Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TRISTÃO O POETA

Assim sem amigo
Só tristeza na fronte
Preterido
Sem horizonte
Um par de solidão no semblante

Do bom que a vida prega
E me nega. Só vejo
E pra eu sair ileso
Só do tipo que não pega
E não prova nem do beijo
Ainda assim
Tristão e preso
Uma ova

desejo
vida pra viver, sem açoites
noite pra amar, sem sirenes
sonho pra voar, sem PMS
e o coração a mil volts

Tristão o poeta
Que de trova em trova
Põe a vida a toda prova
Torto por linha reta
Me afasto e com a meta
De fugi do marasmo
Que me infesta sem entusiasmo
camelo feito asno e na fresta estreita
ta lá o patrão. que eu enojo  e discuto

aqui os de pele preta
alguns flores que não vegeta
noto angustiado e puto. Tristão e poeta
o patrão que não labuta e desfruta
da vida que não gozo

me pergunto?

Por quê?
Tantos calos mal pagos
Tantos sorrisos ralos
Responde-me tu! Por quê?
Tanta embriaguez e tragos
Tanto poucos afagos e tanto Xadrez
Alçapou reis e minha rainha
Responde-me tu! Na lucidez
Tu que trazes farta carapinha
Por que? Fome gera riqueza,
caminha a desgraça
fera fome ataca sem pudor
os de minha raça
Responde-me tu!
Com o verso cru
A voz pode trepidar
Mas com o olhar nu
Porque? Por quê? Por quê?

Tristão o poeta
Assim Confuso
Só neurose na fronte
Intruso
No calor de se viver na fonte
Conte-me se tem por que da exploração
Mais contem
E tonte com a injuriação
mais tontem

do tristão o poeta

akins kinte
Enviado por akins kinte em 22/07/2008
Reeditado em 20/04/2010
Código do texto: T1091488

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
akins kinte
São Paulo - São Paulo - Brasil, 35 anos
29 textos (7555 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/19 12:04)
akins kinte