há o homem "atraso de vida"; e a soma de todos os clãs sociais juntos, a humanidade, rápido avanço usurpatório da Natureza.

Mutável Gambiarreiro
Enviado por Mutável Gambiarreiro em 25/08/2019
Reeditado em 25/08/2019
Código do texto: T6728898
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mutável Gambiarreiro
Jegue é - Tovuz - Azerbaijão
2319 textos (53853 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/11/19 16:06)
Mutável Gambiarreiro