Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Saudades da Amélia

Ai, que saudades da Amélia!
Obediente, submissa e calada
Bem cantava o poeta feliz
Amélia, que era mulher de verdade
Nunca sequer me contrariava
Perdoava todos os meus deslizes
O mais longe que se aventurava
Era no portão de casa

Ai, que saudades da Amélia!
Dela não tinha medo algum
Meu grito era o mais forte
Meu braço, o mais potente
Meus argumentos, únicos e invencíveis

Ai, que saudades da Amélia!
Tenho medo da Katrina
A Rita me apavora
Faz-me correr, fugir, ir embora
Lili me desespera
Paloma tira-me o sono
Nana é avassaladora
Josephine é preocupante
Sandy é vingativa

Quero esquecer as Marias
Fátimas, Cristinas e Irenes
Nenhuma delas é como a doce Amélia
Que era mulher de verdade
Volta Amélia, volta
De caçador, passei a ser caça
Hoje sou o homem mais fiel
Reconheço que és mulher de verdade
Juraci Rocha
Enviado por Juraci Rocha em 06/10/2005
Código do texto: T57430


Comentários

Sobre o autor
Juraci Rocha
São Paulo - São Paulo - Brasil
342 textos (132224 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/11/20 18:23)
Juraci Rocha