Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dói-se



 

 

Dói-se de silêncio, dói-se da solidão sôfrega das estrelas.

Dói-se da terra áspera das palavras. Dói-se do fim constante e perpétuo.

Cada nome procura o verbo. Cada verso procura a espalda da existência.

 

Podem agora os livros abrirem-se, e o poeta cair noutra nascente
Constantino Mendes Alves
Enviado por Constantino Mendes Alves em 03/05/2006
Código do texto: T149729

Comentários

Sobre o autor
Constantino Mendes Alves
Portugal
324 textos (3907 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/06/20 04:44)
Constantino Mendes Alves