Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma história a ser vivida e a ser contada

Um dia essa história será contada com as marcas que ficaram, uma jornada percorrida e sentida, com o coração em festa e o dever cumprido em mais uma missão, renascido depois da chuva e das tempestades, das tristezas e das alegrias. Todo percurso exige atenção, paciência e constância para que possamos chegar na Vitória, neste curso a Vitória não é individual, mas quando chegamos com todos. Após a chuva e as tempestades, quando a paz maior do dever cumprido falar mais alto e chegar o momento da despedida.
É comum quando somos chamados para algum compromisso sentirmos algum medo, no início daquela responsabilidade, que parece ser maior do que nós mesmos, já dizia Madre Tereza de Ávila. Mas com o tempo, aos poucos, o medo vai passando e vamos nos acostumando com a ideia de que somos capazes, somos fortes quando nos colocamos no lugar. A mesma Santa também dizia que “gente espiritualizada não tem o que temer, pois acredita na força do espírito e muito mais naquele que tudo supre e tudo governa”.
Em tudo existe o querer do Mestre a guiar nossos passos, mesmo quando ainda inexperiente, tropeçamos, mas mesmo nisso, existe o aprendizado a ser extraído. Só não erra quem nada faz ou não empreende uma caminhada, todo aquele que caminha está sujeito aos tropeços no caminho. Prudência é a palavra chave para pouco errar e adquirir a sabedoria necessária para manter a vela no prumo certo e não errar tanto ao caminhar.
É muito fácil receber as flores e os louros do lugar de destaque que ocupamos, mas o difícil é aguentar as lanças sem demonstrar a dor e sem perder a paciência e sair do seu centro. Como disse meu professor, “sem provar do fel que existe em toda responsabilidade de salvação”. Em toda entrega existem os dois lados da experiência vivida, a dor e o sofrimento e a plenitude do sentimento de Paz e Amor que certamente vem acompanhando a Salvação do espírito. Sempre o ganho é maior e o aprendizado é mais profundo e perene, a expansão da consciência é inevitável a todo aquele que se dispõe a dar de si e a ser instrumento do bem.
Em muitos momentos sei que a vontade de desistir sempre estará presente, naqueles pensamentos que tentam nos desviar dos nossos passos. Mas é preciso manter o foco, ter sempre em mente o propósito maior dos nossos objetivos e não retroceder no curso do caminho. As tentações são inevitáveis para aquele que se entrega de coração ao caminho do Bem. Sempre haverá as dificuldades e aqueles que se interpõem no caminho para atrapalhar a boa obra e a construção das coisas de Deus, pelo menos enquanto houver espíritos cheios de trevas para serem iluminados. É impressionante como a Luz incomoda tanto as trevas, mesmo somente fazendo o bem e agindo com amor a todos.
Há aqueles que jogam suas lanças contra alguém que se interpõe em seus objetivos escusos ou abusivos. Também existem os bajuladores de plantão, amigos pelo simples interesse dos possíveis benefícios da falsa amizade aos lugares. Também aqueles que exigem a perfeição de quem está no lugar, os fiscais de plantão sempre dispostos a criticar os mínimos detalhes, aqueles que querem justiça a todo custo para os outros e os que mal perguntam como estamos ou se precisamos de alguma coisa, querendo sempre uma atenção especial para suprir suas carências e necessidades e sua vontade de estar ao lado da autoridade.
Preciso muito de você, já dizia a música “teu sonho não acabou”, na verdade está só começando. Não é possível realizar nada sozinho e em tudo que precisamos fazer sempre precisamos uns dos outros, nenhum de nós é desnecessário na obra do Mestre, todos fazemos parte e somos chamados de alguma forma a contribuir. Quando fazemos o trabalho junto com todos, a possibilidade da Vitória é sempre maior. Neste caminho não precisamos ficar esperando ser chamados, podemos nos adiantar e nos colocar no lugar de auxiliar.
Paciência e Firmeza será o lema para adiantar-se na jornada a ser percorrida. Paciência para saber esperar o momento certo e a firmeza para não retroceder no caminho e não desistir dos objetivos. O trabalho árduo e constante exige a calma necessária, mas também a firmeza de propósitos e não abrir mão dos valores deixados pelo nosso Guia Espiritual.
Não sair do seu centro e manter seu posicionamento no mundo em que vivemos é muito saudável para preservar nossa tranquilidade e o nosso senso do dever cumprido. Não sair do nosso lugar, custe o que custar é imprescindível a integridade pessoal e ao bem estar próprio. Os pensamentos positivos devem ser sempre alimentados e nunca perdermos a esperança de dias melhores. Deste modo, podemos não se distanciar de si mesmo e manter a entrega em nossa missão.
O Trabalho exige o sacrifício de horas de sono, de pensamento naqueles que sofrem, nos constantes conflitos, os pecados e tantas atitudes humanas das mais diversas ordens que preocupam aquele que zela pelo rebanho. O pensamento naqueles que foram oprimidos pelas palavras e atitudes de pessoas que se colocam no lugar da autoridade, sem realmente estar no lugar ou pelo menos trabalhando pela salvação de si e do próximo. Toda essa luta, será sempre recompensada em forma de Luz, de compreensão e o crescimento do amor maior que é o próprio Mestre.
Também é exigido toda a atenção nos projetos e nas propostas de aperfeiçoamento para o Navio navegar em águas tranquilas e equilibrando o leme para não sair da rota. Assim, seguiremos no rumo certo e poderemos chegar um dia que dormiremos um sono tranquilo e dizer que fizemos o melhor possível e doamos o melhor que temos dentro de nós. Contando assim a nossa história vivida e a vitória dos dias vividos.

Seatle, 04/11/17
Paulo Afonso Condé
Enviado por Paulo Afonso Condé em 11/10/2018
Reeditado em 17/10/2018
Código do texto: T6473759
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Paulo Afonso Condé). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Afonso Condé
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 62 anos
138 textos (56501 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/18 22:34)