Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RP - O CASAMENTO DE BETO LAGE - PARTE 14


                             O CASAMENTO DE BETO LAGE
                                             PARTE XIV

                           Noite de segunda-feira. A Santa Casa de Misericórdia nunca esteve tão calma.
   Fabrício está sozinho em seu consultório, olhando para as chapas radiográficas em sua frente. A porta se abre e Miguel entra por ela. Fecha a porta atrás de si e encosta-se a ela desanimado.
   Fabrício olha para ele.
- Conseguiu fazê-la dormir?
- Acho que sim. Dona Lucila está com ela.
- Ela está sendo de grande ajuda.
- Está...
   Miguel se senta numa cadeira e apoia os braços na mesa, olhando também para as radiografias que Fabrício observava.
- O que mais dói é que... ela não se desespera. Não se lamenta. Só chora. Eu tenho medo disso, Fabrício.
- Eu estou com medo de outra coisa. O Valter disse que o pai dele é cardíaco.
- É... Ele teve um começo de enfarto há pouco tempo, mas foi coisa leve. Foi pra casa no dia seguinte e já está bem agora, pelo pouco que eu sei. Ele é um homem forte. É fazendeiro.
- Quando se trata de filho doente... nenhum homem é forte o bastante.
   Miguel fica em silêncio, concordando com ele, mas não querendo comentar mais nada. Os dois ainda estão em silêncio quando Valter entra.
- Oi, gente! Alguma novidade?
- Fora o fato do nosso amigo estar com uma bomba relógio na cabeça... não, nada, diz Miguel.
- Ele vai sair dessa. Eu tenho certeza que vai. O tumor é muito pequeno. A quimioterapia acaba com ele em seis meses...
- Ele não vai fazer quimioterapia, diz Fabrício.
- O quê?!
   A enfermeira Sueli entra no consultório e se surpreende.
- Ah... desculpe, doutores. Eu vi o doutor Valter entrando aqui... Vim perguntar se o senhor não vai para casa, doutor Fabrício.
- Não, agora não. Algum problema?
- Não, só vim lhe avisar que o doutor Cláudio acordou. Faz uma meia hora.
   Miguel se levanta.
- Obrigado, Sueli, diz Fabrício. - Eu já vou até lá.
   Ela sai.
- Que história é essa que ele não vai fazer quimioterapia? - Valter pergunta.
   Fabrício se levanta, indo para a porta.
- Pergunte você mesmo a ele. Eu também não entendi nada.
  Em poucos minutos, os três médicos estão no quarto de Cláudio. Karen está com ele também. Cláudio olha para os três e sorri.
- Meu trio ternura favorito.
   Valter se aproxima mais dele e segura sua mão.
- Como você está?
- Quanto tempo eu apaguei?
- Dois dias, diz Fabrício. - Você ficou em coma induzido por dois dias... Teve outra crise...
- Dois dias... Meu Deus... ele diz, pensativo. – Cadê a Mônica? Ela está bem?
- Está... Está com a dona Lucila, diz Miguel.
- E minha filha?
- Bem também. Suas meninas são muito fortes.
- Todas elas, diz Valter, abraçando Karen. – Você não quer ir descansar um pouco, minha lady preferida? A gente cuida dele agora.
- Eu vou, mas não o deixem sozinho. Eu volto daqui a pouco. Ah... ia esquecendo de te dizer, Cláudio... Seu irmão ligou de Casa Branca. Acho que ele está vindo pra cá.
- O Wagner ligou? O que ele queria?
- Não sei. Acho que queria saber de você.
- E você contou que eu estava aqui?
- Tive que contar, filho, ela diz já se emocionando. – Vai ser bom ele estar aqui com você.
   Karen segura a mão de Cláudio e o beija no rosto. Saindo em seguida.
- Está sentindo alguma coisa? A dor de cabeça passou? - Fabrício pergunta depois que ela sai.
- Eu estou sentindo como... se tivesse bebido três litros de uísque vagabundo. A Karen disse que eu tive outra crise.
- A gente teve que te apagar. Foi bem agressiva desta vez. A crise começou justamente quando eu te contei o resultado dos seus exames. Você sentiu a dor de cabeça e eu tive que sedar você.
- Meus olhos estão doendo...
- Se persistir, eu te aplico outra injeção pra aliviar a dor daqui a pouco.
- Não... - Os três estranham. - Eu não quero dormir de novo. Quero ver a Mônica, primeiro.
- É melhor deixá-la descansar um pouco, diz Miguel. – Deixa pra falar com ela amanhã.
- Elas estão bem mesmo, não é?
- Você tem que pensar em você agora, diz Miguel. - Pensar no que vai fazer daqui pra diante.
- Eu quero sair desse hospital hoje ainda.


            RETORNO AO PARAÍSO – O CASAMENTO DE BETO LAGE
                                               PARTE 14

                             OBRIGADA POR SONHAR COMIGO!
                     BOA TARDE E AME O SEU AMOR AMANHÃ TAMBÉM...
                            NÃO SÓ NO DIA DOS NAMORADOS!
                            DEUS NOS ABENÇOE A TODOS NÓS!
Velucy
Enviado por Velucy em 12/06/2018
Código do texto: T6362418
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1033 textos (3999 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/18 03:24)