Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A POUQUIDADE

Carecia de redenção
com a inópia de um desabrigado
rogava tanto deste pão
que mesmo cristão partia ao pecado,
desenfreado praguejava
tomado pelo desejo da confissão
inventava assassinato,
surtia a mão desejada
em sôfrega peleja
rechaçava o apertão
os punhos fechados
prontos a debulhar os falsos
e calorosos gracejos,
gritava ao pleno silêncio:
“Isto é o que penso
dê-me cá a navalha”
me sentia bem
então me castigava
talhando na face
as letras da salvação:
Já em longo desengano
Amando de coração aberto
Comungo este aperto no peito
Interno enterro o disparate!
Diego Duarte
Enviado por Diego Duarte em 04/01/2018
Código do texto: T6217094
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Diego Duarte
Ananindeua - Pará - Brasil
401 textos (7846 leituras)
3 e-livros (135 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/01/20 10:50)
Diego Duarte