Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMANDA V - ENJOO III - PARTE 2

                                         II – ENJOO

                   Marco e Amanda foram andar um pouco, não só pelo clube, mas pelo centro de Santo Amaro. Depois resolveram ir até o parque do Ibirapuera e sentaram-se na grama junto do lago. Amanda abraçou os joelhos e ficou pensativa, olhando a água. Marco, sentado junto dela, massageava suas costas. Depois de uns segundos de silêncio, ele apoiou o queixo em seu ombro e perguntou:
- No que você está pensando?
- Na minha mãe...
- Engraçado isso. Você quase nunca fala dela.
- Eu não tenho muito que falar. Eu nem a conheci direito... Era tão pequena quando ela morreu...
- E o que te fez pensar nela agora?
- Eu sonhei com ela...
- Sonhou? Conta pra mim?
   Ela respirou fundo e depois de uma pausa disse:
- Não me lembro direito como foi o sonho... Só sei que ela estava tão bonita... sorria pra mim e me estendia a mão... depois tocava minha cabeça... e eu sentia um arrepio gostoso... Senti vontade que ela me abraçasse, mas quando eu pensei que ela ia fazer isso, ela... foi se afastando de mim...
  Os olhos dela se encheram de água. Marco beijou seu ombro.
- Foi por isso que você acordou tão nervosa, então?
- Não sei... Eu me senti tão sozinha... Aí eu acordei, com aquela sensação horrível no estômago, a boca enchendo de água e uma vontade enorme de vomitar... Senti falta da minha vó...
  Amanda escondeu a cabeça nos joelhos.
- Por que você não me acordou?
- Por quê? Você não ia poder me ajudar. E estava dormindo tão gostoso.
- Amanda, eu sou seu marido, poxa! Você não tem mais nenhuma das duas aqui, nem sua mãe, nem sua vó. Eu estou! Se você está grávida, eu também estou. A gente está nisso juntos. Eu quero fazer parte de tudo que acontecer com você e com ele daqui pra frente. Não importa que o bebê esteja só na sua barriga. Eu quero enjoar com você, quero engordar com você...
   Ela riu, ainda com a cabeça baixa.
- Não estou brincando, amor. A gente tem mais sete meses pra acompanhar esse processo todo que seu corpo vai sofrer e eu quero que seja uma coisa bonita, mas, antes de tudo, a gente tem que encarar isso tudo como uma coisa muito séria. Você já está sentindo que está mudando. Já está irritada, nervosa... Se a gente não ficar junto agora, se você não me disser tudo que se passa por essa cabecinha todo o tempo, eu não vou saber como agir numa situação como a de hoje cedo. Eu lembro que meu pai me disse que teve uma briga séria com minha mãe quando ela estava me esperando e que os dois quase se separaram.
- Eu nunca vou me separar de você, ela disse, erguendo a cabeça e olhando para ele.
- Nem eu de você, anjo, mas às vezes as coisas tomam um rumo que a gente não sabe como controlar. Até agora a gente tem vivido praticamente uma continuidade do namoro. Parece que não mudou muita coisa, do tempo em que a gente vivia na casa dos nossos pais. E se mudou, foi pra melhor. A gente toma café junto, assiste a mesma televisão, dorme da mesma cama... faz amor...
   Ambos riram.
- Foram dezoito meses de lua-de-mel. Mas agora... agora a gente vai ser um trio. E eu não posso dizer que não sinto aquele friozinho no estômago só de pensar que daqui alguns meses, eu vou segurar no colo um molequinho ou uma menininha que no futuro vai me chamar de pai! Que vai chamar minha Amanda de mãe... E ele está aí dentro de você já provocando a maior confusão no seu corpo e na sua cabeça. É uma experiência nova pra nós dois e se a gente não colocar nossas cabeças em sintonia, não vai dar pra se entender.
- Eu tenho tanto medo, Marco... Hoje cedo, enquanto eu estava tomando o chá, fiquei pensando no que ia acontecer comigo quando ele começasse a crescer aqui dentro. Por enquanto a única denúncia de que ele está aí é esse mal estar que eu sinto toda a manhã. Mas e depois? Juro que depois de me casar com você, era com o que eu mais sonhava. Só não fiquei grávida antes porque você tinha dito que ainda não dava, que a gente tinha que dar um tempo pra se adaptar um com o outro, se acostumar a viver junto... Curtir um ao outro um pouquinho... Mas eu queria muito... E agora... ele está aqui e me dá medo... ansiedade, sei lá...
  Ela acariciou a barriga.
- Eu sei... É por isso que eu quero ficar sabendo de tudo que se passa com você. Quero saber de tudo que te aborrece, de cada coisa que eu fizer e você não gostar. De tudo.
- Não quero brigar com você.
- Nem vai, meu amor.
   Amanda o beijou e ele a fez deitar-se em suas pernas na grama.
- Eu te adoro, ele disse. – Já adorava antes, mas parece que ficou pior.
   Ela riu e puxou-o pelo pescoço, beijando-o.
 

                                               ENJOO
                                              PARTE II


                             DEUS ABENÇOE A TODOS NÓS
             SEJAMOS, TODOS, LUZES NA ÁRVORE DE NATAL DO CRISTO!
                               UM NATAL DE SAÚDE A TODOS!

Velucy
Enviado por Velucy em 17/12/2018
Código do texto: T6528944
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1443 textos (9057 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/07/19 23:28)