Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMAR DEMAIS 21 NOVEL LIVRE 14 ANOS

  34




         Lorraine chega no bar, Iracildo entrega para ela uma dose de certa batida.
   - Esta aqui?
   - Sim.
   - Obrigado.
   Ela deixa o copo no balcão e pega outro com wisky.
   Andando pelo corredor, ela para frente a uma porta quase nunca aberta, dá uma leve batida e esta abre-se.
   - Então é você?
   - Olá Lorraine.  A mulher sai da poltrona com estampa de zebra e estende a mão para Lo.
   - Sou Rosa.
   - Prazer, bem, você já sabe o meu, Lorraine.
   - Sim, ja fui informada.
   - Sei.
   - Me desculpe demorar tanto para me apresentar.
   - Tem algo que ainda não entendo.
   - Pode perguntar.
   - Quando eu entrei eu vi aqui na frente um bom carro, dos caros, com motorista e tudo, sei que uma pessoa assim não viria aqui para prestigiar o local, entende?
   - Vejo que é uma excelente observadora, sabia que estava investindo bem minha parte.
   - Por que uma mulher de posição, por que se vê que a senhora é de um certo luxo, alta classe, iria querer numa sociedade num comércio até então suspeitoso?
   - Acredite, querida, não sou tão diferente de você, tive uma infância e juventude bem pertubada e miserável, conheci a certa altura um cara e nisso engravidei, daí em diante as estórias se repetem, conhecemos bem...
   - Mesmo assim, ainda é um mistério essa sua sociedade comigo.
   - Tá, agora você ja sabe um pouco sobre mim, eu de minha parte sei algumas coisas sobre você afinal não iria jogar no escuro, entende?
   - Sim.
   - Então, sendo assim ja podemos mudar o rumo do assunto e irmos ao que me interessa e a grande parte da população mundial, os lucros.
   - Achei que seu secretário, o sr Iracildo lhe coocasse de par em tudo aqui, principalmente das finanças?
   - Sim, mais quero e gosto de ouvir da real fonte, no caso, você.
   - Sendo assim, vamos ao escritório?
   - sim.
   No escritório, Rosa coloca seus óculos e inicia a averiguação dos livros e notas do estabelecimento.
   - Pelo que estou vendo você sabe muito bem como administrar este lugar.
   - Obrigada.
   - Com certeza eu soube muito bem escolher a pessoa certissima para o posto de sócia.
   - Acho que também andou fazendo uma varredura.
   - Lógico querida, negócios são como um batalha em que temos de estar sempre munidas e preparadas para tudo.
   - Vou me lembrar disso.
   - Com certeza que vai.
   Batem á porta e logo entra ali Leonilda trazendo champanhe e 2 taças.
   - Leo.
   - Me desculpem Lo, mais eu achei que gostariam de beber algo...
   - Com certeza queremos.  Diz Rosa sorridente a moça ali e ja se servindo de sua taça oferece a Lo que também pega a sua, fazendo sinal para que Leo saia.
   - Com licença.
   - Toda.
   Assim que Leo sai, Rosa continua com suas análises nos livros.

