Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

INACABADO

Se
no meu fingimento
morasse um homem-ator
- amigos até diriam que poeta sou -
o sentimento da fala seria dita
com nó cego na garganta
o texto desse poema
feito dia e mês
para hoje!

Seria muita cara-de-pau
- minha e do poema -
aparecermos  para você vindos do nada,
como se fossemos filhos espontâneos
da cesariana  com hora marcada.
 
Se
no meu fingimento
assinasse um homem-autor
- dedicatórias até fluiriam com facilidade –
o momento de marcar gestos gastos
com mímica, riso e diplomacia,
seria um texto cínico,
assinado, ilegível
e datado!

Seria muita cara-de-pau
- minha a dos escritos -
nos mostrarmos para a platéia em estréia
como se fossemos filhos dos elogios:
vaidade e aplauso acasalados.

Encabulada, a minha voz
gagueja soprando seu aniversário.

Assim mesmo, a poesia,
a arte mais pobre de fingimento
- a mais plausível em sentimentos -
desajeitada,  cochichou cantarolada
o final inacabado do poema:
- “Parabéns, meu você!”
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 06/06/2005
Código do texto: T22424
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
662 textos (20974 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/20 20:33)
Djalma Filho