Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Q.B. - E O SONHO CONTINUA! - PARTE 2

                                   XX – E O SONHO CONTINUA!

“Era bom ser jovem, experimentando a natureza em primeira mão. Eu cobiçava pela vida e vivia a cada dia ao máximo, toda criança em um mundo escorregando de suas mãos.”

Sobre seus professores sem noção de sua época: “O poder da educação nas mãos erradas pode ser mal usado.”

                Frases de Bernie Taupin em seu livro “A Cradle of haloes”
                                                                            lançado em 1988


                   Por um momento, Bernie pareceu estar vendo, naquele rosto enrugado do amigo, Reg Dwight novamente diante dele.
 - Eu ainda não acredito que estejamos juntos agora só porque eu... escorreguei do norte da Inglaterra e vim parar aqui ou... porque simplesmente... não sabia o que fazer da minha vidinha besta... embora não me achasse uma droga... Eu continuo... não me achando uma droga... do seu lado. A gente fez alguma coisa, não fez? Mais de cinquenta anos, cara!...
  Elton ainda não respondeu.
- Eu era uma droga antes de conhecer você, que diabo, diz alguma coisa! – Bernie falou alto, pela emoção que começava a tomá-lo. – Eu ainda não morri!
  Bernie sentiu as lágrimas virem aos olhos. A emoção era muita grande naquele momento. Afastou-se dele e começou a andar pela praia. Elton tentou correr atrás dele o que seus passos inseguros conseguiam e o fez parar, segurando seu braço.
- Bernie!
- Se você quer acabar com a sua carreira, se quer acabar com tudo, tudo bem, acaba, para com tudo! Mas é injusto você ter me trazido até aqui pra me dizer isso! Você já está se aposentando dos palcos nessa turnê monstro que vai acabar em dois mil e...
- 2021, Elton ajudou.
- Isso aí. Isso é até admissível. Pelos seus filhos isso é até aceitável, mas... parar de compor...? Eu falei naquele especial do “Two rooms” em 1992 que nunca mais ia parar de trabalhar com você, caramba! Por que isso agora?
- Eu estava brincando, Elton disse, sorrindo maroto.
   Bernie ficou olhando para ele com o rosto molhado.
- O quê?...
- Eu não vou parar nada. Só queria saber o que você pensava disso tudo.
   Bernie respirou fundo, passou a mão pelo rosto e disse:
- Se você fosse vinte anos mais novo... eu quebrava sua cara, idiota!
- Quebre! Você também não é vinte anos mais novo. Tem quase setenta, amiguinho...
- Mais ainda tenho pique suficiente pra cuidar de uma fazenda de gado e de muito mais. Eu ainda não me sinto nem com cinquenta! Tenho uma filha linda de dez anos e ela foi feita quando eu tinha bem mais do que isso, se você quer saber... Eu poderia matar você agora, calhorda! – Bernie gritou novamente.
- Mate, Elton falou, abrindo os braços e sorrindo seu sorriso “Reg Dwight”.
   O letrista armou o punho para um soco e ficou com a mão parada no ar. Mas a única coisa que fez em seguida foi tirar os óculos do rosto de Elton e sair correndo com eles para perto da água.
- Desta vez eu jogo de verdade, quer apostar!? – gritou, enquanto andava de costas.
   Elton apenas riu.
- Custou uma fortuna, sabia? Foi presente do meu David.
- Ao inferno sua fortuna e do seu marido canadense, seu bastardo! Você não é mais Reg Dwight! Ele não faria isso comigo!
   E Bernie jogou os óculos na água. Elton ficou no mesmo lugar, olhando para ele. Depois começou a tirar o casaco de peles, tirou a gravata, e ficou apenas com o terno.
- Filho da...
- Você ficou doido de vez!? Vai pegar uma pneumonia... vovô! – preocupou-se Bernie.
- Já passei por coisas muito mais frias que esta, parceiro, e sobrevivi. Eu sobrevivi à cocaína e ao álcool. Fiz sexo com todos os Estados Unidos... lembra? Prova que aos sessenta e nove anos você ainda tem sangue cigano de Lincolnshire nas veias e prepare-se para correr. Ou quem vai entrar numa fria é você agora. Você vai tomar o maior banho de mar inglês que nunca tomou.
   Elton começou a correr na direção dele e Bernie tratou de fazer o mesmo, mas não para fugir, apenas para se afastar dele, pois sabia que o amigo não o alcançaria, mesmo que tentasse. Bernie tinha sessenta e nove anos, mas resistência de um homem de quarenta, pelo trabalho que exercia em sua fazenda em Santa Bárbara.
- Você não faria isso!
- Pode apostar! – gritou Elton.
- Não, cara!
- Quem é o bastardo?
- Você! – Bernie respondeu, rindo dele e de seu jeito de correr, sem parar de se afastar, como se corresse de uma criança.
- Vou te mostrar que é o bastardo!
   Bernie começou a tirar o casaco enquanto corria, deixando-o no meio do caminho, ficando apenas com a camisa xadrez de mangas longas. Elton pegou o casaco dele e parou de correr, ofegante. Bernie parou também, desistindo, e sentou-se na areia, rindo muito e tossindo.


                           XX – E O SONHO CONTINUA! – PARTE 2

                                          AINDA NÃO É O FIM!

                                  OBRIGADA, SENHOR, POR TUDO!

                                DEUS CONTINUE NOS PROTEGENDO
                               COM SEU ESCUDO DE MISERICÓRDIA!

                                                   BOM DIA!

Velucy
Enviado por Velucy em 10/06/2020
Reeditado em 10/06/2020
Código do texto: T6972987
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1780 textos (12199 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/08/20 08:36)