Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

QUEBRANDO BARREIRAS - OLHOS AZUIS - PARTE 5

                                 XV - OLHOS AZUIS

Blue eyes, baby’s got blues eyes
(Olhos azuis, meu bem tem olhos azuis)
                          Like a deep blue sea on a blue, blue day…
             (Como um mar muito profundo num dia muito, muito azul…)

                                     “Blue eyes” – do Álbum Jump Up! – 1982*

                                                                         
                     Bernie e Davey ficaram olhando para Elton, os dois preocupados por motivos diversos.
- Tem certeza do passo que você está dando cara? - Davey perguntou. – Ela não tem nada em comum com você.
- E quem é que tem alguma coisa em comum comigo no mundo, Davey? O Bob? O John? Você? Meu alfaiate? O padeiro? Até o Bernie que é meu irmão é meu oposto, caramba!
   Bernie ergueu as sobrancelhas e ficou surpreso por ter sido incluído na discussão.
- Me ajudem a esquecer que tudo que eu faço é absurdo e um escândalo! Me ajudem a ser normal pelo menos uma vez na vida!
- Você já parou pra pensar que isso que você vai fazer já vai ser um escândalo simplesmente pelo fato de você, Elton John, o cara mais... gay do universo estar casando... com uma mulher?!
- Não me importo, caramba! Eu quero me casar com Renate Blauel sim e vou me casar com ela. É só ela dizer sim. Aliás... ela já disse. Vamos só estudar uma maneira de não misturar as coisas. Eu estou muito ocupado com o álbum e não estarei livre até fevereiro. Não quero e sei que ela não deve querer também se casar no meio de alguma turnê e pelo visto vai ser o único jeito. A turnê americana vai começar em março e termina sabe-se lá quando. Depois vem a turnê pela Europa e... sei lá. Só sei que não dá mais pra esperar e estou pensando em me casar quando acabarem as gravações em fevereiro...
- Caracas, mas é praticamente amanhã! – exclamou Davey.
- Não se preocupe, grandão, disse Elton, rindo, colocando a mão no rosto dele. – Eu não vou precisar fazer enxoval.
- Mas…
- Davey, eu quero… Quero não, eu preciso do apoio de vocês, mais do que nunca agora.
   Davey ficou olhando para ele e viu que a decisão já estava tomada.
- Você vai ter sempre o meu, mas certifique-se de que não está fazendo isso com a pessoa errada.
- E quem pode saber quem é a pessoa certa, Davey? Ela também corre o risco de estar se envolvendo com a pessoa errada, não é? Eu não sou o homem mais cobiçado do mundo? Metade da imprensa mundial quer ir pra cama comigo pra ter o que falar depois. O risco que ela corre é de longe bem maior que o meu. Se ela aceita ao menos olhar pra mim de um modo especial, como homem, sabendo toda bagagem que eu carrego, sabendo do meu passado, deve haver alguma coisa muito forte acontecendo, concorda? Ou você acha que eu só valho meu dinheiro?
- Claro que não...
- Então me apoie, mas não interfira na minha vida.
   Davey calou-se e entrou na casa também.
   Elton encostou-se no carro onde Bernie já havia se encostado e cruzou os braços. Bernie acendia um cigarro e olhou para ele.
- Não vai dizer nada? - Elton perguntou.
- A preocupação do Davey tem fundamento. Não assusta o cara desse jeito.
- Ah, Bernie, eu não quero assustar ninguém... mais do que eu já estou assustado. Não quero... agredir ninguém. Eu só quero ter o direito de tomar minhas próprias decisões sem que as pessoas me questionem, como se eu fosse um moleque de quinze anos. Está todo mundo acostumado com a ideia de que Elton John é um garoto de trinta e seis anos que precisa ser guiado porque ainda não sabe onde tem a cabeça. O John faz isso. Minha mãe também, além de criticar até o que eu faço de certo. Agora o Davey que me trata como a um de seus filhos...
   Bernie riu e jogou a fumaça no ar.
- Eu me sinto bem com ela. Não é nenhuma... paixão abrasadora. É um sentimento consciente, real... vivo...
- Já percebi… Não precisa descrever mais.
   Elton virou-se de frente para ele. Bernie olhava para o chão com um leve sorriso no rosto.
- Você também não acredita, não é? Você é o único que nunca me tratou como criança...
- Você está me gozando? – Bernie perguntou, olhando para ele. – Acabei de falar que já tinha percebido. Isso está patente em você e não é de hoje. Eu via que era uma coisa diferente. Não foi como quando você... olhava pro John Reid encantado pelo rosto de bebê daquele... baixinho bonitinho de terno e agradecia a Deus intimamente por tê-lo colocado no seu caminho em 70... sexualmente falando. “A libertação de Reg Dwight!”
- Não começa com isso, Bernie.
- Não... Por mais incrível que possa parecer, eu já via você casado com Renate Blauel há alguns meses e isso está pra acontecer. Nós somos irmãos, Elton. Eu sabia das besteiras que você ia fazer antes de você pensar nelas. Nada em você é segredo pra mim.
  Elton apoiou os braços sobre o capô do carro e a cabeça nos braços.
- Me abençoa nessa decisão então?
   Bernie riu alto.


                             XV – OLHOS AZUIS - PARTE 5

          OBRIGADA, SENHOR, PELOS OLHOS VERDES DE BERNIE...
            E PELOS OLHOS GRANDES, TRISTES E DOCES DE ELTON!
                              QUE ESTÃO FELIZES AGORA
      GRAÇAS ÀS BARREIRAS QUE ELE CONTINUA QUEBRANDO!

                           DEUS ABENÇOE A TODOS NÓS!

                                             BOM DIA!


Velucy
Enviado por Velucy em 27/02/2020
Código do texto: T6875202
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1723 textos (11408 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/04/20 19:26)