Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DO OLIMPO AO PELOURINHO

Hermes trouxe a notícia !
A sentença foi decretada
Provocaram a ira de Zeus
Por causa de uma mulher amada
Dioniso, seu filho, enlouqueceu
Despiu-se das vestes de deus
E assim como Prometeu
Que deu o fogo para homens
Abandonou Ariadne no Olimpo
E em meio a sátiros, ninfas, bacantes
Amou como nunca dantes
Essa mulher perdição.

A sentença vai ser cumprida
Dioniso endoideceu !
Convoquem depressa Morfeu
E Géia, a dona da vida
Expulsem os dois deste mundo
Os coloquem num sono profundo
Juntos como queriam
Ébrios de vinho e de amor
E, que somente milênios depois
Se livrem desse torpor

MILÊNIOS DEPOIS :

Êpa babá !
O chefe supremo da corte celestial
O pai, o rei Oxalá
Aquele que afasta todo o mal
Se compadece do "fio" e da "fia"
Que estão num sono de um "trabáio feito"
E agora vai ser desfeito.
- Aqui nesta terra eu mando
Aqui não é Grécia, é Bahia
Eu quero esses dois sambando
Até o raiar do dia
Nas cordas de um afoxé

- Saravá !

E assim renascem os amantes
Na terra de Salvador
Agora não são mais bacantes
Filhos de Gandhi e turbantes
Carnaval, cerveja e suor
Ele agora semi-deus
Ela agora semi-nua
Gemem debaixo da lua
Na praia de Amaralina
Ou será mesmo em Ondina?
Uma odisséia de amor !

Esta história real
Forjada em metal de Ogum
Começa neste momento
Passeia no dengo de Oxum
Termina em Iemanjá sensual

Saravá !

Mizifio ainda tem
"muita histora prá contá"





Dionisio Teles
Enviado por Dionisio Teles em 05/03/2006
Reeditado em 23/05/2006
Código do texto: T119149


Comentários

Sobre o autor
Dionisio Teles
Barueri - São Paulo - Brasil, 68 anos
177 textos (55078 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/04/21 03:23)
Dionisio Teles