Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

JOÃO BRASILEIRO

     Vesti a minha melhor roupa
     Tirei a xerox de todo documento
     E fui procurar um emprego
     Para garantir nosso sustento .

     Já passava do meio-dia
     E a fome me consumia por inteiro
     Quando dois caras me abordaram
     Perguntando pelo dinheiro .

     Com uma arma na cabeça
     Esperando o meu fim
     Olhando bem para eles
     Eu lhes disse assim :

     Se vocês nunca se enganaram
     Acabaram de se enganar ,
     Eu não tenho nem onde cair vivo
     Porque morto caio  em qualquer lugar .

     A minha atual situação
     Direi agora mesmo para vocês ,
     Sou pai de oito filhos
     E o nono nasce no próximo mês .

     Meu barraco é de palafita
     Construído em terreno invadido .
     Não durmo uma noite em paz
     Com medo dele ser demolido .

     A minha energia é um gato
     E a água também é roubada .
     Estou devendo as seis agiotas.
     Minha vida está ameaçada .

    Já vendi a nossa cama ,
    A geladeira e o fogão .
    Dormimos em sacos velhos
    E cozinhamos no chão .

    Ao ouvirem minha ladainha
    Percebi que eles estavam chorando
    Os dois olhavam para o céu
    Como quem tivesse se desculpando .

    Quando enxugavam os olhos
    E resolveram ajudar a este moribundo
    Uma voz grita da esquina :
     - Mãos para cima vagabundo !

    Os meliantes saíram correndo
    E  eu fiquei só esperando .
    De início levei dois dias chutes nas costelas
    Onde uma foi logo quebrando .

     Puseram o joelho no meu rosto
     Me xingando de todos os palavrões
     Perguntando pelo roubo
     E quem eram meus amigos ladrões .

     Eu dizia que era inocente
     E que não os acompanhava .
     Mas quanto mais eu falava isto
     Aí era que eu apanhava .

     Meu Deus como eu apanhei...
    Quebraram meus braços enquanto um ria
    E me largaram num terreno baldio
    Só para ver se eu morria .

    Mesmo estando todo ensanguentado
    Refleti a beira da minha morte .
   Como sofre um João brasileiro ,
    Negro ,  pobre , e sem sorte !

       
         
     
     
     
     
     
Igor da Silva Chaves
Enviado por Igor da Silva Chaves em 17/09/2019
Código do texto: T6747206
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Igor da Silva Chaves
Pacatuba - Ceará - Brasil, 40 anos
414 textos (6644 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/19 12:05)
Igor da Silva Chaves