Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESSE CAMINHO QUE EU MESMA ESCOLHI

por Regilene Rodrigues Neves

Por onde caminho meus passos se perdem
Numa estrada de curvas fechadas
Retas incertas me esperam
Do outro lado do destino
Feito andarilho percorro sentimentos
De uma vida em descaminho...

Meu ontem e meu hoje
Sem nenhum futuro...

Me acovardei com a perda dos sonhos
A medida de uma realidade brutal
Fui me apegando aos meus medos
Virei ilha dentro de mim
Prisioneira minhas asas sobrevoam
Rasantes de incertezas...

Não passo de um poema triste
Jogado a ermo na alma
Uma lágrima cai do pensamento
Enquanto olho para frente
Sem ver o poente...

Vou seguindo a noite
Que se aproxima em silêncio...

O abraço da solidão
Vira carinho
E eu passo a senti-la
Como uma companheira
Dos meus dias solitários...

Atravesso meu destino
Sem saber para onde ir
A vida me leva
E eu levo a vida
Dentro de um poema sem rumo...

Ás vezes penso em parar
Grito dentro de mim
Para que ninguém ouça meu lamento
Não quero pena sou maior que ela.

Apenas uma tristeza que se apegou a mim
E fez minha alegria ir se esvaindo aos poucos...

Hoje sou uma folha de outono
Cai de uma árvore
Outrora frondosa de primavera
O mais perto que chego
É de um inverno frio
Que rouba dos meus sentimentos minha emoção

Viro um espectro passageiro da vida
Sem nenhum sonho dentro do peito
Ainda procuro um resto de esperança
Para não morrer esta poesia que me consola

Talvez em algum poema eu sobreviva
E sopre a última quimera dos meus sonhos...

Vou seguindo em frente
Ando devagar porque já tive pressa
E só chorei demais
Esta música toca dentro de mim
Vou repentindo cada estrofe
Seus versos me inspiram

Descubro que nada eu sou
Que nada eu sei...

Vou seguindo em frente
Tento não olhar para trás
Para não me perder de vez
Quem sabe lá onde meu olhar não alcança
Algo melhor me espera
Acho que ainda resta uma esperança
Minha fé em Deus ainda me faz acreditar
Num dia melhor que ontem...

Preciso ir
Vou continuar nesse caminho
Não sei se chego lá,
Mas quero tentar pelo amor que tenho na vida
Ela ainda respira dentro mim
Numa inspiração de amor
Mesmo que eu não for
Num poema chegarei lá
Para que eu possa encontrar a minha paz!

Em 04 de junho de 2009


regipoeta
Enviado por regipoeta em 04/06/2009
Reeditado em 04/06/2009
Código do texto: T1631233


Comentários

Sobre a autora
regipoeta
Goiânia - Goiás - Brasil, 57 anos
1454 textos (154666 leituras)
22 e-livros (7201 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/20 12:27)
regipoeta