Contar a Esperança

Contar estrelas do céu,

Contar as areias do mar.

Contar batidas do violão

E as cordas do coração.

Nos dedos a esperança,

O sonho de não acordar.

Não deixar de ser criança

Levar a vida a brincar.

Na dobra do tempo sou

Uma criança magoada

Antes ria de tudo, hoje

Choro.por nada.