Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Inutilia truncat…

Antes esse princípio valorizado pelos poetas árcades significava para mim apenas a pequeníssima ideia contida no contexto dos meus estudos – cortar o inútil para viver a harmonia do Carpe diem -. Decerto, a ideia continua semelhante, entretanto, notei que esta ganhou um novo e desolador sinônimo de situações da vida em sua existência… As pessoas cortam o inútil, certo, até aí não há novidades. Só que agora não importa qual a definição de inútil. Cortam-se empecilhos, sobrecargas, – amizades -, ambas com recíproca naturalidade. Não sei o que há de errado no mundo. Talvez seja a minha vazia existência, ou o peso da consciência da mercantilização dos afetos… Das existências, da personificação dos laços em objetos enfadonhos, descartáveis, ignóbeis… Ou seja.. É a adaptação do ‘Inutilia truncat’ no viver contemporâneo, nessa nova filosofia do desapego… Sei que poucas pessoas lerão esse texto e aos raros leitores, deixo claro que não quis causar nenhum desconforto, apenas reflexão… Então, atenção ao que é inútil. Pessoas não podem ser classificadas como supérfluos empecilhos inanimados e descartáveis. Somos complexos e singulares! Sei que em escala astronômica praticamente inexistimos, mas estamos vivendo tudo isso nesse exato momento, somos parte desse todo…
Alexandre Alves Porfirio Vieira
Enviado por Alexandre Alves Porfirio Vieira em 27/02/2018
Reeditado em 14/03/2018
Código do texto: T6266046
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alexandre Alves Porfirio Vieira
Santo André - São Paulo - Brasil, 28 anos
57 textos (2382 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/19 22:03)
Alexandre Alves Porfirio Vieira