Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MANDY VI - DESPEDIDA - PARTE 2

                                   II – DESPEDIDA

                               
                    Na manhã da viagem de Marco ao Rio de Janeiro, ele acordou e olhou para Amanda, dormindo ainda. Ergueu o corpo e o apoiou no travesseiro, olhando para ela. Depois beijou sua boca suavemente e se levantou, indo para o banheiro tomar seu banho. Trocou-se, procurando fazer o mínimo de barulho e colocou a mala junto da porta da sala para não ter trabalho depois. Foi para a cozinha, fez e tomou um café rápido e voltou para o quarto. Amanda estava acordando; olhou para ele, sonolenta e perguntou:
- Você já vai? Por que você não me acordou?
   Ele foi sentar-se junto dela e a beijou.
- Continua dormindo...
- Eu queria ir com você pro aeroporto.
- Claro que não, maluquinha. A Dalva deve estar chegando e vai ficar com você
  Amanda ergueu-se, sentando na cama.
- Você não ia se despedir de mim?
- A gente tem feito isso todos os dias desde que eu soube que ia viajar. Eu detesto despedida, você sabe disso. A gente não vai se despedir, vai só dar tchau aqui mesmo.
   Ela notou que ele estava triste e o abraçou forte.
- Eu vou morrer de saudade, ele disse.
- Não, não vai... Eu te quero de volta.
   Marco sorriu entre as lágrimas, afastou-se dela e lhe beijou a testa.
- Eu ligo de lá quando chegar. Só que vou ligar pra casa do meu pai. Quero que você fique lá todo o tempo, ok? Como a gente combinou. Ou na casa do seu pai. Não quero você aqui sozinha nunca, enquanto eu estiver no Rio. E se eu não ligar, pede pra alguém me dar notícias de você, qualquer pessoa, todo dia, tá bom? O telefone está na agenda na sala. Leva ela com você.
- Está certo.
   Ele a beijou novamente, apaixonado.
- Se cuida, namorada.
- Você também. Arrasa por lá, gato.
   Marco tocou sua barriga.
- E vocês dois, juízo, e não dêem trabalho pra mamãe, hein? Vou sentir falta... dos dois. Tchau.
   Ele beijou sua barriga e ela mais uma vez e a abraçou forte.
- Te amo... pra sempre...
   A campainha tocou e ele disse:
- Deve ser a Dalva... Tchau, amor. Fica com Deus.
- Vai com ele...
   Ele levantou-se e saiu do quarto. Choravam os dois.

              *****************************************
 
   Naquele mesmo dia, Amanda recebeu a visita de Maria Eugênia em casa. E as duas conversaram muito. Maria Eugênia tentou consolar a tristeza dela.
- Você está tristinha porque o Marco foi pro Rio hoje, não é?
- É, mas vai passar. Eu sei que ele está indo pra trabalhar e volta logo.
- Isso mesmo. Garota corajosa. Teu marido vai fazer o maior sucesso lá no Rio e logo volta mais apaixonado ainda por você.
- Eu sei... Ele me falou que você veio pro Brasil não só pra ver seus pais e a Rita, mas... pra levar o Roni pros Estados Unidos.
- É... ela disse, abrindo um sorriso maroto, deitando-se aos pés da cama onde as duas estavam conversando..
- E você já conseguiu conversar com ele?
- Já. E eu vou vê-lo de novo hoje à noite e, conforme seja, amanhã, a Rita vai trazer uma coisa pra você.
- Uma coisa? Que coisa?
- Uma surpresa. Não vou dizer ainda. Não fique ansiosa nem nervosa, pode não te fazer bem. Só tenha certeza de que é uma coisa boa. Só espera pra ver. Mas eu espero que logo, logo vocês dois fiquem livres do gatinho rebelde. O Marco falou que me prometeu a sua filhota pra eu batizar?
- Falou. E eu achei muito justo.
- Estou tão curiosa pra vê-la, ela disse, tocando a barriga de Amanda. - Pena que eu não moro mais no Brasil, senão ficaria aqui até dezembro pra esperar os dois nascerem.
- Talvez não chegue até dezembro... Amanda disse, acariciando a barriga.
- Como assim? Como não? – perguntou Maria Eugênia preocupada.
- Eu não falei nada com o Marco porque ele já estava preocupado em ir pro Rio e me deixar sozinha aqui, mas meu médico quer fazer o parto antes dos nove meses. Talvez no final desse mês...
- Sério? Gente! Mas está tudo bem com você e com eles?
- Está, mas o doutor Arnaldo acha que a menina é muito pequenininha e mais frágil. Ele acha melhor tirar os dois e cuidar deles aqui fora. Ele acha que ela não aguentaria até o fim da gravidez.
- Meu Deus...! Mas ela vai ficar bem, sim. Vocês dois são saudáveis e vai dar tudo certo.
- Vai, eu sei que vai.
- Mas o Marco não vai ficar zangado se os bebês nascerem sem ele aqui? Eu ficaria...
- Mas eles não vão nascer sem ele aqui. Quando o médico marcar a cesariana, eu vou pedir pra alguém ligar pra ele e ele vem.
- Ah, bom, mas vai dar tudo certo.


                                    DESPEDIDA
                                      PARTE II
 
                    MEDITAR É COMO REZAR, ORAR,
                       CONVERSAR COM O CRIADOR
                           DOMINGO DE PÁSCOA!
                          ALELUIA! ELE RESSUSSITOU!

            SENHOR, AJUDE-NOS A RESSUSSITAR CONVOSCO!

                             OBRIGADA E BOM DOMINGO!
Velucy
Enviado por Velucy em 04/04/2021
Código do texto: T7223464
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
2387 textos (17586 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/04/21 08:38)
Velucy