Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Impunemente, fogem as horas...


Euna Britto de Oliveira
www.euna.com.br




Palavras – um direito que minha alma quer!
Cadê a estrela que era para estar ali, e não está?
Atrasada, estréia uma energia nova
E se renova em banhos de luz!
Enfim, aparece a esperada estrela!
O céu pra ela sozinha!
As outras estão fazendo cera na cozinha...
Estrelas me confortam,
Ligam sinergia a meu paradeiro.
Viajo para o seu centro sem me importar com suas pontas!...
Quando volto, estou sem revolta.
No céu, astros em movimento perpétuo...
Aqui na terra, ninguém de 200 anos!
A coisa mais linda e mais próxima da terra é a lua.
De lá, não se enxerga nenhuma mulher nua.
Está longe o bastante para mostrar se é ou não é  perfeita,
Mas bastante próxima para mostrar que é redonda.
Como a lâmpada do poste ilumina a rua direita!...
Virando a esquina, a rua escura, perfeita!
Crateras – quem não as vê em alguma superfície?
As da lua, misericórdia!
São todas feitas por encontrões de imensos torrões
Ou pedras caídas do espaço...
Ainda bem que por ali eu não passo!
O espaço me passa a limpo,
O tempo me destempera.
Números são dolorosos ou ardilosos.
Relógios parados – Apertos passados,
Partos acontecidos,
Portos distanciados...
Impunemente, fogem as horas...
Euna Britto de Oliveira
Enviado por Euna Britto de Oliveira em 19/06/2008
Código do texto: T1042425
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Euna Britto de Oliveira
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
995 textos (38066 leituras)
6 áudios (365 audições)
12 e-livros (693 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/19 22:20)
Euna Britto de Oliveira