   Adrian termina de jantar ali com Sandra e Moi e Enzo.
   - Bem, acho melhor eu ir.
   - Não, você vem comigo.  Adrian pega Enzo pela mão e o leva para seu quarto, Moi questiona aquilo com Sandra.
   - Deixe os garotos, olhe só como o Adrian ficou melhor agora que tem seu amigo.
   - Mais será certo eles ficam toda a noite naquele quarto?
   - Já disse Moi, deixe eles, são adultosd ou quase pelo Enzo mais ja sabem o que fazem da vida, agora vem, quero sua ajuda aqui com a louça.
   - Tá bom, mais mesmo assim, sei lá, não é certo.
   - Vem Moi.
   - Tô indo.
   No quarto, Adrian coloca uma música romãntica e eles ali na cama sentados.
   - Já te falaram?
   - O quê?
   - Que você é o carinha mais gostoso desse bairro?
   - Para, desse jeito vou acabar ficando sem graça, tô falando hein.
   - Sabe, eu prefiro mesmo é você sem roupa.
   - Adrian.  O rapaz é tomado por beijos e caricias de Adrian, logo eles tiram suas roupas, nisso toca o celular de Adrian.
   - Não vai atender?
   - Melhor não.
   - Vai atende.
   - Tudo bem, mais não vá fugir hein.
   - Bobo.
   Adrian atende e do outro lado Mônica.
   - Oi.
   - O que foi, ja deveria ter ido.
   - Nossa, como sempre com suas revoltinhas.
   - Por que ligou?
   - As coisas estão mudando.
   - O que quer dizer?
   - Grandes mudanças estão vindo para vocês.
   - Já te disse Mônica, o problema de vocês é comigo, não tem nada haver com minha família, deixem eles em paz.
   - E aí, tá curtindo bem seu bofinho?
   - Vá para o inferno.  Enzo pega o aparelho das mãos de Adrian e o desliga.
   - Essa mulher só quer uma coisa, morrer.
   - Pare, por favor, amor.  Os olhos deles se encontram nesse momento.
   - Você me chamou de amor?
   - Vai e me beija, logo.
   Rosa termina ali com os livros de contas, Lorraine arruma seus cabelos no espelho.
   - Tudo perfeito, com certeza não poderia ter encontrado pessoa mais honesta que você.
   - Obrigada, mais falando nisso, quero....
   - Por favor Lo, só queria que soubesse que jamais desconfiei de você.
   - Por mim, tanto faz, já vi que gosta de tudo a seu gosto e maneira, como disse antes uma batalha.
   - Bem fui um tanto rebelde contigo amiga.
   - Nada, a rua é bem mais rebelde ás vezes e eu sei muito bem disso, entendo até demais.
   Rosa ajeita seu cabelo e vestido ali do lado de Lo em frente ao espelho.
   - Antes de eu ir quero que conheça uma pessoa.
   - Sim.
   Rosa faz uma ligação em frente  a Lo e logo a porta recebe uma leve batida e entra ali Mônica.
   - Bem, Lorraine, esta é Mônica, ela vai ficar por aqui, espero que não seja incômodo?
   - Por mim tudo bem.
   - Ótimo, sendo assim, obrigada querida e já vou indo minha vida é assim, sempre agitadissima.
   Lorraine olha para a mulher ali que sai e agora na sua frente Mônica num vestido longo vermelho, cabelos feito um coque chinês com direito a um leque em sua mão.
   - Oi.
   - Olá, bem se quiser pode andar por aí, eu vou para o salão afinal ja fiquei muito tempo por aqui.
   - Posso te acompanhar?
   - Como quiser.  Lo não demonstra qualquer animosidade para a colega ali, em sua mente só pensamentos ruins sobre tudo isso.
   Nisso toca o celular de Lo, ela o atende.
   - Oi.
   - Desculpe amiga, só estou te ligando para lhe dizer que qualquer ação que não esteja a seu gosto sobre Mônica é só me ligar, tomarei as devidas no mesmo instante.
   - Não precisa se preocupar, afinal o comércio é seu.
   - Não amiga, jamais pense isso, somos sócias, não se esqueça.
   - Bem que eu gostaria, mais pelo jeito será a única coisa que não consiguirei será esquecer este certo detalhe.
   - Ai amiga, por favor não pense mal sobre tudo isso, tudo bem, ligarei para ela e pedirei para que saia daí agora.
   - Como ja lhe disse, para mim tanto faz é até bom, ela poderá ajudar a tomar conta de seus livros.
   - Não, por favor quero que você continue nesse quesito.  Lo desliga sem dar mais atenção a conversa com Rosa.
   Mônica pede licença a Lo e vai para o toilet, ali recebe a ligação de Rosa.
   - O que foi?
   - Não tire os olhos dessa pessoa, sei que logo descobrirá algo que poderei usar a meu favor.
   - Tudo bem, como me pediste.
   - Sabe que odeio falhas hein Mônica?
   - Sim, tchau.  Ela desliga lava seu rosto e retoca a make saindo dali.
   14012019...................................

 
paulo fogaça e IONE AZ
Enviado por paulo fogaça em 19/01/2019
Código do texto: T6554842
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
paulo fogaça
Presidente Epitácio - São Paulo - Brasil
398 textos (4506 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/05/19 05:50)