Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VERSOS DO TÃO_TÁ : dor de catéter e mulher feia.

se vai falar de doença,
de catéter de nascença,
falo fora.
primeiro pois, peço licença,
que o nhô chegou depois.

falar de dor de catéter,
de catéter, ainda não sei.
sei que a mulher dói agora
pois que veio e não se foi.

catéter bom - na veia açúcar,
que se dói, nem dá prá ver.
pior, mulher de açúcar cheia,
se é feia de doer.



(brincadeira ou desafio, com Lilian Maial)

Marco Bastos
Enviado por Marco Bastos em 22/04/2006
Reeditado em 26/04/2006
Código do texto: T143250
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Marco Bastos
Salvador - Bahia - Brasil, 75 anos
1733 textos (96784 leituras)
2 áudios (533 audições)
1 e-livros (803 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/04/20 10:41)
Marco Bastos