Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ÚLTIMO III

Eu odeio quando do nada essa voz vem
Sério. É um verdadeiro saco.
Não Posso sair de um bar
De uma boate
Não Posso sequer pegar um ônibus errado
Que essa voz vem
Ignoro
Finjo que não estou ouvindo ela
Afinal, uma hora ela para de falar
Eu acho
Mas analisando meus dias
Ela continua
Tomando banho
Almoçando
Dormindo cedo ou tarde
Atendendo o telefone
Já parou pra pensar nisso
Atendendo o telefone????
Não é ela na linha
Mas dá ligação cruzada
Porque enquanto ouço as vozes alheias
Ela fala também
Outro dia um amigo meu ouviu ela
Disse que era bobagem o que ela dizia
Comprou um carro novo
Casa nova
Colocou os filhos em outro curso
Trabalhava muito
Esqueceu o que era tomar um sorvete de palito e deixar pingar aquela gota manchando a roupa
Ele merecia
Ele era igual a mim
Odiava a voz
Pena que isso faz dez anos
Não tenho mais notícia dele
Acho que a voz estava certa
Eu... Eu...
Eu penso em escrever
Penso em viajar
Namorar
Penso em fazer aquele investimento
Mas a preguiça
Covardia
Ou até meu foco em outras coisas me atrapalham
Aí do nada vem ela
A voz
Filha da mãe.
Meu amigo sempre me falava dela e de como ela mente
Hoje vejo que ela não mente
Infelizmente
(Tá frio aqui)
Não sei até quando essa voz continuará a falar comigo
Seja no meu íntimo
Ou com as notícias de muito longe  (eu acho que é longe)
Deus
Deus...
Poderia ser mais claro?
A voz só diz isso:
"VAI PASSAR!"

LUCAS 12;20



***Inspirada nas maravilhosas poesias de WALLACE AMORIM e CJ OLLIVEIRA. LEIAM!!!***
Leandro Severo II e WALLACE AMORIM & CJ OLIVEIRA
Enviado por Leandro Severo II em 29/05/2019
Reeditado em 21/08/2019
Código do texto: T6659723
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Leandro Severo II
São Paulo - São Paulo - Brasil, 26 anos
75 textos (3330 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/11/19 06:45)
Leandro Severo II