Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Devaneios

<center>Devaneios

Não julgarei sua aceitação de culpa
Na delicadeza de dizeres motivos
Expatriados, atemporais
Como folhas que caem
Pelo abuso de lágrimas-regas
Impiedosas constatações
de seu abandono.

Não poderia jamais sentir brisa
Mergulhado meu ser em negros  rios
Que estas a navegar sem perceber
águas traídas pela falta de chão
na impotência que se faz cachoeira.

E é estrela que te faz clarão
Em brilhos noturnos
Sou sol e há nuvens.
Os céus condescendem
cenários de contradição.

Diria que nas sombras (que projeto).
Residem mil fantasmas, cada qual
Carregando na mão um luzeiro
A espantar meus medos
Em monopólio de espaços.
Tomando em ondas frias
meus segredos.

Lar de palavras, dúbias
Minha escuridão projetada
Acolhe devaneios.
Mentes doentiamente esquecendo
Que palavras voam
Pensamentos repercutem
E assolarão sua mente
Provando-te mentira.
As promessas de amor
esperado por séculos.

Poderia te amar,
No dia que conjunções celestiais
Fizessem sol e lua retrocederem
Cada um tempo suficiente
para encontrarem-se
Em não–tempo, não-lugar
Onde vagueiam sonhos,
Fazem-se as fantasias
E seu corpo envolto a meu corpo
Largasse-me ao solo
Sem sombras projetando
Medos fantasmagóricos.

Mas de pé projeto
Planos em dimensões
Imaginárias.</center>
elainemalmal
Enviado por elainemalmal em 09/05/2005
Código do texto: T15919


Comentários

Sobre a autora
elainemalmal
São Paulo - São Paulo - Brasil, 60 anos
7 textos (274 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/07/20 23:49)
elainemalmal