Capa
Cadastro
Textos
┴udios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NEM TUDO QUE PARECE ╔

        Gosto das pessoas que usam de franqueza; e falam as coisas que pensam, da maneira como pensam, agem e falam aquilo que sentem, e nos despertam com suas afirmações, mas que também tenham a virtude de saber ouvir, quando falamos, o que pensamos ou a respeito delas. Sim, gosto muito mais ainda da humildade dos tolos, do que da intenção dos sábios. Estes, que muitas  vezes sábios não são, quando apenas presumem ser alguma coisa, e sempre trafegam pelos caminhos da inverdade. Os tolos porém, mesmo quando mentem são mais sinceros no que dizem, mesmo sem conhecimento de causa acerca de muitas coisas - acabam sendo perdoados quando cometem um engano ou outro -, são aqueles que discutem sobre política, falando dos atos dos políticos, quando os mesmos praticam ou não! quer seja para o bem ou mal. Perdoo os tolos por não saberem deduzir entre uma coisa e outra, sobre a política e o político. Embora o conceito de política é o que ela significa dentro de uma sociedade na mais nobre expressão ao longo da história da humanidade, diante do que representa no campo das relações humanas e sociais.
        Todavia, a questão de políticos que agem bem ou mal intencionados, em relação à posição que lhes fora outorgada, é outra história. Talvez como os políticos, na sua maioria, devem em causa própria se acharem sábios, erro tão comum, entre eles. Pensarem na possibilidade de serem o que não são, por nem sempre agirem tal e como apostamos ou esperamos, por normalmente tratarem a política, como a uma qualquer, semelhante ao homem que não sabendo observar a beleza e a nobreza de uma mulher, fizesse considerações infelizes, de compará-la, a uma mundana,  menosprezando-a desta forma. Talvez mais por ignorância, que por qualquer outra coisa. O político muita das vezes age assim, quer seja por falta de visão e sensibilidade, ou por estar diante de uma obra de arte, um quadro numa exposição ,e, não sentir-se afetado, como se estivesse ali somente de corpo presente, mas não de espírito para discernir a beleza das coisas na sua real tradução quando são reveladas para nós.
        Do exposto, concluo que prefiro mais o tolo que tem a possibilidade de um dia chegar a ser sábio, do que o sábio, que se acha superior aos seus próprios olhos, e por falta de humildade, acaba se auto-enganando, como alguém que se olha no espelho buscando uma perfeição que tão somente poder-se-á caber no campo da imaginação.
denymarques
Enviado por denymarques em 21/10/2007
Reeditado em 04/11/2007
Cˇdigo do texto: T703620
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
denymarques
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 54 anos
35 textos (3377 leituras)
(estatÝsticas atualizadas diariamente - ˙ltima atualizašŃo em 17/12/17 04:30)
denymarques